Governo de SP anuncia liberação de recursos para saúde dos municípios

246
Vice-prefeito participa de videoconferência com o secretário de Desenvolvimento Regional (foto: AI Prefeitura)
Publicidade
Da reportagem

O governador João Doria anunciou na tarde de quinta-feira, 26, em coletiva de imprensa no Palácio dos Bandeirantes, o montante de R$ 218 milhões para 80 municípios enfrentarem a pandemia de Covid-19 e auxiliarem pessoas em situação de vulnerabilidade social.

A liberação abrange 80 municípios com mais de cem mil habitantes, exceto a capital. O vice-prefeito Luiz Paulo Ribeiro da Silva informou que, com população estimada em 120 mil habitantes, Tatuí será beneficiada.

Conforme anunciado pelo governo, a divisão dos recursos será feita por critério demográfico: quanto maior a população, maior o repasse. A intenção é a de se definir três faixas populacionais. As 55 cidades com população entre cem mil e 300 mil pessoas – na qual se enquadra Tatuí – receberão R$ 8 por habitante.

Nas 16 cidades com população entre 300 mil e 500 mil pessoas, o valor de referência sobe para R$ 10 por habitante, e nas nove cidades paulistas com mais de 500 mil habitantes, o valor de referência vai para R$ 12 por pessoa.

Em entrevista O Progresso na manhã de sexta-feira, 27, o vice-prefeito afirmou que a prefeitura ainda não sabia o valor total do recurso a ser destinado à cidade e que o governo ainda não havia divulgado o calculo por município.

Publicidade

“Atendemos na rede de saúde cerca de 180 mil pessoas, mas acredito que o cálculo do governo seja feito sobre a nossa população, de cerca de 120 mil habitantes. Temos que ver se é para toda a população ou aquela ativa. Esses detalhes a gente ainda não sabe”, explicou o vice-prefeito.

Luiz Paulo antecipou que, mesmo sem saber o montante, o município já planeja utilizar a verba para comprar materiais como máscaras, álcool, luvas, aventais e outros produtos de alto consumo nas unidades de saúde.

Ainda apontou que o recurso vem “em boa hora” e poderia ser usado na contratação de mais profissionais de saúde para ajudar nas ações de enfrentamento e prevenção de contágio do coronavírus.

O vice-prefeito afirmou que o município está alinhado às medidas do governo do estado e em contato direto com secretários estaduais para atualizar a situação no atendimento dos casos e nas necessidades da prefeitura.

“É importante este contato para debatermos ações de combate ao coronavírus e trabalharmos juntos com o governo”, disse Luiz Paulo.

Na terça-feira, 24, o vice-prefeito e o secretário municipal da Segurança Pública e Cidadania, coronel Miguel Ângelo de Campos, participaram de videoconferência com o secretário de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi.

Campos reiterou a O Progresso que a conferência serviu para estabelecer uma conexão da prefeitura com as ações do estado. Ele contou que, durante a reunião, o estado também pôde verificar a necessidade dos municípios.

“Basicamente, todas as cidades estão atrás de insumos de consumo direto, como EPIs (equipamentos de proteção individual). Como houve uma procura generalizada a nível mundial, as próprias fábricas estão se recompondo para poder atender à demanda e as cidades estão racionando esses materiais”, apontou.

Além dos materiais de proteção e produtos de uso frequente nas unidades de saúde, Campos contou que as cidades estão pedindo por mais equipamentos, para a instalação de novas UTIs (unidades de tratamento intensivo).

“O principal pleito feito ao estado durante a conferência é a destinação de recurso para material de consumo e também os equipamentos necessários para a montagem de UTIs. Essa é a principal preocupação, mas o governo já prevê a destinação de recursos exatamente para ajudar neste sentido”, comentou o secretário.

Na ocasião, Vinholi já havia adiantado sobre planejamentos futuros e os recursos agora anunciados pelo governo do estado. O secretário estadual também participou da coletiva no Palácio dos Bandeirantes e afirmou que o governo do estado “está trabalhando em parceria com esses municípios para alcançar bons resultados, em especial para a população vulnerável”.

“Não tenho dúvida que estes recursos irão impactar fortemente o interior de São Paulo”, enfatizou o secretário. Ele explicou que as cidades mais populosas foram priorizadas neste primeiro momento porque já são polos regionais em atendimento de saúde.

Também anunciou que continuará fazendo videoconferências com os prefeitos para detalhar as aplicações da verba emergencial. Segundo o governo do estado, o recurso estará disponível para as prefeituras a partir do dia 3 de abril.

Publicidade