‘Tatuiano’ Dario Sotelo rege bandas e inspira músicos estudantes nos EUA

Maestro participou em abril de festival em Illinois e encontro na Carolina do Sul

O maestro Dario Sotelo
Da reportagem

Nascido em São José do Rio Preto, mas “radicado” em Tatuí desde 1979, o maestro Dario Sotelo representou novamente a “Capital da Música” em compromissos fora do Brasil. Levou o nome da cidade para dois eventos nos Estados Unidos.

Cidadão tatuiano por concessão de título desde 1995, outorgado pela Câmara Municipal, o músico realizou em abril a primeira viagem para compromissos profissionais depois da premiação na Europa.

Em dezembro de 2021, ele esteve na Espanha para receber a distinção “Pare Antoni”, condecoração oferecida pela Ateneo Musical y de Enseñanza Banda Primivita de Llíria, uma das sociedades musicais mais importantes e antigas daquele país.

Desta vez, Sotelo viajou para os estados de Illinois e Carolina do Sul, atendendo a convites. No primeiro, participou do Honor Band, um festival realizado pela Bradley University, renomada instituição localizada na cidade de Peoria.

No segundo, integrou o corpo de palestrantes de uma série de encontros dentro do programa de bandas da Presbyterian College, na cidade de Clinton.

Na Universidade de Bradley, Sotelo ocupou a função de regente residente. “Isso quer dizer que, durante uma semana, participarei de todos os eventos que eles realizarem”, comentou o músico, horas antes do embarque internacional. Sotelo viajou no dia 20 de abril, e tinha o retorno previsto para esta sexta-feira, 6.

A agenda começou em Peoria, uma cidade com 112.936 habitantes. “Ela é muito bonita e do tamanho de Tatuí”, contou o músico. Lá, Sotelo participou de atividades, regendo três conjuntos sinfônicos dentro da 32ª edição do concerto anual.

O “Honor Band” reuniu 90 dos melhores estudantes instrumentistas de 44 colégios centrais de Illinois.

A proposta do evento é oferecer aos alunos a oportunidade de tocar com os pares e encorajá-los a permanecer nos respectivos programas de música. Segundo a organização, os participantes são escolhidos de acordo com o desempenho.

“Esse festival tem o objetivo de chamar os alunos. A universidade faz isso como um recrutamento e para mostrar o potencial dos departamentos de músicas das instituições”, descreveu Sotelo, que permaneceu na região por uma semana.

A incursão do maestro deve-se à trajetória dele na música nacional e internacional. Sotelo é membro da Wasbe (Associação Mundial de Bandas e grupos sinfônicos), instituição que presidiu entre 2017 e 2019, tendo participado de incontáveis encontros e intercâmbios com músicos estrangeiros.

Na universidade, o maestro de Tatuí também realizou outras atividades. Entre elas, encontros com professores de regência, de instrumentos, com regentes e alunos. De lá, Sotelo viajou 700 milhas (1.239 quilômetros aproximadamente) para outra atividade, a convite do tatuiano Giovani Briguente.

Mais ao sul dos Estados Unidos, o maestro de Tatuí participou da série de encontros intitulada “Behind the Scenes” (“por trás das cenas”, na tradução livre em português). Sotelo foi recepcionado por Briguente no dia 28 de abril, quando conversou com profissionais e alunos instrumentistas da instituição.

No programa do evento, Sotelo é mencionado como um maestro que “inspira músicos e plateias ao redor do mundo por meio da regência e dos ensinamentos”.

A conversa aconteceu no “Edmunds Hall”, da Presbyterian College. “É interessante, porque o convite partiu de uma pessoa muito importante, que é um tatuiano que está lá”, antecipou Sotelo, em entrevista a O Progresso de Tatuí antes da viagem.

Giovani Briguente é filho do cantor lírico Luiz Briguente, formado no Conservatório de Tatuí e um dos muitos alunos do maestro. “Ele foi meu aluno de flauta e regência e, então, nós conseguimos uma bolsa de mestrado para os Estados Unidos, onde ele permaneceu, indo ao Michigan, que é considerada uma das dez melhores universidades americanas”, recordou-se.

Lá, Briguente se tornou doutor em regência. “Ele, talvez, seja a primeira pessoa do Brasil com essa titulação nessa universidade”, declarou.

Do Michigan, Briguente migrou para a Presbyterian College, para assumir o departamento de música. Um dos responsáveis pela série de encontros, o chefe do setor, enviou convite ao maestro de Tatuí pela importância dele no mundo da música.

Na Carolina do Sul, Sotelo participou de “uma batelada de atividades”. O maestro, que rege música brasileira e latino-americana de compositores sinfônicos, falou sobre a música brasileira e encontrou-se com professores e estudantes.

Para ele, as atividades nas instituições são representativas, uma vez que integram a primeira viagem do ano para agenda profissional. Sotelo afirmou, ainda, que se sentiu orgulhoso por representar Tatuí.

“Eu me considero tatuiano muito mais do que rio-pretense. Tenho casa aqui, minha vida é aqui. E, com essa coincidência, de encontrar um tatuiano que foi meu ex-aluno, trata-se de um momento muito especial. É Tatuí presente em todo o lado”, encerrou.

DEIXE UMA RESPOSTA

entre com sua mensagem
entre com seu nome