Procon-SP alerta sobre golpes ‘escondidos’ em compras pela internet

390
Da assessoria do Procon

Em tempos de quarentena e com o comércio de rua temporariamente fechado, as compras online se tornaram uma opção fundamental para que a população possa manter a compra de itens necessários. E, junto com essa necessidade, surgem mais pessoas se aproveitando do momento para aplicar golpes. O @proconsp alerta que o consumidor deve redobrar os cuidados e sempre desconfiar de ofertas vantajosas demais.

Em 2011, com o objetivo de prevenir os consumidores contra empresas de comércio eletrônico que infringem a lei, o @proconsp criou a lista “Evite esses Sites”. A lista é composta por fornecedores que tiveram reclamações de seus clientes registradas no Procon, foram notificados e não responderam ou não foram encontrados, impossibilitando qualquer tentativa de intermediação entre as partes ou abertura de processo administrativo. Também compõem essa lista, sites criados exclusivamente para enganar o consumidor.

As principais queixas contra esses sites são a não entrega do produto, não entrega dentro do prazo, dificuldade em conseguir contato ou desaparecimento da empresa, etc. Problemas que em qualquer época, principalmente agora, podem criar grandes aborrecimentos. Por isso, antes de fazer compras pela internet, é importante consultar essa lista.

A lista, que é atualizada periodicamente, atualmente tem 184 fornecedores registrados. Ela está disponível no site do @proconsp

Além de consultar a lista, o consumidor deve também:

– Procurar no site a identificação da loja (razão social, CNPJ, telefone e outras formas de contato, além do e-mail). Checar se essas informações estão corretas;

– Preferir fornecedores renomados ou recomendados por amigos ou familiares;

– Não comprar em sites em que as únicas formas de pagamento aceitas são o boleto bancário e/ou depósito em conta;

– Ler a política de privacidade da loja virtual para saber quais compromissos ela assume quanto ao armazenamento e manipulação de seus dados;

– Imprimir ou salvar todos os documentos que demonstrem a compra e a confirmação do pedido (comprovante de pagamento, contrato, anúncios, etc.);

– Instalar programas de antivírus e o firewall (sistema que impede a transmissão e/ou recepção de acessos nocivos ou não autorizados) e os mantenha atualizados em seu computador.

Confira mais orientações no “Guia do Comércio Eletrônico” disponibilizado pelo @proconsp.

Reclamações

O @proconsp registrou 55.134 atendimentos relacionados a problemas com compras pela internet no primeiro quadrimestre de 2020, 64% a mais em relação a todo o primeiro semestre de 2019 (33.628 atendimentos). As questões mais reclamadas pelos consumidores são demora ou não entrega do produto, seguidas por problemas com cobrança e produtos com defeitos.