Mortes no trânsito têm redução em julho

Acidentes fatais caíram de cinco para um em comparação ao sétimo mês de 2020

2
Maioria das mortes ocorridas nos meses de julho de 2020 e 2021 é de motociclistas
Publicidade
Da reportagem

O índice de fatalidades no trânsito tatuiano apresentou redução em julho deste ano em comparação a igual período do ano passado. Os dados estão em relatório divulgado pelo Infosiga (Sistema de Informações Gerenciais de Acidentes de Trânsito) na quinta-feira, 19.

De acordo com o sistema gerenciado pelo programa “Respeito à Vida”, do governo do estado de São Paulo, o registro de mortes por acidentes de trânsito caiu 80% no sétimo mês, passando de cinco para uma ocorrência em julho deste ano.

Em julho do ano passado, três motociclistas e dois condutores de automóvel perderam a vida em acidentes de trânsito, sendo três homens e duas mulheres na faixa etária de 25 a 64 anos.

A vítima fatal deste ano é um motociclista de 29 anos, identificado como João Paulo Fernandes Leite. Ele colidiu com a traseira de um caminhão na rodovia Antonio Romano Schincariol (SP-127), próximo ao fórum, por volta das 7h15 do dia 2 de julho.

Já entre os casos de acidentes não fatais, houve aumento de 13,63% no mês de julho deste ano em comparação com o sétimo mês do ano passado. Foram 75 ocorrências neste ano, contra 66 em julho de 2020.

Publicidade

Assim como nos meses anteriores, as colisões representaram a maior parte do número de registros não fatais em julho de 2021. Somente nesta categoria, foram incluídos 34 casos, somando 45,33% do total.

Em seguida, aparece o indicador de “outros tipos” de acidentes (capotamento, tombamento e quedas). A categoria representa 12% dos acidentes sem vítimas fatais no sétimo mês do ano, com nove registros.

Os choques (ocasião na qual um dos veículos ou objeto atingido não está em movimento) aparecem na terceira posição das causas de acidentes no sétimo mês do ano, com seis ocorrências (8%).

Na quarta posição das maiores causas de acidentes de junho, aparecem os atropelamentos, com três ocorrências – o que representa 4% do total. Outros 23 acidentes não tiveram as causas definidas (30,66%).

O Infosiga aponta que a maior parte (77,33%) das ocorrências não fatais, em julho deste ano, ocorreu dentro do perímetro urbano. Nas rodovias, os registros sem mortes representam 21,33% dos casos sem vítimas fatais – 1,33% não teve os locais declarados na ocorrência.

Os casos não fatais foram registrados nas tardes de segunda-feira (seis), manhãs de quinta-feira (cinco), noites de domingo (cinco), noites de segunda-feira (cinco), noites de sábado (cinco), noites de sexta-feira (cinco), manhãs de sábado (quatro), noites de quinta-feira (quatro), tardes de quarta-feira (quatro) e tardes de terça-feira (quatro). Outros 28 óbitos não tiveram as datas especificadas pelo sistema.

Os dados do Infosiga são atualizados mensalmente pela Polícia Militar, Polícia Rodoviária Federal e Corpo de Bombeiros. As corporações encaminham os registros das ocorrências ao SioPM (Sistema de Informações Operacionais da PM), que soma os acionamentos de viaturas para atendimentos.

No estado

No estado de São Paulo, o programa gerenciado pelo Detran mostra queda no número de acidentes fatais envolvendo bicicletas. Na comparação entre os meses de julho de 2020 e julho de 2021, a redução nos óbitos de ciclistas em São Paulo foi de 43,6%, caindo de 39 para 22.

Ainda de acordo com os dados do Infosiga, o estado de São Paulo registrou queda nas ocorrências de óbitos em acidentes com ocupantes de automóveis, com redução de 4,5% no comparativo entre julho de 2020 e julho de 2021.

Publicidade