Defesa Civil registra 7 ocorrências relacionadas a incêndio em Tatuí

Chamados ocorreram na área urbana; órgão orienta sobre perigos da prática

Defesa Civil acentua série de prevenções (Foto: Divulgação)
Da reportagem

Em duas semanas, a Defesa Civil atendeu sete ocorrências ocasionadas por incêndio em Tatuí na área urbana. A primeira delas aconteceu no dia 30 de abril, em um terreno no residencial Vida Nova Pacaembu, ao lado do ecoponto municipal.

De acordo com o coordenador do órgão, Sérgio Luiz de Moraes, quando a equipe chegou ao local, as chamas já tinham atingido os materiais concentrados no ecoponto e a fumaça gerada pelo fogo estava se alastrando para as casas vizinhas.

Ele informou que, nessa ocorrência, o Corpo de Bombeiros foi acionado para auxiliar no rescaldo e deixar o local em segurança.

Outra ocorrência aconteceu na quinta-feira da semana passada, 2, em uma praça na rua Maria Emília Rocha, no Jardim Rosa Garcia. Ainda na semana passada, um outro incêndio atingiu uma área de vegetação no residencial Alvorada.

As ocorrências continuaram nesta semana, com mais quatro atendidas pelo órgão. Conforme Moraes, somente na terça-feira, 7, foram três casos: um no bairro Santa Rita, próximo ao campo municipal; dois próximos ao cemitério São João Batista, no Jardim Tomáz Guedes; e a terceiro, no bairro Nova Santa Cruz.

O coordenador ainda relatou que, na segunda-feira, 6, houve um grande incêndio em uma área verde do residencial Vida Nova Pacaembu, cuja ocorrência teve de ser atendida pelo Corpo de Bombeiros. O fogo consumiu grande parte da vegetação, gerando, segundo ele, “um grande incômodo para os moradores próximas à área afetada”.

“Com a falta de chuva, pequenas faíscas podem causar grandes incêndios. Por isso, deve ser evitado acender fogueiras ou realizar qualquer tipo de queimada. E não jogue cigarros ou fósforos acesos às margens das rodovias”, orientou.

Ele ainda pediu para que as pessoas não soltem balões. A prática, além de ser considerada crime, pode causar incêndios e danos irreparáveis à natureza.

As causas dos incêndios são desconhecidas. No entanto, ele disse acreditar que muitos são criminosos, “sendo difícil flagrar o incendiário colocando fogo na vegetação”.

“Alguns são por descuido, em razão de a pessoa querer fazer uma limpeza no terreno, perdendo-se o controle. Pelo clima estar muito seco, qualquer forma de ignição pode causar incêndio na vegetação”, salientou. Moraes explicou que um simples reflexo do sol em um pedaço de vidro pode provocar o início das chamas.

Entre os cuidados de prevenção listados pelo órgão, estão: evitar acender fogueiras ou realizar qualquer tipo de queimada, não jogar cigarros ou bitucas próximos às margens de rodovias e ruas perto de vegetação e não realizar limpeza de terrenos utilizando fogo.

“Com a umidade relativa do ar baixa, a poluição das queimadas fica por mais tempo suspensa, prejudicando as pessoas que sofrem com problemas respiratórios”, observou.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), a faixa ideal de umidade para o organismo humano situa-se entre 40% e 70%. Quando ela cai para 30%, já se configura situação de alerta, com prejuízos evidentes para a saúde.

“Se hidrate. Umedeça o ambiente com toalhas molhadas e recipientes com água. Evite fazer exercícios físicos quando o ar estiver muito seco. E, e em dias quentes, coloque o chuveiro na posição verão, diminuindo em até 30% o consumo de energia”, reforçou.

Ele concluiu dizendo que a pessoa que for pega ateando fogo em terrenos ou soltando balões será encaminhada à delegacia. Lá, será elaborado boletim de ocorrência por crime ambiental, em razão da lei municipal 4.396, que criminaliza o ato.

Em situações emergenciais, a pessoa deve acionar a Defesa Civil de Tatuí, pelo telefone 199, ou o Corpo de Bombeiros, por meio do 193.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui