Rotary mobiliza para doação e faz deferência a músicos do município

621
Secretária da Educação, Marisa Kodaira, recebe doações de livros do presidente rotariano, Godoy Nogueira (foto: Cristiano Mota)
Publicidade

Em reunião ordinária, o Rotary Club de Tatuí “Cidade Ternura” promoveu duas homenagens. A primeira, uma deferência aos músicos do município, aconteceu por conta do Dia do Músico; a segunda, uma doação, teve como origem o Dia do Livro.

O evento que marcou as comemorações aconteceu na noite de quarta-feira, 22, na sede do clube. Ele foi precedido por uma mobilização, com a qual o Rotary arrecadou livros.

Os exemplares foram cedidos à Secretaria Municipal da Educação e recebidos, de maneira simbólica, pela titular da pasta, professora Marisa Aparecida Mendes Fiúsa Kodaira. A entrega foi feita pelo presidente do clube de serviços, Antonio de Godoy Nogueira.

“Nós estamos prestando homenagens aos músicos da cidade, independentemente de serem instrumentistas ou cantores, e contribuindo com a educação”, comentou.

Para prestar os reconhecimentos, Nogueira contou que o clube envolvera associados e não associados. No caso da música, para a escolha dos homenageados, a diretoria recebeu apoio de Wilson Bertrami. Com relação aos livros, o Rotary recebeu suporte do público interno e externo para as arrecadações.

Publicidade

Livros dos mais diversos estilos foram arrecadados pelos membros, por meio de campanha. “Pessoas não só da Cidade Ternura, mas que estudaram e se casaram em Tatuí, participaram com doações. Nós fomos juntando os materiais e conseguimos, com alguns companheiros e conhecidos, o acervo que estamos repassando à Educação”, disse o presidente.

Marisa destacou que a cessão é uma iniciativa importante porque contribui com a cultura da cidade. “Como professora, é uma honra participar de um evento como esse. Estou muito sensibilizada com essa lembrança”, declarou ela.

A secretária adiantou, ainda, que os livros serão triados, catalogados e, posteriormente, franqueados à Biblioteca Municipal “Brigadeiro Jordão”, que funciona na praça Martinho Guedes, 12, no centro.

“Com isso, um número maior de pessoas poderá ter acesso às obras. Acredito que deva haver algumas relíquias dentre esses livros. Então, estou com uma expectativa muito positiva a respeito da doação”, avaliou a secretária.

Além dos livros, o clube entregou certificados “de mérito e de apreço” aos músicos. Entre os homenageados, estiveram Eduardo Fiusa, filho do seresteiro José Fiuza. Este último, homenageado com uma estátua instalada na praça que abriga o MHPS (Museu Histórico “Paulo Setúbal”).

“Comecei a tocar pequeno, mas mais intensamente em 1975. Fui aprendendo sozinho e com conhecidos, mas só toco ‘nas brincadeiras’”, afirmou Fiusa.

Apesar de o sobrenome ser diferente do pai, por um “erro no cartório”, Fiusa seguiu os passos similares na música aos dados pelo seresteiro já falecido. Tocou no grupo “Urubu Celeste”, no conjunto formado com primos, em Cesário Lange, e no Conjunto Ternura, ao lado do pai e de outros músicos.

No conjunto, participou de gravações de CDs e registrou presença em trabalhos de cantores como Roberto Rosendo. “Por tudo isso, fui convidado, hoje, a tocar no que chamamos de ‘conjunto catado’”, brincou o violonista.

Para o presidente do Rotary, mais que um tributo, o evento representou oportunidade ao clube de aproximar-se da sociedade. Nogueira ressaltou que as homenagens têm o caráter de valorizar pessoas e trabalhos e de estreitar relações entre eles e o clube.

“O Rotary faz parte da Capital da Música. Então, nada mais justo do que se lembrar de quem faz a cidade”, apontou.

No clube, os homenageados ainda participaram de confraternização. “Todas as nossas reuniões, ao final, terminam normalmente com jantar”, explicou o presidente.

Segundo ele, os encontros são abertos à comunidade. Eles acontecem todas as quartas-feiras, a partir das 20h, na rua Santa Terezinha, 71, no centro.

Publicidade