Iniciadas as obras da CDHU no b. Inocoop

Programa prevê investimento de R$ 37,6 milhões na construção de 228 apartamentos

Flavio Amary, Cardoso Júnior e Sílvio Vasconcellos durante cerimônia (foto: Fábio Morgado Rotta)
Da reportagem

Neste dia 20, no bairro Inocoop, aconteceu a cerimônia de início das obras para a construção de um novo conjunto habitacional popular, com 228 apartamentos, do programa “Nossa Casa – CDHU” (Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano).

O empreendimento, denominado “Tatuí H”, terá investimento de R$ 37,6 milhões do governo estadual, fruto de convênio com a Secretaria de Estado da Habitação, através da CDHU, e parceria com a prefeitura, que fez a doação da área.

O prefeito Miguel Lopes Cardoso Júnior recebeu o secretário de estado da Habitação, Flavio Amary, e o presidente da CDHU, Sílvio Vasconcellos.

Para acompanhar o começo dos serviços de terraplenagem, também compareceram: o vice-presidente da Câmara Municipal, Márcio Antônio de Camargo (PSDB), e os vereadores João Éder Alves Miguel (MDB), Paulo Sergio de Almeida Martins (PRTB) e Levi Soares (União Brasil); os secretários municipais Marco Luiz Rezende, de Obras e Infraestrutura; Renato Pereira de Camargo, do Governo e Negócios Jurídicos; Gustavo Duarte Elias de Almeida, da Administração e Transporte Público; José Hélio de Oliveira Júnior, do Agricultura e Meio Ambiente; Alessandro Bosso, da Assistência e Desenvolvimento Social; Elisângela da Costa Rosa Cecílio, da Educação; Cassiano Sinisgalli, do Esporte, Cultura, Turismo e Lazer; Elaine Leite de Camargo Miranda, dos Direitos Humanos, Família e Cidadania; Tirza Luiza de Melo Meira Martins, da Saúde; Miguel Ângelo de Campos, da Segurança Pública e Mobilidade Urbana; e o chefe de gabinete do Executivo, Christian Pereira de Camargo.

Os apartamentos do empreendimento “Tatuí H” terão dois dormitórios, sala, cozinha, banheiro e área de serviço, com espaço útil que varia de 47,57 m² a 50,95 m².

Cada unidade terá pisos cerâmicos em todos os cômodos, azulejos nas paredes, medidores de água individualizados, acessibilidade e infraestrutura completa. O prazo contratual da obra é de 30 meses.

Em 2018, quando começaram as tratativas com o governo do estado, através da então prefeita Maria José Vieira de Camargo, a previsão de construção era de 158 apartamentos. No entanto, houve aumento de mais 70 unidades. Os sorteios das habitações já foram realizados em 2020, eletronicamente e na Concha Acústica Municipal.

Para o prefeito Cardoso Júnior, “este é um momento especial para a cidade, particularmente para o bairro Inocoop, já que a obra engrandecerá a região, que é importante para Tatuí e trará mais moradores e desenvolvimento”.

“Esta é uma das conquistas que temos tido e que nos enche de expectativa, para que continuemos lutando pelo desenvolvimento de Tatuí e pelo bem-estar dos moradores, a sua casa própria, que é um sonho para qualquer pai ou mãe. Fico muito feliz de poder colaborar para este momento, que é histórico”, declarou o prefeito.

Cardoso Júnior acrescentou que, mesmo com o retardamento do início das obras, em razão de tratativas necessárias, a adição de novas moradias ao projeto fez com que a população ganhasse.

“Conseguimos contemplar, além das pessoas sorteadas, também quem está na lista de espera. Isso mostra a sensibilidade e a responsabilidade que os gestores deste projeto têm”, enfatizou.

A O Progresso de Tatuí, Amary explicou o esquema de financiamento dos imóveis, que seguirá os critérios da CDHU e as novas diretrizes da Política Habitacional do Estado, que, segundo ele, preveem juros zero para famílias com renda mensal de até cinco salários-mínimos.

“Assim, as famílias pagarão praticamente o mesmo valor ao longo dos 30 anos de contrato, que sofrerá apenas a correção monetária calculada pelo IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), índice oficial do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística)”, disse.

Para Amary, o “momento de retomada econômica é essencial” e projetos como a construção de casas próprias “contribuem para este crescimento”.

“A geração de empregos que um empreendimento como este proporcionará a Tatuí é outro detalhe importante a ser frisado aqui, já que o investimento é bastante significativo”, destacou Amary.

Complementando o comentário do prefeito Cardoso Júnior, Amary acrescentou que, no projeto inicial, antes da pandemia de Covid-19, as unidades eram menores.

Nisto, o projeto passou por uma revisão, na qual os apartamentos ficaram maiores e, desta forma, mais pessoas pudessem ser contempladas. “Aumentando a estrutura, conseguimos atingir mais munícipes, e isto faz toda a diferença. Tudo tem seu tempo”, mencionou.

Amary salientou que já está conversando com o Executivo municipal para, futuramente, implantar mais um programa habitacional da CDHU em Tatuí, o “Viver Melhor”.

De acordo com Amary, o projeto propõe solucionar problemas como cômodos sem ventilação, presença de umidade, paredes desgastadas, ausência ou insuficiência de equipamentos hidráulicos e instalações elétricas, precariedade na conexão com redes de abastecimento de água e coleta de esgoto, acessos precários ao domicílio e vedações insuficientes.

DEIXE UMA RESPOSTA

entre com sua mensagem
entre com seu nome