Notas policiais

646
Publicidade
  • Golpistas enganam 2 vítimas com única história em 26 min

Um operador e um engenheiro mecânico, ambos de 32 anos, foram vítimas de estelionato ao acreditarem estar ajudando amigos. Os golpistas utilizaram os mesmos argumentos para enganar as duas vítimas em menos de 30 minutos, na tarde de sexta-feira, 23.

Segundo relatado pelo operador, ele recebeu uma mensagem de “Alex” pelo WhatsApp, às 15h04. O suposto amigo pediu para que ele depositasse R$ 1.200, alegando que a conta bancária dele estava com problema e precisava pagar o conserto de um veículo.

O operador depositou R$ 1.000 na conta informada, porém, na sequência, o golpista teria pedido mais R$ 750. A vítima teria desconfiado e ligado ao amigo Alex, sendo informado de que o WhatsApp dele havia sido clonado e que não estava pedindo dinheiro.

Conforme relatado pelo engenheiro, às 15h30, o amigo “Alex Sandro” enviou-lhe uma mensagem pelo WhatsApp, pedindo ajuda financeira. O falso amigo também afirmou que estava com problemas bancários e precisava transferir dinheiro para comprar peças ao carro.

O engenheiro disse à PC que realizara dois depósitos, totalizando R$ 1.650. Porém, o estelionatário disse que ele havia transferido o dinheiro para a conta errada. Nesse momento, a vítima ligou ao amigo e descobriu que caíra em golpe.

Publicidade

  • Mulher acaba sem o celular enquanto dormia em bar

Uma mulher de 26 anos acabou ficando sem o celular dela enquanto dormia em um bar, situado no Jardim Rosa Garcia. O caso aconteceu na madrugada de sábado, 24.

Conforme o boletim de ocorrência, a mulher estava no estabelecimento com mais três amigos quando resolveu dormir. Assim que acordou, não encontrou o celular e, ao perguntar sobre o aparelho, as três pessoas negaram tê-lo pegado.


  • Mulher tem carteira furtada dentro de loja na área central

Uma moradora do Jardim Palmira (que não teve a idade divulgada) sofreu furto dentro de uma loja na rua 15 de Novembro, na área central. O crime aconteceu na manhã de quarta-feira, 21, porém, só foi comunicado no plantão policial na tarde de segunda-feira, 26.

De acordo com o boletim de ocorrência, por volta das 11h30, a vítima estava olhando os produtos da loja quando duas mulheres bloquearam a passagem dela no corredor, “fingindo estar observando mercadorias”.

Nesse momento, segundo o boletim, uma terceira mulher esbarrou no ombro da vítima, falando para ela passar. Ao chegar no caixa para pagar os produtos que compraria, a vítima percebeu que estava sem a carteira, que continha documentos pessoais e três cartões bancários.


  • Músico recebe carnê em casa sem ter adquirido automóvel

Um músico de 56 anos, morador da área central, recebeu na residência dele um carnê de financiamento de veículo, na tarde de sexta-feira, 23. Entretanto, ele não havia adquirido nenhum carro. O músico registrou boletim de ocorrência de estelionato três dias depois.

De acordo com o documento, o músico recebeu o carnê do Banco Itaú. Ele entrou em contato com a instituição bancária, afirmando que não havia feito nenhuma compra e foi informado de que se tratava de golpe.

Conforme o boletim, o carnê possui 48 parcelas no valor de R$ 1.818,88, totalizando R$ 87.306,24. Nome, CPF (Cadastro de Pessoa Física) e endereço indicados no falso carnê pertencem ao músico.


  • Suspeito de tráfico escondia drogas em quadro de força

Um porteiro de 25 anos acabou preso, na noite de segunda-feira, 26, por volta das 21h, acusado de tráfico de entorpecentes na vila Esperança. Com ele, a Polícia Militar apreendeu dezenas de pedras de crack, maconha e dinheiro.

Segundo a PM, uma equipe fazia patrulhamento pelo bairro quando recebeu denúncia informando as características e as roupas de um indivíduo, que esconderia entorpecentes no quadro de força de uma residência, na avenida Heleonildes Maciel de Menezes.

No endereço indicado, conforme a PM, os policiais encontraram dois rapazes, sendo que um dispensou algo no chão e o outro “começou a caminhar para deixar o local”. Os agentes identificaram o ajudante geral, de 24 anos, que havia descartado uma pedra de crack e estava com R$ 7.

De acordo com a PM, o ajudante alegou que tinha pagado R$ 3, em moedas, e ainda daria mais R$ 7 pela droga. Ele afirmou que se assustara com a chegada da viatura e não terminara a negociação com o denunciado.

O porteiro, segundo a PM, confirmou a versão do ajudante. Ele estava com R$ 158, além de duas pedras de crack no bolso e um papelote de maconha na carteira. No quadro de força, os agentes localizaram mais 38 pedras de crack.

Os policiais apresentaram os dois indivíduos à Central de Flagrantes. Lá, o denunciado, identificado como Jhonatan Willian dos Santos Oliveira, recebeu voz de prisão, enquanto o ajudante acabou liberado com os R$ 7 que portava.

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

entre com sua mensagem
entre com seu nome