Notas policiais

691
  • Atropelamento provoca morte de idoso de 71 anos na SP-127

Um operador de máquinas de 71 anos, identificado como Olegário Rodrigues, faleceu ao envolver-se em um acidente na noite de sexta-feira, 12. A vítima foi atropelada por um carro na rodovia Antônio Romano Schincariol (SP-127).

Segundo um neto da vítima, o atropelamento aconteceu por volta das 19h30 e a ocorrência foi atendida pela Polícia Militar Rodoviária. Rodrigues foi socorrido e encaminhado à UPA (unidade de pronto-atendimento), dando entrada às 20h11, mas, devido aos ferimentos, faleceu às 21h39.

Conforme o boletim de ocorrência, registrado como homicídio culposo na direção de veículo, o veículo,um Ford Ka, era conduzido por um estudante de 25 anos. O delegado requisitou exame necroscópico e complementar da vítima e determinou o registro da ocorrência para abertura de inquérito policial.


  • Homem responsabiliza irmão por furto de botijão de gás

Um ajudante de 33 anos teve um botijão de gás subtraído da residência dele, na manhã de sábado, 13, no Jardim Lírio. Horas depois, ele registrou boletim de ocorrência na Delegacia Central responsabilizando o irmão, que reside no mesmo imóvel, pelo furto.

Conforme relatado, o ajudante havia deixado o trabalho e chegou em casa por volta das 11h30. Logo depois, constatou que o botijão de gás, de 13 quilos e avaliado em R$ 120, não estava na cozinha.

A homem disse à PC que suspeita que o irmão dele tenha furtadoo botijão porque é viciado em entorpecentes e, em outras oportunidades, já subtraíra outros itens da residência.


  • PM ‘acha’ cocaína escondida em pote de farinha de milho

Um jovem de 21 anos acabou detido, na noite de sábado, 13, por volta das 23h40, suspeito de tráfico de drogas no Jardim Rosa Garcia. Durante a ação, a Polícia Militar apreendeu porções de cocaína, uma moto, celular e dinheiro.

De acordo com a PM, uma equipe fazia patrulhamento quando, pela rua Teófilo de Andrade Gama, avistou um sujeito “alvo de diversas denúncias” trafegando em uma moto preta, Honda, modelo CG 125 Fan KS, “em atitude suspeita”.

Segundo a PM, ao notar que seria abordado, o indivíduo tentou fugir, desrespeitando as ordens de parada. Enquanto estava sendo acompanhado, o jovem se desequilibrou, caiu da motocicleta e, ao levantar-se para correr, acabou capturado pelos policiais.

Durante a abordagem, conforme a PM, os agentes encontraram três porções de cocaína tipo “Aricanduva” e R$ 95. Questionado se possuía mais entorpecentes, o jovem negou e autorizou que os policiais averiguassem a casa dele, na vila Ezequiel.

De acordo com a corporação, em revista no imóvel, os PMs localizaram mais 72 porções de cocaína escondidas em um pote de farinha de milho. Além das drogas, foram encontrados R$ 100 no armário da cozinha e R$ 2.278 no guarda-roupas do acusado.

Conforme o boletim de ocorrência, o suspeito, identificado como Leonardo Weslei Diniz, foi levado ao Pronto-Socorro Municipal “Erasmo Peixoto” e, na sequência, à Central de Flagrantes. Lá, recebeu voz de prisão, sem possibilidade de fiança, permanecendo à disposição da Justiça.


  • ‘Comprador’ pega carro para experimentar e não o devolve

Um protético ficou sem o carro ao emprestá-lo para um suposto comprador experimentá-lo. O caso aconteceu na sexta-feira, 12, mas a vítima só esteve no plantão policial para comunicar o ocorrido dois dias depois.

Conforme relatado, o protético fez um anúncio para vender o veículo dele, da marca Volkswagen, modelo Gol, fabricado em 1996, por R$ 13 mil, no Facebook. Um homem, identificando-se como “Paulo”, conversou com ele pela rede social, demonstrando interesse.

Paulo teria combinado de vir a Tatuí e encontrar-se com o protético, às 12h, próximo a um motel, para trocarem os veículos. Para ficar com o Gol, o sujeito oferecia um Chevrolet Vectra 1997, avaliado em R$ 10.500.

No local marcado, Paulo teria pedido para experimentar o Gol. Contudo, não retornou para concluir a troca ou devolver o carro, além de não ter atendido nenhuma das ligações do tatuiano. Ao verificar o Vectra, o protético notou que a chave estava no contato e foi embora com o carro de Paulo.

Na Delegacia Central, o delegado determinou o registro do boletim de ocorrência como estelionato, para bloquear o Gol, qualificando o Vectra como envolvido, o qual permaneceu em posse do protético.