Gastronomia e música animam a Concha

156
Publicidade
Antuerpia
Fabio Villa Nova





O público tatuiano pôde conferir, na noite do feriado de aniversário da cidade, um programa diferente na Concha Acústica “Maestro Spártacco Rossi”, na praça Antônio Prado. Começou na quinta-feira, 11, e segue até este domingo, 14, o Festival de Música e Gastronomia de Tatuí.

A noite fria de quinta não impediu o público de assistir e se divertir com a peça teatral “As Aparências Não Enganam”, da trupe Teatro de Tábuas. A montagem, escrita por Jorge Luís Braz, que assina também a direção, alia humor e gastronomia.

A apresentação foi precedida pela Camerata Les Ensembles e pela banda Invisíveis Nus, de Campinas. O último grupo realizou uma segunda apresentação após o teatro.

As apresentações de música e teatrais ocorrem em dois locais da “Praça da Concha”. Enquanto as bandas se apresentam no palco “original”, as montagens cênicas são abrigadas em uma carreta de 12 metros de comprimento e dois andares.

Publicidade
Fabio Villa Nova
Antuerpia

De acordo com Braz, o festival apresenta a sinergia de três importantes manifestações culturais locais: a gastronomia, a música e o teatro. O dramaturgo também responde como diretor executivo do Teatro de Tábuas.

“Todos os dias, temos apresentações de teatro e música diferentes. Nós escrevemos peças que apresentam como mote principal a comida”, iniciou.

Braz disse que as peças foram planejadas para trafegar pela gastronomia, que é a proposta do festival. A escolha das apresentações musicais teve o mesmo processo, de elencar músicas que trazem alimentos como temas.

Segundo o organizador, o festival é uma proposta do Ministério da Cultura e da Prefeitura de Tatuí. O órgão federal liberou verba no valor de R$ 375 mil para a realização do evento, dinheiro que teve a complementação de R$ 25 mil com recursos locais, perfazendo R$ 400 mil de investimento.

O Festival de Música e Gastronomia segue neste sábado, 13, com dupla apresentação teatral e musical. A programação começa às 17h, com apresentação do grupo tatuiano Seresteiros com Ternura. Em seguida, às 18h, o palhaço Tubinho, acompanhado de trupe, apresenta a encenação “O Leiteiro”.

Às 19h30, tem início o espetáculo musical “Doce de Cidra – MPB e Forró”, com o grupo Invisíveis Nus. A apresentação tem duração de 30 minutos e é “interrompida” para a encenação de “O Mundo em Pânico”, do palhaço Tubinho. A programação musical retorna às 21h.

No domingo, a programação tem início às 17h, com Choro Trio. A comédia “Uma Lua de Mel a Três” vem em seguida, às 18h, e “O Banquete no Velório”, às 20h.

Ambas as peças são encenadas pelo grupo Teatro de Tábuas. O grupo Invisíveis Nus toca em duas ocasiões, às 19h30 e às 21h, com o tema “ABC – Amanteigados, Brigadeiro e Cocada”.

O diretor do Teatro de Tábuas, que é um dos organizadores do evento, evitou fazer estimativa de público nos quatro dias de evento. Braz afirmou que espera lotar a capacidade máxima do local, que comporta 2.500 pessoas.

A organização das cozinhas ficou a cargo da chef Claudia Rauscher. Ela explicou que quatro chefs – incluindo ela mesma – foram convidados para dar “interpretações” de pratos clássicos da gastronomia mundial (detalhes dos pratos na coluna Jorge Rizek).

Com ela, trabalham João Paulo Cupperi, Mário Edson e a chilena Li Benavente Perez. “Além das recriações, estou encarregada de cuidar das barracas. Vou supervisionar o risoto, o nhoque e a paella”, contou Claudia.

Os pratos são disponibilizados em três quiosques temáticos e no “restaurante móvel”, uma carreta de 12 metros de comprimento e que dá visão panorâmica da Concha Acústica.

O público pode encontrar chope e refrigerante nas barracas, no restaurante e em um quiosque exclusivo para bebidas.

Os chefs trabalharam na recriação dos pratos na semana que antecedeu ao evento. Uma “comissão” de degustadores avaliou e aprovou as releituras dos pratos.

“Todos aprovaram os pratos. A carreta tem toda estrutura que uma cozinha de restaurante oferece, e fizemos adaptações nas barracas, para podermos trabalhar no local. É a primeira vez que eu trabalho em um projeto assim”, contou Claudia.

A chef convidou a população a prestigiar a proposta inédita de aliar música, gastronomia e teatro em um único evento. “Todos podem comer assistindo as peças teatrais ou, então, as atrações musicais. Unimos a alta gastronomia com ingredientes locais”, afirmou.

O diretor municipal da Cultura e Desenvolvimento Turístico, Jorge Rizek, afirmou que o evento reforça a imagem de polo turístico de Tatuí em plena comemoração dos 190 do município.

Rizek avaliou que o festival é um modo de apresentar a alta gastronomia ao público local e mostrar “formatos diferentes” de manifestações culturais.

“Pegamos a força da cultura nossa para atrair o turista. É um evento diferenciado, tem uma estrutura grande e marcante. Não é comum encontrarmos um evento desse porte, é algo fantástico. Tivemos sorte de promover um evento diferente como esse. É uma atração turística e muito vantajosa para nós”, opinou.

De acordo com Rizek, a formatação do evento começou em 2013, quando a Prefeitura procurou o Ministério da Cultura para estabelecer convênio para a realização do festival.

“A gente veio adequando e conversando com o Ministério da Cultura para escolher o formato do evento. Coincidiu de a verba vir neste ano, e achamos por bem começar o festival no aniversário de 190 anos da cidade”, explicou o diretor.

O festival se soma a outras iniciativas privadas e governamentais para fomentar o turismo local, de acordo com Rizek. O titular do departamento de Cultura e Desenvolvimento Turístico deu como exemplos o Festival de Comida de Buteco, a Festa do Doce e o Food Truck Festival – Gastronomia, Música e Diversão.

“A cidade está começando a entender esse caminho de que a comida de rua está em alta e que pode trazer ganhos. É uma cultura diferente que estamos vendo nos últimos eventos”, disse.


Publicidade
Antuerpia
Fabio Villa Nova