Ação da Prefeitura neste sábado efetiva ‘combate’ í  dengue

234
Publicidade
Siltec





A Prefeitura realiza neste sábado, 22, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, intervenção na Praça da Matriz para apresentar dicas de combate à dengue.

Conforme o Departamento de Comunicação Estratégica do Executivo, a ideia é montar uma tenda no local para prestar esclarecimentos sobre a doença.

A ação fará parte da Semana da Mobilização Estadual Contra a Dengue. Desde segunda-feira, 17, a pasta realiza diversas atividades direcionadas à população, com foco na orientação e prevenção à doença.

Ainda segundo a assessoria de comunicação, a programação começou segunda-feira, no Poupatempo.

Publicidade
Siltec

O coordenador do programa de combate à dengue da Secretaria Municipal de Saúde, Toni Sumio Ogata, destaca a importância da campanha para o município, já que a participação da população, na visão dele, é parte importante para prevenir a doença.

Segundo ele, a campanha busca, sobretudo, conscientizar a população para evitar a proliferação do mosquito Aedes Aegypti, responsável pela doença.

A secretária municipal da Saúde, Cecília Oliveira França, salienta que as ações, aparentemente simples, são essenciais para alcançar o objetivo.

“A prevenção é uma arma importantíssima. Hábitos que parecem comuns tornam-se ativos na luta contra a dengue. A melhor forma e mais eficaz é não acumular água parada”, recomendou.

A Prefeitura divulgou que a campanha teve como apoio uma nova cartilha, desenvolvida pelo Departamento de Comunicação e Gestão Estratégica, com diversas informações sobre os cuidados com a dengue.

Pernilongos

Conforme o Departamento de Comunicação, o material também trata da questão dos pernilongos. A cidade estaria conseguindo controlar a infestação, com as pulverizações realizadas, em especial, às margens do ribeirão do Manduca.

Ainda segundo o setor de comunicação, a proliferação do mosquito “atinge a todo o Estado, mas o potencial e a disposição hídrica do município apresentam condições ainda mais favoráveis”.

“São mais de 30 quilômetros de extensão de ribeirões, como o Manduca, o Lavapés e o Ponte Preta, que cortam a cidade”, acrescentou o setor.

A Prefeitura justificou que, além das nebulizações assistidas, a Secretaria de Saúde vem realizando controle larvário nas lagoas de tratamento da Sabesp. Nos dois últimos finais de semana, o trabalho de pulverização teria sido realizado nas escolas e creches.

Conforme o documento, a utilização desse método deve, porém, ser feito com cuidado porque pode causar desequilíbrio ambiental e contaminação da mata ciliar, de encostas e mesmo das águas. “Por isso, é preciso empregá-lo com absoluto rigor e prudência”, ressaltou a Prefeitura.


Publicidade
Siltec