Grupo de Música Raiz presta homenagem à tradição “caipira”

797
Grupo tem objetivo de valorizar a cultura do interior (foto: AI Conservatório)
Publicidade
Fabio Villa Nova
Antuerpia

O Grupo de Música Raiz do Conservatório de Tatuí é a atração da manhã deste domingo, 28, no teatro “Procópio Ferreira”, às 11h, com entrada gratuita.

Criado em 2018 com o objetivo de pesquisar e resgatar a música caipira de raiz, o grupo apresentará alguns dos mais conhecidos clássicos do gênero, escritos por autores regionais e compositores eruditos.

De acordo com o coordenador do grupo, professor Zeca Collares, o programa contempla grandes clássicos da música regional brasileira, produzidos desde o início do século 20 até os dias atuais.

A seleção terá músicas populares, escritas por autores regionais, e também obras de compositores eruditos, como Heitor Villa-Lobos, entre outros.

O Grupo de Música Raiz do Conservatório de Tatuí foi criado no primeiro semestre de 2018, a part5ir da inclusão dos cursos de viola caipira e acordeão na grade de habilitações oferecidas pela escola.

Publicidade
Antuerpia
Fabio Villa Nova

Seu principal objetivo é promover a difusão da tradição caipira, resgatando canções populares da chamada “música brasileira de raiz”. Apesar de recém-criado, o grupo já acumula apresentações importantes, como a abertura do Fórum Regional de Pontos de Cultura, promovido pela Secretaria de Estado da Cultura, em setembro passado, apresentação no Lar São Vicente de Paulo de Tatuí, Projeto Música na Praça e outros.

A coordenação é de Collares, compositor, instrumentista de viola caipira, pesquisador da cultura popular brasileira e bacharel em cinema pelo Centro Universitário Nossa Senhora dos Patrocínio (Ceunsp).

Iniciou o ofício de violeiro nas rodas de Folia de Reis na região de Grão Mogol (MG), onde nasceu. Em 1984, formou parceria com o folclorista, compositor e cantor Dino Lopes, ponto de partida para sua carreira musical.

Estudou MPB no Tema Centro Musical de Marília (SP) com o professor Paulo Estêvão “Tevão”, na década de 1990. Um dos fundadores do grupo Mucunã de música regional brasileira, soma mais de 20 anos de carreira e oito CDs lançados dentro do universo da viola caipira.

Publicidade
Antuerpia
Fabio Villa Nova