Na ‘Secec’, comitiva tatuiana intercede pelo Conservatório

Grupo pede explicações sobre mudanças propostas ao CDMCC

39
Da esquerda para a direita: Miguel L. Cardoso Júnior, o secretário Sérgio Sá Leitão e o presidente da Câmara Antônio, Marcos Abreu (foto: Divulgação)
Publicidade
Da reportagem

Uma comitiva de autoridades tatuianas esteve na Secretaria de Cultura e Economia Criativa, do estado de São Paulo, no Palácio dos Bandeirantes, na semana passada, para tratar da situação do Conservatório Dramático e Musical “Dr. Carlos de Campos”, de Tatuí.

O presidente da Câmara Municipal, Antônio Marcos de Abreu (PSDB), o prefeito Miguel Lopes Cardoso Júnior, a presidente do PL de Tatuí, Amanda Simões de Abreu, e os assessores parlamentares João Antônio Fonseca e Daniel Belanga pediram esclarecimentos sobre as mudanças ocorridas na instituição.

Também esteve na reunião a deputada estadual Damaris Moura (PSDB), responsável pelo agendamento e intermediação do encontro realizado a pedido do presidente da Câmara de Tatuí, com apoio do prefeito.

Na Secec, a comitiva participou de reunião com a diretora executiva da Sustenidos Organização Social de Cultura, Alessandra Fernandez Alves da Costa (atual gestora do Conservatório) e com o gestor da pasta estadual, Sérgio Sá Leitão.

Um dos questionamentos levados pela comissão tatuiana à Secec foi sobre o modelo de ensino de música e o novo projeto pedagógico que a Sustenidos anunciou pretender implantar na instituição.

Publicidade

Segundo Abreu, como já havia feito anteriormente em visita a Tatuí, Sá Leitão confirmou mudanças no projeto pedagógico da escola, contudo, sustentou que as adequações devem “trazer melhorias”.

“Ele expôs os números do CDMCC, disse que iria investir em infraestrutura e alegou que a instituição só tem a ganhar com a as mudanças propostas, porém, não explicou todas as alterações que devem ser feitas e, com isso, pedimos mais explicações”, contou Abreu.

Segundo o vereador, a intenção é cobrar da pasta um detalhamento sobre todas as alterações propostas para que os alunos da instituição, os poderes Executivo e Legislativo e a população em geral possam opinar sobre as adequações.

Neste sentido, o parlamentar apresentou à Secec a proposta de criar um conselho curador, composto por músicos e autoridades tatuianas, para estar mais próximo da administração, participar da gestão e analisar as decisões referentes ao Conservatório de Tatuí.

“Acho que o melhor para o nosso Conservatório é ter um conselho com pessoas do município. Hoje, a instituição tem um conselho administrativo, mas é formado por pessoas de fora, que, às vezes, nem conhece completamente a realidade do CDMCC”, argumentou o vereador.

Abreu informou que o secretário acatou a ideia da criação do conselho. Contudo, segundo ele, quanto à Sustenidos, “não houve um retorno positivo”.

“A Alessandra achou que não daria certo porque haveria choque nas decisões, mas é este o objetivo”, completou Abreu, acrescentando que a Secec não deu resposta sobre o conselho, mas ficou de analisar a sugestão.

O parlamentar também questionou o secretário sobre a demissão de funcionários e monitores – anunciada no dia 29 de setembro, em reunião virtual promovida pela diretoria da OS com professores da escola.

“Sobre este assunto, o secretário garantiu que não ocorreu corte de vagas, mas substituição de pessoal devido a baixo rendimento e outros fatores, como ocorre em qualquer empresa”, contou o vereador.

“Se for só isso, tudo bem, desde que não caia a qualidade de ensino. Mas, vamos fiscalizar as ações e cobrar que realmente não haja cortes”, sustentou Abreu.

Outro ponto cobrado pelo vereador é o estabelecimento de um canal de comunicação com os alunos, as autoridades do município, a imprensa e os funcionários da instituição.

“Vivemos em uma democracia, então, o correto é ouvir a opinião de todos, analisar propostas e definir o que é melhor para o Conservatório de Tatuí, com comunicação ampla. É isso que esperamos para o CDMCC”, justificou o vereador.

Conforme Abreu, o secretário apresentou dados que “reforçam a importância do Conservatório de Tatuí e o compromisso do governo do estado de São Paulo e da Secec com a cultura e com a cidade”.

Segundo o levantamento apresentado pela Secec à comitiva tatuiana, “o número de alunos em 2021 é o maior dos últimos três anos. São 2.174 matriculados, e as bolsas de estudos subiram de 173, em 2018, para 239, neste ano”.

“Voltamos a Tatuí mais confiantes de que, apesar de tudo, a instituição segue mais firme do que nunca, e terminamos o dia com novidades, com o anúncio de um investimento de R$ 4,6 milhões a para reforma da sede do CDMCC e do alojamento dos alunos”, acrescentou o vereador.

“Tatuí é a Capital da Música por causa da excelência do ensino do nosso Conservatório, então, queremos que isso continue e que a instituição continue sendo referência na América Latina, com um ensino cada vez melhor. Tudo que ameace esta excelência será questionado e fiscalizado”, completou o vereador.

O prefeito, por sua vez, reforçou o compromisso do secretário com a manutenção da escola de música, luteria e teatro em Tatuí e classificou as alterações propostas pelas Sustenidos como um “momento de reestruturação”.

“Sá Leitão anunciou, para nós, uma reforma inédita. Nunca houve uma reforma como será feita agora. São R$ 4,6 milhões para melhoria do anexo onde funcionava o fórum, no teatro e no alojamento”, reiterou o prefeito.

Cardoso Júnior também salientou que o secretário se comprometeu a manter o número de vagas de professores, em aumentar as bolsas para os alunos e a sustentar a qualidade de ensino da instituição.

“Pode ter alguma mudança no plano pedagógico, mas isso é a premissa da instituição que assumiu. Eu não posso, enquanto gestor, interferir em algo que é interno; eu posso lutar, como eu estou lutando, para que não haja cortes”, declarou o prefeito.

Cardoso também disse ter ficado confiante com o resultado da reunião. “Acredito que vamos continuar com essa instituição prestando um serviço de excelência para a região, para o estado, para o país e até para o exterior, como fizemos até hoje”, concluiu.

Publicidade