Cordão dos Bichos retoma série de apresentações em desfile no dia 11

277
Publicidade





Arquivo o Progresso

Bonecos da fauna brasileira e africana e que remetem Olinda têm três compromissos até o final do ano

 

O Cordão Folclórico Tatuiense, ou Cordão dos Bichos, como é popularmente conhecido, retoma série de apresentações do ano com participação especial. Com 45 componentes e 35 bonecos, o grupo desfilará no dia 11 de Agosto, segunda-feira, por conta das comemorações aos 188 anos da “Capital da Música”.

“Estamos dando continuidade aos nossos trabalhos, que começaram no Carnaval”, explicou o presidente do cordão, Pedro da Silva. Conforme ele, o grupo vem de uma pausa e já está com novos compromissos na agenda. Seus integrantes devem participar de, pelo menos, mais três eventos até o fim do ano.

Publicidade

Além de Tatuí, o grupo participará das festividades do 50º Festival de Folclore de Olímpia. O evento acontece entre os dias 16 e 17 deste mês, uma semana depois de o grupo fazer participação no desfile cívico do município. Em Olímpia, os bonecos integram homenagem do festival ao Estado de São Paulo.

Nas duas apresentações (em Tatuí e em Olímpia), as 35 figuras que compõem o Cordão dos Bichos serão utilizadas pelos componentes. Todos os bonecos passaram por processo de restauração.

Em janeiro deste ano, os bichos da fauna brasileira e da africana e personagens do folclore nacional ganharam “roupa nova”. Os bonecos do grupo foram revitalizados. As reformas compreendem restaurações feitas anualmente.

O processo segue a técnica da papietagem, uma vez que os personagens são montados a partir de uma estrutura. A papietagem é o processo que utiliza papel recortado (papelão e até jornais) e cola para dar forma. Depois da revitalização, os bonecos são pintados. Todo o processo é feito em, até, uma semana.

“Todos os bonecos vão desfilar”, antecipou o presidente. Conforme ele, o grupo participará completo tanto em Tatuí como em Olímpia. Nas duas apresentações, o objetivo é representar a cultura brasileira – e um pouco da africana – por meio dos bonecos. Os utilizados pelo cordão tatuiano têm semelhança com os de Olinda. “Eles são similares, mas pertencem à nossa região”, disse Silva.

Na rua 11 de Agosto, o desfile de cortejo terá duração de 30 minutos. Em Olímpia, como a apresentação acontece em palco, deve durar mais: entre 40 e 45 minutos.

Para transportar os bonecos, o Cordão dos Bichos conta com apoio. No dia 11, a Prefeitura cederá caminhão para levá-los da sede social (na rua Roque Giovani Adão Bertin, na Chácara Jardim Junqueira) até a concentração do desfile. “Após a participação, o caminhão nos auxiliará para retornarmos à sede”, disse.

No caso de Olímpia, tanto os integrantes como os bonecos viajarão em um ônibus especial. O veículo tem tamanho maior e comporta os bichos no porta-malas.

Em setembro, o Cordão dos Bichos estará presente na 18a edição do “Revelando São Paulo”. O compromisso seguinte será no “Festival de Valinhos”. “Esse é um pouco menor que o de Olímpia, mas tem o mesmo propósito e, inclusive, abrange os mesmos grupos”, declarou o presidente do grupo.

Além dos eventos pré-agendados (que têm edições anuais), o cordão recebe convites eventuais. O presidente explicou que as apresentações “extras” são mais seletas por conta do transporte dos bonecos e da autorização para os componentes.

“Nós nos preocupamos com várias coisas, inclusive, com autorização para os menores. Temos que pegar com os pais, levá-los ao cartório para que façamos o translado das crianças que nos acompanham”, detalhou o presidente. “Como o Cordão é uma entidade folclórica e também uma pessoa jurídica, existe todo um cuidado com os participantes e associados”, adicionou.

A presença de crianças pode ser vista no grupo – as que participam do cordão são levadas pelos pais – e no trabalho da Creche Municipal “Joaquim da Silva Campos”, no Valinho. A unidade de educação infantil idealizou e organizou a formação do “Cordão dos Bichos Mirim”, ou “Cordãozinho”.

“Eles não fazem parte do nosso grupo, mas estão sempre conosco”, declarou Silva. Conforme ele, o trabalho da creche com as crianças é importante para perpetuar a ação desenvolvida pelos adultos, por meio do cordão. “Nós vemos essa iniciativa como uma boa alternativa para divulgarmos o Cordão dos Bichos para a classe infantil do município”, opinou.

Colaboração

Ainda em entrevista, Silva revelou que o grupo já criou site na internet. O projeto havia sido antecipado com exclusividade por O Progresso no ano de 2010.

Em 2013, ele teve previsão de início de operação atualizada – para o final do segundo semestre daquele ano. Na ocasião, o presidente do Cordão dos Bichos afirmou que houve atraso no projeto inicial por problemas técnicos e financeiros.

Para colocar o projeto em prática, o grupo buscou parceiros e, atualmente, pede colaboração da população para obter acervo. A diretoria procura fotos, vídeos, ou artigos que recontem a história do grupo.

“Precisamos de dados antigos, porque recentes nós temos bastante. Achamos que seria mais interessante contar a história do que só criar a partir do agora”, falou Silva.

De acordo com ele, o site está em fase de testes e pode entrar em operação ainda este ano. “Faltam fotos antigas, datas, fatos. Se alguém puder auxiliar na divulgação, nós seremos imensamente gratos”, citou o presidente do grupo folclórico.

Além do histórico, o site deve conter informações de ex-componentes, colaboradores e ex-presidentes. Também está prevista uma sessão contendo descrição de como é realizado o processo (passo a passo) de restauração dos 35 bonecos.


Publicidade