Taxa de ocupação de leitos clínicos fica abaixo de 100% após 2 meses

Internação na UTI tem redução, mas segue acima de capacidade máxima

18
Publicidade
Da redação

Estes dias 7 e 8, quarta-feira e quinta-feira, foram os primeiros, em dois meses, com registro de ocupação abaixo de 100% na área de leitos clínicos da Santa Casa de Misericórdia. Desde o dia 6 de maio, até então, o serviço mantinha-se em superlotação, passando de 200% em alguns períodos.

Conforme a Vigilância Epidemiológica, o espaço, reservado para tratamento de Covid-19 no hospital público, comporta 22 pacientes. Porém, em virtude da ampliação de leitos, estavam internados, na quinta-feira, 8, 21 pacientes, culminando em taxa de ocupação de 95%.

Já a ocupação dos leitos da unidade de terapia intensiva destinados ao tratamento de pacientes com Covid-19 ou suspeita da doença também teve redução em relação à semana anterior, porém, mantinha-se com lotação acima de 100% – isso desde o dia 3 de março, há mais de quatro meses.

O órgão afirma que a Santa Casa tem capacidade para dez leitos de UTI, no entanto, devido à ampliação de atendimento, estavam internados 12 pacientes com Covid-19 na unidade (taxa de ocupação de 120%). Na semana anterior, havia 16 pacientes internados, 40% a mais.

No hospital particular, estavam internados 12 pacientes, sendo seis na unidade de terapia intensiva, com quadros que inspiravam cuidados, e seis na ala de isolamento, com quadros estáveis.

Publicidade

Entre sábado passado, 3, e quinta-feira, 8, o balanço semanal da Covid-19 voltou a apresentar reduções simultâneas, tanto no número de novos moradores contaminados como no número de vítimas fatais.

Em virtude do feriado estadual em homenagem à Revolução Constitucionalista de 1932, celebrado nesta sexta-feira, 9, o fechamento desta edição de O Progresso ocorreu no dia anterior.

Desta forma, o atual levantamento feito com base nos boletins diários da Vigilância Epidemiológica, órgão da Secretaria Municipal de Saúde, considera um período de seis dias, entre sábado, 3, e quinta-feira, 8, enquanto o próximo irá considerar um intervalo de oito dias, de sexta-feira, 9, à sexta-feira seguinte, 16.

Em comparação ao período anterior, de sábado, 26 de junho, a sexta-feira, 2, quando foram confirmadas 23 mortes em decorrência da doença, os nove óbitos notificados nesta semana representam redução de 60,87%. O índice é 73,53% menor se comparado ao pico (de 3 a 9 de abril), quando Tatuí teve 34 falecimentos pela doença.

As mortes mais recentes foram notificadas pelo órgão municipal na manhã de quinta-feira, 8. Trata-se de dois homens falecidos no dia anterior: um de 68 anos, às 7h30, na UTI da Santa Casa; e outro de 62, às 17h, na UTI do hospital particular.

No mesmo boletim epidemiológico, a VE informou que o exame de um idoso de 83 anos que foi a óbito na terça-feira, 6, durante internação no hospital público e havia sido registrado como morte suspeita, testara positivo para a doença.

Com os novos falecimentos confirmados nesta semana, até a manhã de quinta-feira, 8, o município havia contabilizado 421 mortes provocadas pela Covid-19, com a doença ainda matando mais homens que mulheres.

Desde o começo da pandemia até então, a doença havia vitimado 182 mulheres, sendo 126 na faixa acima dos 60 anos e 56 entre 29 e 59 anos (43%), e 239 homens, com 160 vítimas acima dos 60 anos e 79 entre 29 e 59 anos (57%).

Os números representam taxa de 2,46% de letalidade – índice calculado pelo número de óbitos em comparação à quantidade total de casos confirmados de infecção.

De forma semelhante, o balanço semanal de testes positivos para a doença apresentou queda pela quinta semana consecutiva. Entretanto, o número ainda é superior ao registrado em todas as semanas do ano passado, com 323 exames positivos nos seis dias recentes.

Na semana anterior, de 26 de junho a 2 de julho, a VE registrara 420 tatuianos contaminados pela doença – o que representa redução de 23,09% no período. Em comparativo ao pico de infecções (29 de maio a 4 de junho), quando o órgão registrou 979 casos, a queda é de 67%.

A média de diagnósticos da doença, entre sábado e quinta-feira, foi de 53,3 moradores infectados por dia, o equivalente a 2,24 exames positivos por hora. Durante o período, o município teve 1.504 novas notificações da doença, confirmou 323 e descartou 1.182.

Somente nos últimos dois dias (quarta-feira e quinta-feira), foram contabilizadas mais 495 notificações do novo coronavírus, das quais 73 foram confirmadas (com nove falecimentos) e 407, descartadas.

No balanço anterior de O Progresso, com dados até terça-feira, 6, a cidade possuía 64.287 notificações, sendo oito casos suspeitos ainda aguardando resultado de exames, 47.221 descartados e 17.058 positivos.

Conforme o boletim epidemiológico mais recente, atualizado na manhã desta quinta-feira, Tatuí contabilizava 64.782 notificações da doença, sendo 23 casos suspeitos aguardando resultado dos testes, 47.628 descartados e 17.131 positivos.

Dos confirmados, 16.534 já estavam recuperados (96,5%), 421 morreram e 176 ainda estavam em tratamento: 41 em hospitais e 135 em isolamento domiciliar. Dos 23 casos suspeitos, permaneciam em tratamento: quatro em hospitais e 19 em casa.

Publicidade