GCM implementará sistema que vai integrar diversos serviços públicos

2965
Guarda Municipal faz simulação da tecnologia na viatura da CGM (foto: Gabriel Guerra)
Publicidade

A Guarda Civil Municipal está implantando nova fase do programa de computador que irá gerenciar todos os serviços da corporação. O software, que também terá funções que poderão ser acessadas pelo cidadão e irá oferecer a “tecnologia embarcada” nas viaturas da GCM, ainda não está 100% finalizado.

O sistema foi desenvolvido em conjunto com a Fatec (Faculdade de Tecnologia) de Tatuí, sendo que cinco guardas municipais, responsáveis pelo projeto, são alunos do curso de tecnologia da informação, a se formarem neste ano.

Desde o ano passado, o serviço está sendo implementado e a previsão é de que, até o final de 2020, esteja plenamente em funcionamento. No momento, toda a parte administrativa já está à disposição dos funcionários da GCM.

Segundo o comandante da corporação, Fábio Luciano Leme, o processo é lento devido ao volume de informações necessárias para abastecer o sistema.

O software busca o gerenciamento de toda a estrutura da GCM e é uma facilidade tecnológica para o guarda municipal, viabilizando a melhora do desempenho na rua.

Publicidade

“Todo esse sistema será colocado em prática por módulos, em virtude do tempo que temos para verificar o seu funcionamento. Uma parte vai depender da outra e, aos poucos, vamos colocando tudo em funcionamento”, garantiu Leme.

Segundo o comandante, a GCM procurava um sistema para administrar os trabalhos com eficiência, mas o alto custo dos softwares disponíveis no mercado inviabilizou a aquisição. A solução foi encontrada na parceria com a Fatec.

“Procuramos a diretoria da unidade e explicamos a nossa necessidade. Levamos os professores da Fatec em outras cidades que possuíam um sistema parecido ao que precisávamos”, elucidou Leme.

Para o comandante, o programa irá auxiliar no andamento das ocorrências, colocando todos os documentos e dados estatísticos na tela do aparelho.

A facilidade também estará disponível através de um aplicativo de celular, no qual o guarda poderá acessar seus dados profissionais e outras informações, como requerimentos, escalas de serviços e compromissos com a Justiça.

“Para nós, da cidade de Tatuí, será muito eficiente o sistema, nos ajudará muito a controlar o trabalho da Guarda, desde o almoxarifado, compra de produtos controlados, prontuários internos e as ocorrências”, argumentou.

Após a implementação dos tablets nas viaturas, as ocorrências terão novo método de funcionamento pela GCM. Atualmente, o controlador recebe a solicitação, via telefone, e, após análise, direciona as informações, por rádio, para as viaturas em patrulhamento.

Com o funcionamento do sistema, o controlador irá visualizar, na tela do computador, a viatura mais próxima da ocorrência, encaminhando os dados informados pelo solicitante: local, trajeto mais eficiente e horários. Todo o boletim será feito de forma eletrônica.

“Ao invés de fazer um documento no papel, o guarda municipal preencherá os formulários no tablet. Inclusive, a própria assinatura será feita no equipamento”, assegurou o comandante.

Os registros serão inseridos em tempo real no sistema. Toda a corporação terá, instantaneamente, os dados do atendimento, mesmo que não tenha gerado o boletim de ocorrência.

Outro serviço a ser implantado, no sistema, é o fornecimento dos dados de carros furtados e pessoas que já foram abordadas pelo agrupamento.

O projeto também inclui a instalação de totens. Os equipamentos estarão em diversos pontos da cidade e ajudarão os guardas que realizam o patrulhamento a pé a acessarem o sistema.

O cidadão também poderá acessar os equipamentos para realizar serviços como: informações sobre a GCM, telefones úteis, reclamações ou sugestões. Os boletins de ocorrência da Polícia Civil também poderão ser feitos nos totens.

Segundo Leme, o serviço ajudará o cidadão a ter interatividade com a corporação, facilitando o atendimento de ocorrências. “Hoje, tudo gira em torno de papel, prancheta e anotações. Isso será substituído pela forma eletrônica. Todos terão acesso”, garantiu.

Até o momento, não foi necessário nenhum investimento financeiro para a implantação do sistema, sendo que os tablets fazem parte do patrimônio da Prefeitura.

Já os totens foram adquiridos em parceria com a Fatec, que recebe, da Polícia Civil, alguns caça-níqueis apreendidos durante operações, disponibilizados para o desenvolvimento dos programas executados pela faculdade. “Até agora, o investimento foi mínimo e o retorno, macro”, assegurou Leme.

O sistema será interligado ao georreferenciamento da zona rural, onde as propriedades localizadas em vias sem nome e que não possuem numeração ganharam o chamado “CEP rural”.

“Como o sistema também tem o caráter administrativo, o guarda municipal terá mais facilidade, podendo fazer consultas fora do local de trabalho”, expôs o comandante.

Para os supervisores da corporação, foi desenvolvido um local, dentro do sistema, em que o profissional poderá, com apenas um click, acompanhar as ordens de serviço a serem cumpridas no próximo plantão.

“Essa experiência, que estamos fazendo, está trazendo o que deve ser mudado e aprimorado no sistema. Está nos ajudando bastante e, em pouco tempo, já estaremos colocando os tablets em todas as viaturas”, comunicou.

Leme explicou que o sistema irá especificar, no momento de uma abordagem, através do nome do cidadão, quantas vezes ele foi parado pela GCM e em quais circunstâncias aconteceram as abordagens.

“Isso vai fazer com que o guarda possa conhecer a pessoa que está sendo vistoriada. Quando um cidadão é abordado, alguma razão houve, ou ele aparenta com alguém que cometeu um crime, ou apresentou uma atitude suspeita”, explicou.

A frequência com que a pessoa é abordada em um mesmo local, pode trazer informações que, possivelmente, poderão ser levadas até a Polícia Civil, para que seja investigada, garantiu o comandante. “Poderemos ter uma análise mais completa do serviço que a Guarda presta na rua”, completou.

Leme explicou que o sistema, apesar de não estar 100% em funcionamento, já trouxe resultados positivos no trabalho desenvolvido pela corporação. Em comparação com o primeiro trimestre de 2017, a GCM aumentou o número de pessoas abordadas, de 980 para 1.388.

O número de veículos vistoriados subiu de 80 para 120, as ocorrências de tráfico de drogas aumentaram de 31 para 48 e a captura de pessoas procuradas cresceu de 6 para 13 pessoas.

Durante os três primeiros meses de 2017, foram realizados 70 flagrantes e, no mesmo período de 2018, o total subiu para 110. O número de pessoas que foram presas nas ocorrências que tiveram atuação da GCM aumentou de 88 para 154.

Publicidade