Um século de Progresso!

Neste exato sábado, 30 de julho de 2022, O Progresso de Tatuí completa um século de existência, sustentando-se como um dos veículos de comunicação impressos mais longevos – e resistentes – do Brasil!

Para dar início às celebrações, a serem compostas por publicações especiais e eventos ao longo de todo o ano do centenário, o jornal apresenta nesta edição – em destaque na primeira página – o novo selo que passa a acompanhar o logotipo do periódico até julho de 2023.

A arte tem criação de Jaime Pinheiro, artista plástico e cenógrafo do Conservatório de Tatuí, com arte-final de Erivelton de Morais, da equipe do jornal já há cerca de 25 anos.

Na sequência, o jornalista Ivan Camargo, editor do bissemanal desde janeiro de 1995, abre a tradicional semana municipal dedicada à literatura com o lançamento do livro “Botão do Pânico”, nesta segunda-feira, 1º de agosto, às 19h, no Museu Histórico “Paulo Setúbal”.

O local e o evento em particular, inclusive, são mais que significativos para O Progresso porque, entre as incontáveis contribuições do jornal a Tatuí ao longo destes cem anos, além do registro de sua história por meio do noticiário, também se encontra exatamente a Semana Paulo Setúbal.

Isso porque o periódico esteve à frente das mobilizações para iniciar homenagens ao “imortal” tatuiano. Além de divulgar a ideia da celebração e incentivar os líderes locais a efetivá-la, o jornal deu amplo espaço às primeiras iniciativas.

Na edição de 24 de outubro de 1943, por exemplo, publicava: “Os nossos meios sociais e culturais movimentam-se neste instante a fim de concretizar uma ideia felicíssima e altamente simpática, que bem merece a unânime aprovação dos tatuianos, a de render homenagem a Paulo Setúbal – o escritor imortal que é um padrão de orgulho para o Brasil e particularmente para Tatuí, sua terra natal.”

Já na edição seguinte, de 7 de novembro, O Progresso de Tatuí divulgou, em nota de capa, a iniciativa que prosperou e tem o início da 80ª edição nesta segunda-feira: “Por iniciativa do Grêmio Paulo Setúbal, acaba de ser instituído um concurso literário entre os alunos do Colégio e Escola Normal, versando os trabalhos sobre o tema ‘Paulo Setúbal e Tatuí de hoje’”.

De lá para cá, como já amplamente reconhecido, o concurso ganhou tamanha proporção que se desdobrou em outro certame, de âmbito nacional – atualmente, um dos mais concorridos do país, ultrapassando mais de 1.500 inscrições a cada nova edição.

Desde essa época, ficou determinado que as comemorações seriam anuais – sempre próximas a 11 de agosto (embora a celebração pioneira tenha ocorrido em dezembro de 1943, no Clube Recreativo).

Logo nessa edição, conferencistas foram convidados para ministrar temas relacionados a Setúbal, sendo o embaixador José Carlos de Macedo Soares o responsável por abrir o evento. Ainda, houve nomeação de um grupo para organizar as atividades em diferentes áreas, todas voltadas a Setúbal.

A comissão era formada por Fernando Guedes de Morais (coordenador), Paulo Silvio Azevedo (teatro), Nacif Farah e Ritinha Holtz Stadler (música), Francisco Hoffmann, Ari Villa Nova, Adão Bertin e Alberto Stape (social), Carlos de Morais (propaganda radiofônica), Lazaro Pacheco (auxílio dos alunos em pesquisas para o concurso) e Jorge Ferreira, de O Progresso (imprensa).

A partir do ano seguinte, páginas inteiras foram dedicadas à divulgação das atividades da já denominada Semana “Paulo Setúbal”, em agosto. A comissão de trabalhos – que ia de música a educação física – era formada por mais de 30 pessoas.

Também a partir de então, praticamente todos os trabalhos vitoriosos do concurso tiveram a divulgação nas páginas de O Progresso de Tatuí, sendo que, nas décadas mais recentes, vieram a compor todo um tabloide específico.

Este, por sua vez, será mais um “presente” do centenário, que os leitores do jornal receberão como encarte no aniversário da cidade, em 11 de agosto.

Seguindo a história, quase duas décadas depois dessa conquista, o jornal divulgava notícia, então, sobre aquela que viria a ser a maior “casa de cultura” de Tatuí. Isso aconteceu em 23 de setembro de 1962.

Assim descrevia a reportagem: “Tendo em vista que Paulo Setúbal, pelas raras qualidades de literato, projetou o nome da pátria além fronteiras, e reconhecendo a conveniência de serem coordenadas as manifestações culturais em torno da vida e obra do imortal escritor tatuiano – o governador do Estado assinou o decreto n. 40.754, de 13 do corrente, instituindo a ‘Casa de Paulo Setúbal’ nesta cidade, junto ao Conservatório Dramático e Musical ‘Dr. Carlos de Campos’, dependência da Secretaria do Governo”.

E seguia o texto: “Tendo suas atividades desempenhadas sem remuneração, por uma comissão de cinco membros designados pelo secretário do Governo, com mandato de dois anos renovável por igual período, a ‘Casa de Paulo Setúbal’ funcionará como órgão de divulgação, consulta, estímulo e cultura, difundindo e coordenando trabalhos de pesquisa e estudo, em torno da vida e obra do escritor. Terá também como finalidade a manutenção, conservação, exposição de objetos e documentos que pertenceram ao seu patrono ou a ele se refiram, bem como quaisquer outros que sejam considerados interessantes para a divulgação da história e melhoria da cultura da população, cabendo-lhe ainda a organização de Numismática, Filatelia e Pinacoteca”.

Esse trabalho, também como se comprova sistematicamente – ao longo, inclusive, das mais diversas administrações municipais -, sustenta-se até hoje, sempre com empenho, “reinvenções” e, portanto, sucesso.

O tabloide deste ano, com os premiados, não será a única novidade a chegar aos leitores: estará acompanhado de outra iniciativa promovida por O Progresso: o pioneiro Guia Turístico e Gastronômico “Tatuí Cidade Ternura”, agora em sua quinta edição e que, concretamente, contribuiu para a conquista do título de Município de Interesse Turístico (MIT).

Embora já em muito reforçado, não deixa de ser justo relembrar que a denominação de Tatuí como “Cidade Ternura” também é devida ao jornal O Progresso, em razão da publicação de um artigo, em 14 de outubro de 1934, assinado pelo jornalista Osmar Pimentel.

Curiosamente, o autor do texto não conhecia Tatuí, senão pelo olhar e “publicidade afetiva” da maior “cria” deste periódico: o jornalista Maurício Loureiro Gama, o qual, das páginas de O Progresso, partiu para ser o primeiro “âncora” do telejornalismo brasileiro.

São realmente incontáveis as histórias envolvendo O Progresso “e” Tatuí, merecendo muitos especiais. Um pelo menos será outro presente à cidade, no formato de um grande tabloide, com um compilado das notícias mais significativas do último século.

Esse especial deve chegar aos leitores entre o final de setembro e o começo de outubro, em sequência às celebrações do centenário, que ainda devem ter outras tantas ações até julho de 2023 – como uma exposição, a ser organizada por outro impagável colunista, Jorge Rizek, que figura as páginas do periódico desde 16 de setembro de 1984!

Boas notícias pela frente, portanto. Por ora, mais uma vez, O Progresso reitera seu compromisso primordial, o de trabalhar pelos reais interesses do município, e agradece à sua Tatuí por um século de confiança!

DEIXE UMA RESPOSTA

entre com sua mensagem
entre com seu nome