Novo comandante assume CB e quer melhorar atendimento

273
Publicidade





Amanda Mageste

Novo comandante acredita que equipamentos modernos ajudem na qualidade do atendimento

 

O 2º Subgrupamento do Corpo de Bombeiros está sob novo comando: o capitão Cláudio Augusto Antunes da Silva, de Botucatu, assumiu a corporação local no dia 7 de julho.

O capitão explicou que a troca de comando é comum nos Corpos de Bombeiros, por motivo de promoções de oficiais. “Quando o oficial é promovido, ele acaba transferido para ocupar o cargo no local para o qual foi promovido”, explicou.

Publicidade

Antunes da Silva disse que uma das mudanças que serão promovidas no CB é a melhora no contato com o Samu (Serviço de Atendimento Móvel e Urgência), para “unificar” o atendimento em casos de resgate.

De acordo com o capitão, ele e a coordenadora dos serviços de urgência do município e responsável pelo Samu, Roberta Lodi Molonha Machado, estão em reuniões para efetivar melhoria nos atendimentos de resgate.

Conforme ele, não pode acontecer de uma pessoa ligar para o Samu e o Corpo de Bombeiros, e os dois serviços de resgate irem até o local para atendimento à ocorrência.

“Com uma comunicação, já acontece uma melhora no atendimento. A gente consegue se comunicar na hora, pelo rádio, com o Samu, para saber se a viatura de lá já foi acionada ou não”, explicou o capitão.

Segundo ele, esse contato é importante para manter as unidades de resgate com viaturas disponíveis para novas ocorrências. “Acho que a gente tem que buscar sempre essa melhoria, essa parceria”, comentou.

Outra mudança que Antunes Silva está promovendo é o início do PAM (Plano de Auxílio Mútuo) na cidade. Esse projeto visa receber ajuda de empresas, com equipamento, para melhorar os atendimentos e salvamentos realizados pela corporação.

O capitão explicou que os empresários da cidade e região podem colaborar em grandes ocorrências. Por exemplo, se há um incêndio no qual os bombeiros necessitam de muita água, uma empresa que possui caminhão de água manda o veículo para apoiar e agilizar a operação.

Não somente com caminhões de água as empresas podem ajudar. O capitão explicou que a corporação necessita de diversos equipamentos para auxiliar em atendimentos.

“Às vezes, algum outro equipamento que precisamos as empresas têm. A gente usa muito, por exemplo, em incêndio, grandes tratores, empilhadeiras e máquinas para revirarmos entulho. Sem isso, não conseguimos apagar o fogo. Então, esse apoio é muito importante para a gente”, explicou.

Antunes da Silva disse que também montou um grupo no subgrupamento, chamado de força-tarefa, com o objetivo de realizar treinamentos intensos na parte de estruturas colapsadas, incêndios e resgates.

Além das mudanças previstas, o comandante disse que pretende continuar com o trabalho do ex-capitão Alexandre Riquena Costa e manter “forte treinamento” entre os bombeiros.

Antunes da Silva afirmou que, no tempo em que está à frente da corporação, viu uma equipe bem treinada. “Gostei da tropa que tem aqui, gostei do pessoal, tanto aqui como nas outras cidades. Dá para ver que o entrosamento, o treinamento deles é muito bom”.

O capitão disse que também gostou do “fácil contato” que teve com a Prefeitura. De acordo com ele, o prefeito José Manoel Correa Coelho, Manu, está “ajudando bastante a corporação e sendo acessível aos bombeiros”.

Investimento municipal é algo que o capitão disse que precisa para manter o bom trabalho da corporação, além de melhorar o atendimento. Para isso, o prefeito afirmou que, no ano que vem, fará um concurso para bombeiro municipal.

De acordo com o capitão, se houver aumento do efetivo, será possível colocar mais viaturas nas ruas, em caso de mais de um resgate ou de atendimento com mais vítimas.

Além de aumento do efetivo, o capitão disse que é importante sempre estar atento e melhorar os equipamentos que os bombeiros utilizam em casos de resgates e emergências.

Para ele, quanto mais moderno forem os equipamentos, mais segurança e rapidez a corporação pode oferecer à população.

“As viaturas são bem equipadas. Nós temos material, equipamentos para qualquer tipo de ocorrência: altura, incêndio, afogamento e parte de resgate. É bem completa essa parte de equipamento, mas a gente sempre busca verificar novas tecnologias para implementar”, destacou.

Conforme ele, alguns materiais são baratos e oferecem bastante segurança, necessitando de menos força física ou menor número de bombeiros em algumas ocorrências de resgate.

Porém, de acordo com o capitão, a corporação é capacitada para atender qualquer tipo de ocorrência. Mesmo necessitando de equipamentos para melhorar a qualidade dos resgates.

Antunes da Silva argumentou que a população pode esperar que ele tenha comprometimento com a equipe e que realizará melhorias no treinamento e nos serviços.

“Atendimento sempre precisa melhorar, sempre precisa buscar qualidade. Porque, às vezes, um detalhe que para a gente acaba sendo comum, para a vítima faz diferença”, observou.

“A corporação tem que ter um atendimento rápido, mas com qualidade. Então, eu busco essa melhoria. Sempre melhorar treinamento e essa parte de equipamento. Para mim, isso é fundamental”, finalizou o capitão.


Publicidade