‘Cine Boa Praça’ é estendido para Tatuí­ e tem sessões grátis este mês

428
Publicidade





Arquivo

Em 2012, projeto ofereceu ao público sessões gratuitas de cinema na praça que abriga o Museu Paulo Setúbal

 

A partir deste mês até outubro, o “Cine Boa Praça” volta à região. Desta vez, visitando 15 cidades, incluindo Tatuí. Além da “Capital da Música” e de Sorocaba, receberão o projeto: Itu, Salto, Itapetininga, Alambari, Cesário Lange, Ibiúna, Tietê, Cerquilho, Boituva, Piedade, Votorantim, São Roque e Mairinque.

O foco é democratizar o acesso ao cinema, através da exibição gratuita de sessões de filmes em praças de bairros. A iniciativa conta com o patrocínio da Sorocaba Refrescos (Coca-Cola), por meio do Proac (Programa de Ação Cultural) do governo do Estado. O “Cine Boa Praça” tem, ainda, a equipe do Cinetelona cuidando da realização técnica e a parceria com as prefeituras locais.

Publicidade

Nos municípios em que percorre, as sessões de cinema gratuitas são exibidas em tela inflável. O público conta com cadeiras confortáveis e pode acompanhar os filmes reproduzidos por meio de equipamentos de som e vídeo instalados em praças públicas, “convocando todos a chegarem mais perto”.

“A ideia é incentivar a ocupação de espaços públicos pela população, com magia, diversão e encantamento”, afirma Lidiane Oliveira, uma das coordenadoras do projeto.

“Esperamos repetir o sucesso da 1a edição, realizada de setembro de 2012 a março de 2013, reunindo um público expressivo e das mais diversas faixas etárias. Famílias inteiras, crianças, jovens, idosos poderão se reunir diante da grande tela”, adicionou.

Para a analista de comunicação social da Sorocaba Refrescos, Renata Oliveira, o “Cine Boa Praça” é uma oportunidade para as pessoas que gostam de um bom filme em família. Renata destacou que o acesso ao cinema é totalmente gratuito e que todas as pessoas que passem pelo local são convidadas a participar.

“Embora haja uma limitação de acentos exclusivos do projeto, as áreas nas quais o cine acontecerá são amplas. Além do entretenimento que será proporcionado é uma forma de valorizar e incentivar esse bem cultural”, completou.

A seleção dos filmes e da animação das sessões seguiu critérios que visavam estimular o pensamento, como conta Claudia Perrotta, também coordenadora do projeto. “Tivemos muito cuidado ao selecionar os filmes, procurando levar os temas com leveza e qualidade estética, para públicos de diferentes gerações, divertindo a todos e, ao mesmo tempo, levando a reflexão”, relatou.

Nesta 2a edição, o projeto tem como temática “Livro que vira filme, filme que vira livro e as novas heroínas das histórias infantis”. O público terá a oportunidade de apreciar filmes com narrativas que se baseiam em histórias bem conhecidas, como “Peter Pan” e “Enrolados”, que reconta o clássico “Rapunzel”.

Segundo a assessoria do evento, há, também, “filme que vira livro”, como “Valente”. “Mas o que há em comum em todos é a personalidade das heroínas”, cita o setor de comunicação da empresa responsável pela realização do projeto.

O “Cine Boa Praça” promete projetar na “grande tela” heroínas bem diferentes das que aparecem nos cinemas. “Corajosas, impetuosas, insubmissas, essas mocinhas brigam pelo que querem e vão atrás de seus sonhos”, destaca o material de divulgação.

O texto cita como exemplo Merida, uma menina de cabelos fartos e ruivos do filme “Valente”. A personagem vence seus pretendentes no arco e flecha e se recusa a ser uma princesa comportada, como idealizado pela mãe dela.

Também a Rapunzel da animação “Enrolados” enfrenta a madrasta que a prendeu na torre. Para isso, ela se associa ao “mocinho”, que, nesta versão da história, não passa de um bandido procurado em todo o reino.

Outra personagem que reforça o caráter da temática deste ano do projeto é Wendy, de Peter Pan. A fada aceita o convite para viajar até a Terra do Nunca e por pouco não vira pirata. Ao contrário do menino que não quer crescer, a heroína topa os desafios da vida adulta, sem deixar de lado o encantamento das histórias infantis, que ela continua a contar para seus filhos.

Por fim, o “Cine Boa Praça” repetirá um dos sucessos da edição anterior, a aventura nacional “Eu e meu guarda-chuva”. Também um livro que virou filme, o longa traz a personagem Frida, uma garota muito inteligente, como heroína.

Frida é a mais decidida de sua turma de amigos a conhecer a nova escola e enfrentar o fantasma do Barão Von Staffen, um professor autoritário, cruel e implacável. Von Staffen torturava os alunos que não sabiam responder às suas perguntas.

Em todas as sessões, o projeto contará com um animador cultural e promoverá concursos culturais. O objetivo é aproximar ainda mais os espectadores dos temas abordados nos filmes.

A intenção da interação é que todos sejam “instigados a participar dos desafios”. No final, os vencedores receberão prêmios. Serão entregues livros de autores nacionais que brincam e subvertem os contos infantis clássicos, como “Felizes quase sempre”, de Antonio Prata, e “Até as princesas soltam pum”, de Ilan Brenman.

Em Tatuí, as exibições acontecem nos dias 29 (“Valente”), 30 (“Enrolados”) e 31 (“Peter Pan”). Na primeira edição, o projeto aconteceu na praça Manoel Guedes (Santa), que abriga o Museu Histórico “Paulo Setúbal”.


Publicidade