Notas policiais

41
  • Mãe transfere R$ 2.400 para liberar filho de sequestro falso

Uma aposentada de 79 anos, moradora do Jardim Santa Rita de Cássia, caiu em golpe ao pagar o valor do resgaste de um filho que supostamente teria sido sequestrado na quinta-feira, 8. Os criminosos lesaram a vítima em R$ 2.400.

Segundo relatado, às 3h44, a aposentada recebeu uma ligação, no telefone fixo, de um sujeito afirmando que, com a “equipe” dele, teria sequestrado o filho dela. O criminoso pediu R$ 2.400 para não o matar, enquanto uma pessoa, passando-se pelo filho dela, gritava por socorro.

A aposentada teria ficado muito nervosa e telefonado para uma neta. Pela manhã, por volta das 9h, a neta foi a uma agência lotérica e efetuou dois depósitos: no valor de R$ 1.300, em benefício de “Juliana Cristina S. Oliveira”, e de R$ 1.100, na conta de “Rodrigo Carlo P. Bastos”.

O golpista teria ligado às 9h30 e, após a vítima confirmar o pagamento, respondeu que iria verificar as contas. Meia hora depois, teria ligado mais uma vez, exigindo o pagamento de R$ 15 mil.

No entanto, a vítima já havia contatado o filho e, sabendo que se tratava de golpe, passou a ser xingada pelo criminoso.


  • Casa de comerciante no SC sofre furto de R$ 15.900

Um comerciante teve a residência dele, situada na vila São Cristóvão, invadida e furtada na madrugada de sábado, 10. Do imóvel, além de artigos eletrônicos, foram subtraídos R$ 15,9 mil.

Conforme relatado, o comerciante deixou a residência, por volta das 19h do dia anterior, para dormir em outro local. Por volta das 3h, um vizinho teria escutado barulho e visto luzes acesas, porém, pensou que seria o proprietário do imóvel e optou por não acionar a Polícia Militar.

O comerciante disse à PC que, às 12h10, retornou para casa e verificou que o local havia sido invadido e revirado. A vítima constatou que alguns objetos e garrafas haviam sido quebrados, além de notar a falta de: uma panela elétrica; uma TV de 50 polegadas; um DVD e um videocassete; dois celulares; 25 peças de roupas; e R$ 15,9 mil, sendo R$ 900 em moedas de R$ 1.


  • Jovem colide com viatura da GCM ao tentar fugir na SP-127

Um estudante 18 anos foi preso, na noite de sábado, 10, na rodovia Antônio Romano Schincariol (SP-127), acusado de tentativa de roubo e tráfico de drogas.

Durante a tentativa de fuga, a motocicleta em que ele estava na garupa colidiu com uma viatura da Guarda Civil Municipal. O condutor ainda conseguiu escapar.

Conforme a GCM, por volta das 23h30, pela rua Coronel Bento Pires, uma equipe deu ordem de parada aos ocupantes de uma Honda, modelo XRE 300 ABS, suspeitos de terem participado de um roubo pouco antes. O condutor tentou fugir e foi acompanhado pela guarnição até a rodovia.

Segundo a GCM, no quilômetro 111,5, sentido sul, o condutor perdeu o controle da moto e colidiu com a viatura, porém, conseguiu fugir a pé. Lesionado, o estudante, que estava na garupa, foi capturado com um simulacro de arma de fogo e 16 porções de cocaína. No local, ainda foi apreendido um celular, pertencente ao homem que escapara dos guardas.

De acordo com a corporação, o estudante foi encaminhado ao Pronto-Socorro Municipal “Erasmo Peixoto” e, depois, ao plantão policial. Lá, a vítima da tentativa de roubo reconheceu a motocicleta e os capacetes.

O acusado, de acordo com o boletim de ocorrência, identificado como Ailton Aparecido Trevisan Júnior, negou os crimes. O estudante recebeu voz de prisão em flagrante, sem possibilidade de fiança, permanecendo à disposição da Justiça.


  • Mulher tem 2 carros recolhidos por embriaguez em única noite

Uma aposentada de 67 anos foi detida, na madrugada de domingo, 11, acusada de embriaguez ao volante. Após ter um carro apreendido, ela compareceu na 2ª Companhia do 22º Batalhão de Polícia Militar conduzindo outro veículo, o qual também acabou recolhido.

De acordo com a corporação, a aposentada e o namorado haviam sido multados por embriaguez ao volante no início da madrugada. Ela se recusou a fazer o teste do etilômetro e o automóvel foi apreendido administrativamente.

“Inconformada” e dirigindo outro veículo, segundo a PM, às 1h42, a mulher esteve na base da PM, alegando que os policiais teriam “roubado o carro dela”. Os agentes conduziram-na ao plantão policial e submeteram-na ao “teste do bafômetro”, constatando-se o estado de embriaguez.

Conforme a PM, a aposentada confessou que havia ingerido bebida alcóolica, “como todos os dias”. Questionada sobre dirigir embriagada, ela respondeu que “não faz mal a ninguém”. Ela recebeu voz de prisão, mas foi liberada após pagar fiança de R$ 1.000.