Ética e Alegria

519
Publicidade

Quero dias diferentes, pessoas que me acrescentem, quero vida e muita alegria ao meu redor, quero luzes coloridas e brilhantes, quero paz, quero amor, quero a liberdade de saber quem eu sou!
Ana Carolina

Ética e Alegria

A ética nos direciona a agir de forma a administrar a nossa potência interna corretamente, enquanto que a alegria, por ser o combustível da vida, alimenta a nossa alma espiritual no sentido de fraternidade e igualdade perante a Criação.

A espiritualidade é a força impulsionadora da ética. A ética é considerada uma responsabilidade social, no sentido de que o ser humano deve pautar a sua conduta, enquanto prática de vida, em consonância com o que é tido como correto e justo.

Todo aquele que não segue os princípios da verdade, honestidade, lealdade e bondade é antiético.

Confúcio, que viveu na China há cerca de 2500 anos, já aplicava na prática, naquela época, uma ética espiritual: ”Não faças aos outros o que não queres que te façam”.

Publicidade

A alegria é uma bem-aventurança capaz de dinamizar, potencializar e transformar energias. O detentor da alegria é um ser evoluído, que prioriza o seu bem-estar e de toda a Humanidade através do serviço útil e ativo.

Existem princípios éticos que podem colaborar para que o indivíduo possa exteriorizar a alegria como meio salutar para todos: Ter objetivos e metas de vida definidos com fidelidade e altruísmo.

Sentir-se bem consigo e com os outros; conduta correta. A paciência promove a ciência da paz consigo e com os demais na prática.

A persistência é não desistir nunca dos compromissos assumidos consigo mesmo em benefício de todos. Ter a perspectiva de conseguir enxergar adiante, enxergar o que é mais importante na vida.

A energia da alegria consegue promover uma revolução interior a partir do momento em que a pessoa consegue agir como um ser espiritual.

Para que possamos nos organizar e participar é preciso servir incondicionalmente, com atitudes que norteiam a paz.

A energia da alegria se estabelece num contato direto com a energia divina, por isso, ela não pede nada, não usa de poder, apenas está a serviço do bem.

A alegria é a expressão do bem-estar pelo bem viver. Gera entusiasmo, bom humor, harmonia, paz e felicidade.

Um dos requisitos essenciais para que a alegria tenha morada no nosso ser é a autoconfiança, que promove a capacidade na pessoa em acreditar e experimentar dessa poderosa energia que envolve uma força que transcende a própria pessoa.

Portanto sorria, abrace, exale bons sentimentos, expresse o quanto às pes-soas são especiais para você. Mesmo que as coisas não estejam muito bem, atitudes positivas sinceras vão fazer com que você se sinta bem melhor.

As pessoas precisam uma das outras e a gentileza é uma forma importante de se sentir útil. Ajudar alguém que passa por uma dificuldade tem efeito restaurador para quem o faz.

Não deposite nas mãos de ninguém a responsabilidade de viver bem; sua alegria e satisfação são efeitos de seus próprios atos.

Não permita que suas emoções e sentimentos dependam de qualquer pessoa que não seja você mesmo.

O importante é saber que para tudo, sempre há uma saída e se não houver não será o mau humor que vai ajudar, não é mesmo?

Carlos Drummond de Andrade definiu que: “Ser feliz sem motivo é a mais autêntica forma de felicidade”.

Fazendo uma análise prática é possível que concluamos que a vida por si só já é motivo de felicidade, no entanto, nosso lado emocional nem sempre segue essa direção.

Lembre-se que a vida é maravilhosa demais para ser desperdiçada e que estar de bem com ela só depende de você, acredite nisso e seja feliz!

Publicidade