Emprego abre 221 postos no mês de junho

Cinco setores econômicos de Tatuí fecharam o 6º mês com saldo positivo, aponta Caged

1
Município gera 818 novos postos de trabalho no primeiro semestre (foto: divulgação PAT)
Publicidade
Da reportagem

As contratações do mercado de trabalho formal em Tatuí fecharam o sexto mês consecutivo com saldo positivo. Dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) mostram a geração de 221 novos postos em junho de 2021.

O órgão da Secretaria Especial de Previdência e Trabalho, do Ministério da Economia, divulgou o resultado do sexto mês do ano na tarde desta quinta-feira, 30 de julho. Os números do mês passado devem ser divulgados em 28 de agosto.

Conforme o cadastro, o município somou 921 admissões e 700 demissões em junho. O resultado é o melhor da série histórica do Caged, iniciada em 2007. Entre 2016 e 2019, o saldo do mês de junho foi negativo.

No sexto mês, os cinco setores analisados criaram vagas formais. Segundo o levantamento, a estatística de junho é liderada pelo setor de serviços, com saldo de 70 novos postos, advindos de 299 admissões para 229 demissões.

A atividade é a maior empregadora da cidade e concentrou 33,98% do estoque de empregos de junho, com 9.363 trabalhadores formalizados. Até o sexto mês, o Caged apontava 27.553 trabalhadores no mercado formal, com carteira assinada.

Publicidade

Na análise entre os subsetores, o relatório mostra quatro dos seis tipos de serviços com saldo positivo. O melhor resultado é o do setor de informação, comunicação e atividades financeiras (imobiliárias, profissionais e administrativas), com a abertura de 34 vagas, advindas de 98 contratações e 64 desligamentos.

Em seguida, aparecem os serviços de transporte, armazenagem e correio, com mais 22 postos (85 admissões para 63 demissões); alojamento e alimentação, com a abertura de 13 vagas (59 para 46); e administração pública, defesa, seguridade social, educação, saúde humana e serviços sociais, com dez novas vagas (50 para 40).

Outros dois subsetores de serviços encerraram junho no vermelho: sendo uma vaga fechada em serviços domésticos (nenhuma contratação para uma demissão) e menos oito postos em outros tipos de serviços (7 para 15).

A segunda maior contratadora no sexto mês do ano foi a indústria, com a abertura de 69 novos postos. O saldo é resultado de 235 contratados para 166 desligados da atividade econômica.

O setor industrial é o segundo maior empregador do município, com o estoque de 8.268 funcionários formalizados (30% do total) – o número representa variação de 0,84% em relação ao mês anterior.

O saldo da atividade econômica foi alavancado pela indústria de transformação, responsável pela geração de 67 novos postos, resultado da contratação de 226 funcionários e 159 demitidos no período.

Outro subsetor com saldo positivo é o da indústria de água, esgoto, atividades de gestão de resíduos e descontaminação, responsável por quatro contratações e um desligamento, resultando em três novas vagas.

Já a indústria de extrativas perdeu uma vaga de emprego formal no sexto mês, com cinco admissões e seis demissões. Na indústria de eletricidade e gás, não houve contratações nem demissões.

O terceiro setor com saldo positivo no mercado de trabalho formal é a agropecuária. O grupo, que abrange agricultura, pecuária, produção florestal, pesca e aquicultura, gerou 50 novas vagas, com 63 admissões para 13 desligamentos.

A atividade econômica é a quarta maior contratadora do município, e, segundo o cadastro, concentrou 5,50% do estoque de empregos contabilizados até o sexo mês do ano, com 1.518 funcionários.

O comércio aparece na quarta colocação dos que mais geraram emprego em junho, com a abertura de 30 novos postos. O saldo é resultado de 283 contratados para 253 demitidos.

O setor comercial é o terceiro maior empregador do município, com o estoque de 7.581 funcionários formalizados (27,51% do total). O número representa variação de 0,40% na comparação com o saldo do mês de maio.

Entre os subsetores do comércio, o melhor resultado é o do setor varejista, responsável pela abertura de 43 vagas. O resultado é advindo de 216 contratações para 173 demissões durante o sexto mês.

O comércio por atacado aparece com saldo negativo no período, com a perda de duas vagas – resultado de 52 contratações para 54 demissões.

Em seguida, vem o setor de recuperação de veículos automotores e motocicletas, com saldo negativo, apresentando perda de 11 postos de trabalho formal – resultado de 15 admissões para 26 desligamentos.

Completa a lista das atividades analisadas o setor da construção civil. A atividade econômica abriu duas vagas no sexto mês deste ano – resultado de 41 contratações e 39 desligamentos.

O setor concentra 2,98% da mão de obra no município, com 823 trabalhadores formalizados nas áreas de obras de infraestrutura, construção de edifícios e serviços especializados para a construção.

Na análise do saldo dos subsetores, o melhor resultado é do setor de construção de edifícios, com saldo positivo de 11 vagas, advindas de 26 contratações e 15 desligamentos. Outros dois subsetores aparecem com saldo negativo: serviços especializados da construção (menos seis) e obras de infraestrutura (menos três).

Acumulado

As contratações de junho contribuíram para manter saldo positivo na soma do primeiro semestre do ano. Entre janeiro e junho, Tatuí gerou 818 novas vagas de emprego – advindas de 5.250 contratações para 4.432 demissões.

Na soma dos seis meses de 2021, os cinco setores analisados pelo Caged geraram novos postos de empregos. A estatística é liderada pela indústria, com saldo de 377 novas vagas (1.578 admissões e 1.201 desligamentos).

O segundo setor com maior saldo na geração de emprego nos seis meses é o comércio. A atividade econômica abriu 155 novos postos, advindos de 1.693 contratações para 1.538 desligamentos.

Em terceiro lugar, vem o setor de serviços, com saldo positivo de 151 novos postos durante os primeiros seis meses. O resultado vem de 1.606 admissões para 1.455 demissões.

Em seguida, está a agropecuária. A atividade econômica foi responsável pela geração de 74 novas vagas, advindas de 117 admissões e 43 desligamentos no período.

Por último na lista dos setores que mais empregaram, aparece a construção civil, com a geração de 61 novas vagas nos primeiros seis meses do ano, advindas de 256 admissões e 195 desligamentos.

De acordo com o diretor do Trabalho e Desenvolvimento Econômico, Gustavo Grando, a atual administração “vem trabalhando constantemente para garantir a todos da cidade oportunidades de trabalho e qualificação”.

“Temos visitado as fábricas em busca de parcerias, e estamos cada vez mais confiantes na retomada da economia nos próximos meses e, consequentemente, no aumento de novas vagas de trabalho”, ressaltou o diretor.

Grando ainda antecipou estar preparando, por meio da Secretária de Trabalho, um programa de qualificação profissional para os próximos meses. “As vagas vão chegar e precisamos estar prontos, com mão de obra qualificada”, observou.

Segundo ele, para oferecer cursos, o departamento está levantando quais os tipos de mão de obra se encaixam na realidade do município. “Não queremos só oferecer o curso, queremos gerar mais empregos”, completou.

Ele acrescenta que o Posto de Atendimento ao Trabalhador continua com vagas em aberto e recebe currículos diariamente para encaminhá-los aos contratantes, além de ceder espaço às empresas para o processo de seleção dos candidatos.

Saldo nacional

O saldo de Tatuí segue tendência nacional. Conforme o balanço do órgão do Ministério da Economia, o Brasil fechou os primeiros seis meses de 2021 com saldo positivo de 1.536.717 empregos formais.

O saldo nacional é resultado de 9.588.085 admissões e 8.051.368 desligamentos. Com isso, o estoque de empregos formais no país chegou a 40.899.685 vínculos, o que representa variação de 3,90% em relação ao estoque contabilizado até maio.

Os números mostram que, na totalização dos seis meses, todos os grupamentos de atividades econômicas apresentaram saldo positivo no país, com destaque para o setor de serviços, com a geração de 631.613 novos postos.

Somente em junho – resultado mais recente divulgado pelo órgão -, o país gerou 309.114 novos postos, fechando o sexto mês com saldo positivo, advindo de 1.601.001 contrações e 1.291.887 desligamentos.

Publicidade