Seis dicas de saúde para a volta às aulas

506

Férias de julho terminando e as aulas já chegando, excelente momento para levar a “petizada” ao pediatra, realizar alguns exames de rotina e tomar alguns cuidados especiais. Confira aqui algumas dicas para uma volta às aulas mais tranquila.

1) Coloque a saúde em dia

A – Agende uma consulta com o pediatra. É muito importante marcar visitas periódicas ao pediatra para pesar, medir, examinar e, sempre que necessário, solicitar exames de rotina. O controle de saúde deve ser feito sempre e não só levar a criança ao médico quando estiver doente. É muito importante que se faça a prevenção.

A Sociedade Brasileira de Pediatria recomenda que dos três aos cinco anos as crianças realizem pelo menos uma consulta semestral e, a partir dos seis anos, uma consulta anual, podendo esse tempo ser menor, dependendo de cada criança ou se apresentar algum problema.

B – Agende uma consulta com o dentista. Além da visita ao pediatra, é preciso cuidar dos dentes, consultando um dentista. É recomendado que o intervalo das consultas a partir dos três anos seja de aproximadamente seis meses, não ultrapassando um ano. Aproveite esse momento para conversar sobre higiene oral e aprender como se realiza uma escovação correta.

C – Agende uma consulta com o oftalmologista – importantíssimo este item. Pesquisas apontaram que cerca de 85% do aprendizado infantil se fazem por meio de interações visuais, mas apenas uma pequena parcela das crianças realiza algum tipo de avaliação oftalmológica em idade escolar.

É recomendado fazer uma consulta aos três e aos cinco anos;  depois, essa avaliação passa a ser anual ou a cada dois anos, justificado pelo fato de que ocorrem mudanças durante o crescimento das crianças e, por vezes, elas não percebem que algo está errado com a visão, prejudicando no aprendizado e no dia a dia, principalmente a miopia.

Para aqueles que já usam óculos, aproveitem esse período para passar por nova avaliação, para conferir se o grau se mantém o mesmo, se as lentes estão riscadas ou as armações, tortas.

D – Faça uma avaliação da audição. Marque uma consulta com o otorrinolaringologista, principalmente se sua criança fala muito alto, aumenta muito o volume da TV, às vezes, tem dificuldade de entender o que as pessoas falam e apresente dificuldade no desempenho escolar. Isso pode indicar algum problema na audição, prejudicando o aprendizado escolar.

2) Vacinação em dia

Aproveite a época para revisar a caderneta de vacinação para ver se não tem nenhuma vacina atrasada ou uma próxima para fazer. O contato com crianças doentes aumenta muito nas escolas. As vacinas são essenciais para protegê-las de diversas doenças infecto-contagiosas.

Deve-se ter cuidado especial com o sarampo e a gripe suína. Uma criança maior de 15 meses já deve ter tomado duas doses de vacina contra o sarampo. A primeira, com 12 meses (tríplice viral: sarampo, caxumba e rubéola) e com 15 meses (a tetra viral: sarampo, caxumba, rubéola e varicela). Também crianças acima de seis meses já precisam tomar a vacina contra a gripe.

No Cevac, estamos aplicando a vacina trivalente de 2019, de origem holandesa, que protege contra três vírus da gripe: o H1N1 (suína), o H3N2 e o vírus B (gripe comum). É uma vacina que precisa ser repetida anualmente. Enfim, existem outras vacinas importantes e que não fazem parte do calendário oficial do SUS e que você encontra nas clínicas particulares.

São os casos das vacinas contra a meningite meningocócica, doença extremamente grave e que tem um alto índice de mortalidade. Temos disponível a vacina ACWY, contra esses quatro tipos de meningococos, e temos a Meningite B, que atinge atualmente quase 58% dos casos de meningite no Brasil.

3) Olho no peso da mochila

O peso da mochila não deve ultrapassar 10% do peso da criança. Caso não tenha como reduzir, é recomendado o uso de mochilas com rodinhas. As mochilas com rodinhas devem respeitar também o limite de peso, a altura da criança, manter sempre o braço esticado e alternar os lados na hora de carregar.

Para verificar se a criança está puxando a mala corretamente, é só observar se suas costas estão eretas. Ajude as crianças a organizar o material escolar e levar apenas o necessário para cada dia.

 4) Reavalie a alimentação

Aproveite a oportunidade para reavaliar se a alimentação das crianças e da família está saudável. Evite alimentos industrializados (principalmente, salgadinhos) nas lancheiras, dando sempre preferência a frutas e alimentos saudáveis e naturais.

5) Rotina e sono em dia

Durante as férias, o relógio biológico fica todo bagunçado e voltar à rotina pode não ser muito fácil. A dica é começar a ajustar a rotina pelo menos alguns dias antes das aulas iniciarem, colocando as crianças para dormir cada dia mais cedo e respeitando os horários de acordar e das refeições.  As crianças de três a cinco anos devem dormir pelo menos 10 a 13 horas por dia e as de 6 a 13 anos, pelo menos de 9 a 11 horas.

6) Apoio emocional

Para muitas crianças, voltar às aulas é um momento de grande ansiedade, angústia e estresse. Converse bastante com elas, participe da escolha do material escolar, pontue as coisas positivas que a escola trará e esteja sempre perto para apoiar e incentivar, acompanhando-as até a escola pessoalmente. Ajude a entender o que a criança aprende na escola e ajude na elaboração da tarefa de casa, todos os dias. E boas aulas!

 Fonte: Blog dr. Consulta

* Médico pediatra com título de especialista em pediatria pela Associação Médica Brasileira (AMB) e Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), Membro da SBIm (Sociedade Brasileira de Imunizações) e Diretor do Cevac – Centro de Vacinação de Tatuí.