Sustenidos anuncia corte de 50% dos monitores do Conservatório de Tatuí

Medida repercutiu na Câmara Municipal; áudio de reunião acabou vazado 

323
Sustenidos apresenta reformulações para o Conservatório de Tatuí
Publicidade
Da reportagem

A Sustenidos Organização Social de Cultura, gestora do Conservatório Dramático e Musical “Dr. Carlos de Campos”, de Tatuí, anunciou nesta semana o rompimento de contrato com pelo menos 50% dos professores monitores da instituição.

O anúncio foi feito na quarta-feira, 29 de setembro, em reunião virtual promovida pela diretoria da OS com professores da escola, cujo áudio vazou e foi compartilhado em aplicativo de mensagens.

Pela gravação, a diretoria antecipa reformulações na parte artística e pedagógica para o ano de 2022 e informa aos profissionais sobre o corte de metade dos monitores nos mais de dez grupos artísticos da instituição (Banda Sinfônica, Orquestra Sinfônica, Companhia de Teatro, Jazz Combo, entre outros).

Com a medida, a Sustenidos deve romper os vínculos empregatícios e os profissionais deixarão de atuar nos grupos artísticos. Segundo a diretoria da OS anunciou na reunião, a intenção é de que esses grupos passem a ser integrados, exclusivamente, por estudantes da instituição.

Os nomes dos profissionais dispensados não são divulgados. A diretoria afirma que, para não expor os servidores, a rescisão contratual só seria divulgada em reunião pessoal com cada um dos funcionários afetados.

Publicidade

Ainda conforme o áudio, para os monitores que permanecerem na instituição também haverá mudanças. Todos serão dispensados dos cargos de monitores e passarão a ter vínculo empregatício apenas como professores de grupos artísticos.

Atualmente, os profissionais que atuam nos grupos artísticos têm duplo vínculo empregatício. “A intenção é manter um único contrato, apontado para o profissional fazer parte dos grupos artísticos e com o recebimento de horas-aulas equivalentes ao que é pago hoje, por meio de um contrato separado”, explica a diretoria.

Conforme explanado na reunião, a decisão da OS visa investir o valor gasto atualmente com monitores no oferecimento de mais bolsas de estudo e no aumento dos meses de duração das bolsas junto aos alunos bolsistas.

“Definimos isso há pouquíssimo tempo. Já falamos com os maestros, os regentes e os coordenadores dos grupos e, agora, estamos falando com vocês (monitores), dando esta notícia, com muito pesar”, declara a diretoria.

Em nota a O Progresso, a Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo informou que o Conservatório de Tatuí concederá, a partir de 2022, “Bolsas Performances” para todos os integrantes dos corpos artísticos do Conservatório de Tatuí, que serão formados somente por alunos.

A secretaria ainda confirma estarem previstas a participação em festivais e apresentações em diferentes cidades, além da ampliação da vigência da Bolsa Performance, que passará de quatro meses para nove meses.

“O objetivo é garantir maior protagonismo aos alunos, aumentar o número de bolsas concedidas e o tempo de vigência das mesmas e aprimorar o suporte artístico pedagógico dispendido aos estudantes”, declara a secretaria.

“A ação trará ainda mais estímulos à vivência artística e à qualificação profissional dos alunos, marcas já consolidadas do Conservatório de Tatuí, reconhecido mundialmente por sua excelência de ensino”, acrescenta a nota.

A Secretaria de Cultura e Economia Criativa ainda confirma que a função dos atuais monitores (músicos/atores contratados como integrantes dos grupos) foi revista, por isso o nome do cargo será alterado para “professor de grupos artísticos”, cuja atribuição será dar suporte na preparação de repertório, nos ensaios e nas demais necessidades artístico-pedagógicas dos bolsistas.

“Estes professores também poderão, eventualmente, participar de apresentações como músicos/atores convidados. Atualmente, o Conservatório de Tatuí conta com 158 professores, sendo que 68 desempenham a função de monitores de grupos”, conclui a nota.

Repercussão no Legislativo

Entre as matérias aceitas na sessão legislativa desta segunda-feira, 27 de setembro, o requerimento 2780/2021, de autoria do presidente da Casa de Leis, Antonio Marcos de Abreu, questiona o secretário estadual da Cultura e Economia Criativa, Sérgio Sá Leitão, sobre os motivos de a atual administradora do Conservatório Dramático e Musical “Dr. Carlos de Campos” estar realizando demissões e cortes de funcionários.

Abreu lembrou existir um acordo entre o município, a Secretaria de Desenvolvimento Regional do Estado de São Paulo e deputados, a partir do qual foram destinados R$ 3 milhões ao orçamento do Conservatório de Tatuí, a fim de que dispensas não ocorressem.

Contudo, conforme declarado pelo parlamentar tatuiano, a Sustenidos Organização Social de Cultura já demitiu mais de dez profissionais.

Publicidade