Vacinas aprovadas contra a gripe

Dr. Jorge Sidnei R. da Costa – Cremesp 34708 *

Recentemente, tem havido um surto pelo vírus H3N2 (cepa Darwin) e muitos casos de morte.

Conheça as vacinas que podem ser aplicadas neste ano tanto na rede pública como na privada. E quais os grupos prioritários que podem recebê-las de graça.

Todo ano, a composição das vacinas contra a gripe muda. O governo refaz essa lista todo ano, porque as companhias precisam atualizar a composição dos imunizantes baseadas nas mutações constantes do vírus influenza e nos subtipos com maior probabilidade de circular pelo país nos próximos meses.

Campanha já começou

Mais de 50 mil postos em todo o Brasil já começaram a receber idosos e trabalhadores de saúde, público-alvo da primeira etapa da Campanha de Vacinação contra a Influenza e o Sarampo.

Realizada pelo Ministério da Saúde, a ação acontece em duas etapas e tem como principal objetivo prevenir o surgimento de complicações decorrentes das doenças, evitando novos óbitos e possível pressão sobre o sistema de saúde.

Na primeira etapa, idosos e trabalhadores de saúde recebem a vacina contra a influenza. Já os trabalhadores da Saúde devem, também, atualizar a caderneta de vacinação, caso não tenham tomado o imunizante contra o sarampo.

Para tirar as principais dúvidas da população, o secretário de Vigilância em Saúde, Arnaldo Medeiros, atendeu à equipe do Ministério da Saúde e respondeu às perguntas mais comuns do público.

1 – Quem pode se vacinar contra a gripe?

Na primeira fase da campanha, que ocorre até o dia 30 de abril, são vacinados os idosos (pessoas com 60 anos ou mais) e trabalhadores de saúde.

Já na segunda fase, que será realizada entre 2 de maio e 3 de junho, serão vacinadas pessoas de 14 grupos. Entre eles, estão crianças de 6 meses a menores de 5 anos, gestantes e professores, pessoas com comorbidade e com deficiência permanente, além de outros.

Este ano, além da vacina contra a gripe, as crianças e os trabalhadores de saúde também devem tomar a vacina contra o sarampo. A meta é vacinar todas as crianças contra o sarampo de forma indiscriminada, mesmo que já tenham recebido o imunizante, além de atualizar a caderneta dos trabalhadores de saúde.

2 – Posso tomar as doses no mesmo dia?

Não há nenhuma contraindicação em receber as vacinas contra a gripe e o sarampo de forma simultânea. O Ministério da Saúde adotou essa estratégia de vacinação para aproveitar uma única ida da família aos postos para a aplicação dos dois imunizantes. Assim, elevaremos as coberturas vacinais e garantiremos maior proteção à população.

3 – Pode tomar a vacina da gripe ou do sarampo junto com a da Covid-19?

Pessoas acima de 12 anos não precisam cumprir intervalo entre os imunizantes. Dessa forma, as doses das vacinas podem ser administradas no mesmo dia.

A exceção é para crianças entre 5 e 11 anos que sejam indígenas, que tenham alguma comorbidade ou deficiência. Isso porque esse público é considerado, nas campanhas, pelo critério do grupo prioritário, e não da faixa etária. Portanto, devem esperar prazo de 15 dias, após o imunizante da Covid-19, para receber as vacinas de gripe, sarampo e demais vacinas do PNI. O Ministério da Saúde orienta, ainda, que seja priorizada a vacina contra a Covid-19.

Importante lembrar que não existem vacinas Covid-19 aprovadas para crianças menores que 5 anos, público-alvo da campanha de gripe e sarampo. Dessa forma, o intervalo não se aplica.

4 – Vacinação particular

Indivíduos que não se encaixam nessa lista podem procurar a rede privada para se proteger. Os valores devem variar entre R$ 150 e R$ 175 por dose, até o final de junho e começo de abril, sendo que poderá ser feito dentro das empresas para os seus funcionários, saindo assim com um valor menor do que a dose individual

Assim, a empresa estará beneficiando seu quadro de funcionários e evitando o absenteísmo (falta ao trabalho). O custo-benefício desse ato é extremamente positivo para as empresas.

Quanto aos dois tipos de vacinas (trivalente e tetravalente), já recebemos a quadrivalente, que contém o vírus H1N1, o H3N2 (cepa Darwin) e dois vírus comum do tipo B (vírus Áustria e vírus Phuket).

Quem analisa os dados epidemiológicos e faz essa seleção dos vírus que contém na vacina anual é a Organização Mundial de Saúde (OMS), com o auxílio de instituições de todo o mundo, inclusive do Brasil.

A OMS não indica preferência por um tipo ou outro da vacina. O importante mesmo é vacinar-se o mais breve possível, antes que a gripe chegue!

Fonte: https://www.gov.br/saude/pt-br e arquivos do “Sou Doutor Cevac” – Centro de Vacinação de Tatuí.

* Médico pediatra com título de especialista em pediatria pela AMB e SBP e diretor clínico do da Clínica “Sou Doutor Cevac”. Visite nosso site: www.soudoutorcevac.com.br ou ligue (15) 99606-6136 para mais informações.

DEIXE UMA RESPOSTA

entre com sua mensagem
entre com seu nome