Maioria dos boletins de ocorrência pode ser registrada pela internet

Iniciativa busca evitar aglomerações de pessoas em plantões policiais

453
Orientações são fornecidas por telefone da Delegacia Central
Publicidade
Da reportagem

A partir de quarta-feira, 25, os crimes de estelionato, roubo, furto e ameaças passaram a ser registrados em Delegacias Eletrônicas do Estado de São Paulo. A ampliação do atendimento a distância pelo sistema da Polícia Civil havia sido anunciada pelo governo estadual na véspera, devido ao Covid-19.

Na terça-feira, 24, o governador João Doria comunicou que, a partir do dia seguinte, as delegacias eletrônicas passariam a registrar ocorrências como as de ameaça, estelionato, roubo ou furto a estabelecimento comercial, a residência e de carga, e crimes contra o consumidor.

“A única exceção são ocorrências que dependem de coleta imediata de prova, como homicídios, latrocínios, estupros e violência doméstica”, afirmou Doria, em coletiva de imprensa.

A mesma medida se aplica na ação virtual a proteção das mulheres por meio das delegacias da mulher. A delegacia eletrônica pode ser acessada a partir de computadores, smartphones ou tablets, através do site: www.delegaciaeletronica.policiacivil.sp.gov.br.

As ocorrências somam-se a outros crimes que já podiam ser registrados pela internet, como roubo ou furto de veículos. A comunicação de perda, roubo ou furto de documentos e celulares, além de furto ou perda de placas de veículos, podem ser feitas pelo mesmo site.

Publicidade

As delegacias eletrônicas ainda recebem registros de: injúria, calúnia ou difamação; acidente de trânsito sem vítimas; desaparecimento e encontro de pessoas. Ainda há ocorrências que devem ser comunicadas on-line pela Depa (Delegacia Eletrônica de Proteção Animal).

De acordo com o escrivão-chefe da Polícia Civil de Tatuí, Igor Barros Silva, a orientação para que os boletins de ocorrência sejam registrados pela internet acontece para não haver aglomerações nos plantões policiais, visando ao combate de contágio pelo coronavírus.

No caso de vítimas de estelionato que prefiram registrar a ocorrência presencialmente, Silva informa que se trata de um crime de ação penal condicionada, o qual há um prazo de até seis meses para que seja feita a representação.

“Se fizer hoje, daqui 15 dias ou um mês depois, o efeito será o mesmo. Recomendamos que o registro seja feito em um momento mais oportuno”, indicou o escrivão-chefe.

Conforme anunciado por Doria, crimes como homicídios, latrocínios, estupros e violência doméstica são atendidos na Central de Flagrantes. Segundo Silva, ocorrências destas naturezas são conduzidas pela Polícia Militar e pela Guarda Civil Municipal, mas também podem ser apresentadas por populares.

“A recomendação é que em casos que não forem desta gravidade, as pessoas não compareçam na delegacia. Os policiais têm de estar mobilizados para atender às ocorrências de urgência”, reforçou Silva.

Mais orientações sobre os registros de ocorrência são fornecidas pelo telefone da Delegacia Central do município, pelo número: (15) 3251-4402.

Publicidade