Carnaval reúne cerca de 30 mil na Matriz

    Com ações temáticas, “Tatuí Folia” atraiu foliões da região que pularam durante 4 dias

    767
    O bloco Império do Samba, contando com Rei Momo e passistas, foi responsável por fechar a primeira noite do 'Encontro dos Blocos' (foto: Eduardo Domingues)
    Publicidade
    Siltec
    EleService institucional
    Alessandra Bonilha, dra
    Anglo

    De acordo com a assessoria de comunicação da prefeitura, os quatro dias do Carnaval 2019, denominado “Tatuí Folia – Samba e Alegria”, reuniram um público estimado em, aproximadamente, 30 mil pessoas. A contagem abrange foliões de toda a região.

    A folia organizada pela prefeitura, através da Secretaria Municipal de Esporte, Cultura, Turismo, Lazer e Juventude, teve início no sábado, 2, com a presença do “Cordão dos Bichos”, além de DJ Huck e show com a Banda Balakubaka, agitando o baile carnavalesco. Na segunda-feira, 4, houve novo baile, trazendo a apresentação musical de André Pupe e Banda e, novamente, o DJ Huck.

    Os blocos carnavalescos de Tatuí, como o “Cordão dos Bichos”, “Unidos da Americana”, “Banda do Banga”, “Unidos do Clube de Campo” e “Império do Samba” se concentraram em frente à Emef (Escola Municipal de Ensino Fundamental) “Eugênio Santos”. A exceção ficou por conta da “Banda do Bonde”, com festa na Associação Atlética XI de Agosto. Esse grupo participou de dois “Encontros de Blocos”, um no domingo, 3, e outro na terça-feira, 5.

    Neste ano, os grupos convidados desfilaram pela rua 11 de Agosto, seguindo até a Praça da Matriz. Conforme a assessoria de comunicação, cada um dos eventos noturnos contou com participação média de 6.000 pessoas.

    Também nos dias 3 e 5, houve duas matinês infantis, ambas, no período da tarde. Segundo a prefeitura, cerca de 2.000 pessoas, entre crianças e adultos, marcaram presença no evento. As crianças também participaram de atividades, como oficinas de máscaras e pinturas faciais.

    Publicidade
    EleService institucional
    Alessandra Bonilha, dra
    Siltec
    Anglo

    As matinês contaram com participação de animadores, como Alexandre de Jesus Bossolan, que dá vida ao palhaço Batatinha, do “Cordão dos Bichos Mirim” e do DJ Huck.

    O secretário municipal de Cultura, Cassiano Sinisgalli, afirmou que está trabalhando para resgatar o Carnaval de Tatuí. Ele ressaltou que quando assumiu a pasta, em janeiro de 2017, a municipalidade não realizava Carnaval havia dois anos.

    Sinisgalli revelou que contou, na época, com apoio dos blocos Império da Vila, o atual Império do Samba, e da Banda do Bonde. Segundo o secretário, a equipe criou um Carnaval alternativo, “para dar pelo menos um ‘start’ na folia tatuiana”.

    De acordo com ele, no ano passado, houve um resgate das festas carnavalescas no distrito de Americana. O trabalho aconteceu em conjunto com os moradores do próprio bairro.

    Em entrevista, Sinisgalli ratificou que a programação de Carnaval teve duração mais longa. Disse ainda que, neste ano, as atrações “deram mostras de como seria a folia na cidade”.

    Neste ano, as atividades foram iniciadas com os “esquentas”, a partir do dia 2 de fevereiro, com eventos todos os sábados na Praça da Matriz. Também foi montada, no Centro Cultural Municipal, a exposição “Tatuhy – Passarela de Alegrias e Alegorias”. A mostra teve abertura na noite de sexta-feira, 8 de fevereiro, com visitação até o feriado de Carnaval, na terça-feira, 5.

    Ainda houve os eventos para crianças realizados no MHPS (Museu Histórico “Paulo Setúbal”) e o “Zumba Folia”, ocorrido no Centro de Artes e Esportes Unificados “Fotógrafo Victor Hugo da Costa Pires”, o CEU das Artes.

    Entretanto, o secretário certificou que entre as ações realizadas dentro do pré-carnaval, a maior delas é a do distrito de Americana. “Conseguimos levar todos os blocos da cidade para o bairro e potencializamos ainda mais o Unidos da Americana, ajudando-o dentro das nossas possibilidades”, reforçou Sinisgalli.

    A Banda do Bonde possui uma bateria com mais de cem membros (foto: Eduardo Domingues)

    “Acredito que foi um grande evento, já evidenciando como seria a grandeza do Carnaval. Todos os pré-carnavais já mostravam o que seria o Carnaval de Tatuí”, completou.

    Uma semana antes da folia, a prefeitura realizou mais atividades pré-carnavalescas. Entre elas, as destacadas por Sinisgalli, como: o “Verde e Branco”, da Terceira Idade; o “Azul e Branco”, do Clube de Campo; o “Vermelho e Preto”, no Bangalô Bar e Cozinha; e os ensaios abertos da Banda do Bonde.

    A secretaria apoiou, ainda, a realização da feijoada na Colina das Estrelas; e do “Carnaboteco”, que aconteceu na Hípica Centaurus, demonstrando a importância deles.

    A cidade contou também com diversos eventos ligados à programação oficial. Todos, realizados durante o final de semana, como o bloco do “Vagalume”, o “Rebanho das Ovelhas Coloridas”, o “Carnarock” e atividades temáticas no bairro Rosa Garcia 2.

    “Todos fizeram um brilhante trabalho, proporcionando um grande Carnaval alternativo. Havia bastantes famílias participando e com isso ficamos muito contentes”, declarou.

    Para o secretário, neste ano, “foi possível descentralizar as atividades e, mesmo assim, atrair muita gente para a apoteose do Carnaval no centro da cidade”.

    Ele frisou que a prefeitura firmou uma parceria com os blocos e auxiliou, principalmente, na logística e transporte de membros e instrumentos. Segundo Sinisgalli, esse acordo foi fundamental para motivá-los a participar das ações carnavalescas.

    Para o secretário, os investimentos em blocos na cidade foram bastante positivos. A título de exemplo, ele ressalta que, além do Cordão dos Bichos, Tatuí contava com apenas dois blocos. Neste ano, houve acréscimo de mais três agrupamentos.

    “É de extrema importância a parceira com os blocos. A prefeitura precisa da demanda e de pessoas que reúnam os amigos para pular o Carnaval. Se não tiver público, não tem demanda e não teria o porquê de promover a festa”, analisou.

    Comandante da bateria da Banda do Bonde, Sérgio Gonçalves de Oliveira, o Lagartixa, admite ser difícil de explicar o sentimento de administrar um grupo com mais de cem elementos. Ele destaca que o agrupamento possui no elenco crianças, idosos e até pessoas que nunca haviam tocado em uma bateria.

    “No fim, junta, dá tudo certo e a coisa acontece. A emoção é muito grande e o sucesso é algo que nos deixa muito felizes. O resultado final, que é o que almejamos, foi cem por cento maravilhoso, e muito emocionante”, afirmou.

    Unidos da Americana se apresentou pela 1ª vez na Praça da Matriz (foto: Eduardo Domingues)

    Com diversas crianças compondo a bateria, Lagartixa avalia a participação delas como o início de uma renovação. Conforme ele, “muitas coisas chegam ao fim, principalmente, na parte cultural da cidade, por não haver um processo de renovação”.

    “Tentamos mostrar esse Carnaval de tradição para essas crianças, trazendo-as conosco, fazendo com que elas se sintam importantes, pois têm o próprio valor ali na bateria”, apontou.

    “Em um determinado momento, o pessoal de mais idade vai cansar e parar, e essas crianças, com certeza, vão dar continuidade ao Carnaval de Tatuí e na cultura dos blocos. A tradição cultural de blocos em Tatuí, com a Banda do Bonde, vai perdurar por muitos anos”, complementou Lagartixa.

    Roberta Aparecida da Silva, responsável pelo Império do Samba, juntamente com Sônia Regina Alves de Oliveira, afirmou que o grupo conta, atualmente, com 60 membros, do quais muitos são crianças.

    Não há qualquer tipo de trabalho específico com as crianças no Império do Samba, garante Roberta. Segundo ela, “é uma paixão que vem de berço, um sentimento de amor do que não existem palavras capazes de expressar”.

    Enquanto para Mauri Amaral Ribeiro, o Boleco, um dos responsáveis pelo bloco Unidos da Americana, “a primeira participação do coletivo na festividade no centro da cidade significou uma motivação”. O representante alegou que o resultado preparou os membros para voltarem ainda mais fortes em 2020.

    De acordo com Sinisgalli, o evento prezou pela segurança. O secretário disse que as pessoas que acompanharam a folia na Praça da Matriz puderam presenciar essa preocupação.

    Segundo ele, mais de 60 guardas civis municipais estiveram no local e entorno. A Polícia Militar cedeu um efetivo de 25 homens por noite e a prefeitura ainda contou com o reforço de uma equipe de controladores de acesso.

    O Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) e representantes da Secretaria Municipal de Saúde também fizeram parte da folia. As equipes dos dois serviços estiveram nos locais entregando, gratuitamente, camisinhas e panfletos de conscientização contra as ISTs (infecções sexualmente transmissíveis).

    Sinisgalli ressaltou que, apesar da ampla programação do Carnaval, não houve qualquer tipo de ocorrência envolvendo os serviços de resgate e de segurança no município.

    “As equipes de organização, apoio e segurança do Carnaval 2019 não registraram nenhuma ocorrência grave em todos os dias carnavalescos. Conseguimos mostrar que é um evento destinado para a família”, comemorou.

    O secretário apontou que a cidade sempre possuiu uma tradição. Ele disse também que a prefeitura está promovendo um resgate da cultura, porém, de forma diferente.

    Para ele, Tatuí deve investir em blocos de rua para fomentar o Carnaval. “Os desfiles de escolas de samba como acontecem no Rio de Janeiro e em São Paulo, que são grandes sucessos, às vezes, se tornam muito caros. Hoje, as prefeituras estão com pouca verba disponível para o Carnaval. Então, a tendência são os blocos espontâneos”, ratificou.

    O secretário garantiu que a prefeitura está sempre aberta para receber sugestões e novidades. Sinisgalli deve realizar, em breve, uma reunião com os representares dos blocos da cidade e, posteriormente, outra com todos os participantes do Carnaval.

    Conforme ele, a partir desses encontros serão observados os prós e os contras. A ideia é analisar o que foi positivo, negativo e o que poderá ser melhorado.

    “Com certeza, dessa reunião surgirão novas ideias para o próximo ano e queremos sempre estar inovando, acompanhando todas as novidades dos carnavais do estado de São Paulo e de todo o Brasil”, assegurou.

    Sinisgalli reforçou que a tendência será a de, cada vez mais, fortalecer os blocos de rua. Para ele, cada cidade possui a própria identidade quando se trata de Carnaval, “assim como Cerquilho encontrou a própria com trios elétricos e, Porangaba, com desfiles de escolas de samba, Tatuí encontrou o formato através dos blocos”.

    “É algo mais espontâneo, precisa de menos investimentos da prefeitura e dos próprios blocos. Nós estamos vendo que está crescendo e acredito que estamos no caminho certo para voltar a ser um dos maiores Carnavais do interior paulista, como já aconteceu em décadas anteriores, porém em novo formato”, pontuou.

    “Estamos satisfeitos com o retorno que recebemos e sempre abertos para novas ideias. Ano que vem, novamente, faremos um grande Carnaval para Tatuí e toda a região”, finalizou.

    Publicidade
    EleService institucional
    Alessandra Bonilha, dra
    Anglo
    Siltec