Pela primeira vez, município elege 4 mulheres para o Poder Legislativo

1176
Publicidade
Da reportagem
Cíntia Yamamoto Soares (PSDB)

Neste domingo, 15, pela primeira vez na história, quatro mulheres foram eleitas para mandatos em simultâneo no Legislativo tatuiano. O número é recorde para a participação feminina na Casa de Leis. Da nova composição da Câmara, elas ocuparão 23,52% das cadeiras na 18ª legislatura.

Cíntia Yamamoto Soares, do PSDB (Partido da Social Democracia Brasileira), foi a mais votada entre as mulheres, encabeça a lista de melhor desempenho do partido e ocupa a segunda colocação entre geral dos eleitos.

A candidata recebeu 1.634 votos e assumirá o primeiro mandato na

Gabriela Xavier (Podemos)

Câmara como a mulher mais votada. A O Progresso, Cíntia afirmou ter ficado surpresa com o resultado nas urnas.

“Eu não esperava essa quantidade de votos, mas acredito que o resultado é reflexo do meu trabalho. Durante a campanha, fizemos um trabalho de formiguinha,com meus amigos e com minha família,e foi uma surpresa ser a segunda candidata com maior número de votos”, declarou a eleita.

Publicidade

Gabriela Xavier, do Pode (Podemos), é a segunda mais votada entre as mulheres e a quinta na lista geral dos eleitos. Com 1.235 votos, ela assumirá o primeiro mandato na gestão 2021/2024.

Débora Camargo (PSDB)

“Sou protetora de animais, e minha luta diária neste setor foi minha campanha para a eleição. Acredito que o trabalho que desenvolvo me ajudou e que as pessoas estão reconhecendo a importância de ter um protetor de animais nos representando no Legislativo”, disse Gabriela.

Também do PSBD, foi eleita Débora Camargo, com 981 votos, e pelo PP (Partido Progressista), a candidata Micheli Cristina Tosta Gibin Vaz, a Micheli Vaz, com 663 votos. Até o fechamento desta edição (terça-feira, às 17h), a reportagem não conseguiu contato com elas.

Micheli Cristina Tosta Gibin Vaz (PP)

No Legislativo municipal, desde o ano de 1948 até a atualidade, apenas quatro mulheres haviam sido eleitas, em seis das 17 legislaturas passadas. A primeira, Maria José Paschoal, entrou na Câmara em 1956, somente na terceira legislatura (reportagem na próxima edição).

Publicidade