Inaugurado Acessa São Paulo do Santa Rita

296
Publicidade





Cristiano Mota

Emílio Bizon Neto destacou potencial de uso do programa e descerrou placa ao lado do prefeito Manu e da primeira-dama Ana Paula Cury

 

Com presença de membros de associação de moradores e funcionários municipais, o prefeito José Manoel Correa Coelho, Manu, inaugurou na tarde de ontem, terça-feira, 26, o terceiro ponto do Acessa São Paulo em Tatuí. A unidade do Jardim Santa Rita de Cássia promete disponibilizar para a população da região cursos com selo da USP (Universidade de São Paulo).

De acordo com o superintendente do programa, Emílio Bizon Neto, além de atender demanda da população, a unidade poderá agregar novos projetos. Entre eles, está a possibilidade de aplicação de provas do Detran (Departamento Estadual de Trânsito), de São Paulo, a título de emissão de habilitação.

Publicidade

Neto compareceu à inauguração na qualidade de representante do atual secretário de Gestão Pública do Estado, Wladimir Caputo. Primeiro a discursar, ele falou sobre o programa, destacou a oferta de cursos gratuitos, a expansão do Acessa São Paulo e a premiação junto à Fundação Bill e Mellinda Gates, que rendeu ao governo dinheiro para ampliação do programa.

O superintendente agradeceu a presença da população e da primeira-dama do município, a presidente do Fundo Social, Ana Paula Cury Fiuza Coelho. Neto ainda cumprimentou as monitoras da unidade do Santa Rita, afirmando que elas são a “alma do Acessa São Paulo”. “Sem eles (os monitores), prefeito, o programa não funciona”, afirmou.

As duas funcionárias que trabalham no terceiro ponto do programa do município receberam treinamento junto à unidade localizada no Centro Cultural Municipal. Neto afirmou que o treinamento é necessário para que o programa possa desenvolver todas as ações disponíveis nas cidades em que ele se faz presente.

“Em cada pedacinho do Estado, a gente vem chegando e, aqui, me informaram que este bairro é o mais populoso de Tatuí e um dos mais importantes da cidade. É por isso que o secretário da época (Davi Zaia) e o atual (Caputo) fizeram questão do Acessa estar presente aqui”, discursou o superintendente.

Situado na rua Osmil Martins, o Acessa São Paulo do Santa Rita ocupa dois prédios. Ele funciona nos números 518 e 520, contando com 11 computadores, sendo nove para acesso da população, um para uso como servidor e um para o monitor. A unidade conta com “link” dedicado (exclusivo para o ponto) de 4 megabytes, com sinal de “alta qualidade e constante”.

Além do acesso normal à rede mundial de computadores, Neto disse que a população que procurar o ponto poderá fazer minicursos. As capacitações vão desde “como dar nó em gravata” até o aprendizado de idiomas (atualmente, inglês e espanhol). “Outros cursos de língua estarão entrando em breve no ar para que possam ser recebidos pelas pessoas”, falou o superintendente.

Conforme ele, as capacitações são preparadas pela Escola do Futuro, da USP e dão direito a certificado com emblema da instituição. “Isso vai para o currículo da pessoa. Muito importante para quem quer se preparar para o mercado de trabalho, quer se requalificar ou conhecer línguas”, destacou Neto.

Também segundo o superintendente, o leque de serviços inclui alguns atendimentos via “Mais Sebrae – Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas”, “Mais Banco do Povo” e Detran. “Tudo isso poderá ser feito aqui. As pessoas não precisarão mais sair do bairro”, complementou ele.

O superintendente do programa disse que os usuários poderão desfrutar de “mais de 30 serviços eletrônicos”. A comodidade inclui agendamento para serviços junto ao Poupatempo do município, com data e hora marcadas. “Facilita para a pessoa resolver as questões do dia a dia e para outras coisas como a NFP (Nota Fiscal Paulista) ou para a segunda via de documentos”, elencou.

Neto destacou, ainda, que o Acessa São Paulo tem “uma rede de projetos desenvolvidos pela Escola do Futuro da USP”. Conforme ele, essas capacitações poderão ser trazidas para o município a partir de entendimentos com a comunidade. São projetos nas áreas de esporte, informática, línguas, cultura e educação. “Estamos preparadíssimos para isso”, falou.

A unidade em Tatuí é fruto de investimentos feitos pelo governo do Estado de São Paulo a partir de premiação concedida pelo instituto de Bill Gates (fundador da Microsoft) em 2013. No ano passado, o Acessa São Paulo disputou com outros 299 projetos, inscritos por 56 países, vencendo como 1o colocado.

O prêmio de US$ 1 milhão foi entregue em Cingapura e reinvestido pelo governo do Estado na ampliação da rede. “O recurso voltou para o próprio Acessa, como é este o caso. Nós estamos aqui, hoje, pelas próprias pernas”, disse Neto.

No discurso, o superintendente salientou que o ponto possibilita mais que acesso à internet. Conforme ele, o “grande diferencial” do programa é a promoção da educação, aliada à promoção de ações esportivas, de lazer e entretenimento.

Também presente à cerimônia, o secretário municipal da Indústria, Desenvolvimento Econômico e Social, Ronaldo José da Mota, apresentou números que levaram a Prefeitura a projetar o terceiro ponto. Segundo ele, além de moradores do Santa Rita, a unidade beneficiará residentes de bairros próximos.

Conforme ele, a implantação da unidade surgiu a partir de requerimento apresentado pelo vereador Dione Batista. Mota disse que o parlamentar apresentou pedido de estudo para que o bairro pudesse abrigar o terceiro ponto da cidade.

A solicitação encaminhada ao prefeito virou tema de análise e de projeto apresentado ao então secretário de Estado de Gestão Pública, Davi Zaia. “O prefeito (Manu) muito sensibilizado, sabendo do tamanho do bairro nos permitiu realizar a pesquisa, na qual fizemos um levantamento apresentado a Zaia”, relatou.

O estudo realizado a partir de 2013 levou em consideração dados obtidos junto a dois pontos do Acessa São Paulo situados no centro. O primeiro fica na praça Martinho Guedes, 12, no Centro Cultural Municipal; e, o segundo, na avenida Coronel Firmo Vieira de Camargo, 135, anexo ao Poupatempo.

Mota disse que o objetivo da secretaria era detectar quais pessoas utilizavam o programa e, a partir disso, verificar a origem dos usuários. No levantamento, a secretaria descobriu que o Jardim Santa Rita de Cássia “tinha potencial”.

Em números, o bairro corresponde a mais de 50% dos acessos registrados no posto do Centro Cultural. Conforme o secretário municipal, de janeiro até o dia 31 de julho, 859 pessoas acessaram os computadores do programa. Desse total, 536 residem em bairros como o Santa Rita e Rosa Garcia.

No mesmo período, Mota revelou que o programa registrou a passagem de 9.238 pessoas, com adesão de 186. Do total de usuários, 1.636 estavam empregados e 1.605 desempregados. “Esse é o ponto interessante. São pessoas que estão se requalificando, tentando fazer um currículo, arrumando emprego”, falou.

Os números repassados pelo secretário também somam acessos para compras pela internet, impressão de boletos bancários ou de trabalhos escolares.

Antes de passar a palavra para o prefeito, Mota parabenizou a iniciativa do vereador, o empenho de Manu e fez um desafio para o gestor público: pediu a viabilização de mais pontos em Tatuí por meio de parcerias com entidades.

“Já temos algumas pessoas interessadas em levar esse benefício para outros bairros. Vamos tentar ver se conseguimos ampliá-lo para outras localidades”, disse.

Convidado a discursar, o vereador retribuiu os agradecimentos ao secretário municipal e ao prefeito. Batista disse que sem a ajuda de Mota e de Manu o requerimento não teria “saído do papel”. Ele também agradeceu os moradores do Santa Rita e afirmou que o programa vai melhorar a vida das comunidades.

Batista afirmou, ainda, que o local permitirá que pessoas carentes possam usufruir da internet e dos benefícios que a rede mundial de computadores traz. Por fim, disse que o bairro estava sendo “privilegiado com mais um presente”.

Anunciado no ano passado, o terceiro ponto do programa em Tatuí teve inauguração em processo que contempla a expansão do projeto “internet gratuita”, promovido pela Prefeitura. No cerimonial, o diretor do Departamento Municipal de Comunicação e Gestão Estratégica, Alexandre Scalise, citou que o acesso via wifi gratuito está disponível em seis praças da cidade.

Ele também apresentou dados de pesquisa realizada pelo setor. Conforme o departamento, dos 645 municípios do Estado de São Paulo, apenas 170 oferecem internet gratuita. Segundo o diretor, na capital, existem 25 pontos de internet gratuita. Por fim, ele disse que metade das escolas públicas tem acesso gratuito.

Em discurso, o prefeito destacou o empenho do ex-secretário de Gestão Pública, Davi Zaia, em atender demandas do município. Zaia afastou-se da função para concorrer ao cargo de deputado estadual pelo PPS. Manu disse que o ex-secretário “deslocou da Prefeitura diversos serviços para o Poupatempo”.

Entre eles, estão o Procon – Fundação de Proteção ao Consumidor e o PAT (Posto de Atendimento ao Trabalhador). Em breve, o Executivo deve transferir para o Poupatempo o BPP (Banco do Povo Paulista). “Isso tudo é fruto de empenho de quem trabalha com carinho pela cidade que representa”, falou.

Manu afirmou que o ponto é “a cereja no bolo” dos investimentos feitos pelo Executivo no bairro. O prefeito afirmou que o Santa Rita conta com Cras (Centro de Referência da Assistência Social) e o PA (Pronto Atendimento).

Segundo ele, a administração tem recebido boas referências da população para com o pronto atendimento. Manu também falou que o serviço está “apresentando demanda” e que ele poderá funcionar como unidade 24 horas.

Na sequência, o prefeito promoveu o descerramento da placa inaugural do ponto. Para utilizar o serviço, é obrigatória a apresentação de RG, ou qualquer documento com foto. O usuário que se dirigir ao local deve preencher um cadastro.

Crianças com até 11 anos de idade só podem ser cadastradas na presença de um pai ou responsável. Menores de 18 anos devem apresentar autorização de pais ou responsáveis, além de cópias de documentos com fotos dos representantes e delas.

Inicialmente, o tempo de uso dos computadores será de 30 minutos. Se o usuário preferir, pode voltar ao final da lista de cadastrados (se houver fila) para voltar a acessar o equipamento.

Cada usuário tem direito a impressões de três folhas por dia, sendo permitidas para currículos e serviços públicos, emissão de contas de água e de luz e comprovantes de pagamentos de serviços eletrônicos prestados pelo governo.


Publicidade