Conservatório de Tatuí promove Mostra de Artes Cênicas 2021

Evento reunirá alunos e professores em mostras virtuais e gratuitas

47
Cenas de “A Dona da Casa”, espetáculo que faz parte da Mostra de Artes Cênicas 2021 (foto: AI Conservatório de Tatuí)
Da redação

O Conservatório de Tatuí realiza até dezembro a Mostra de Artes Cênicas 2021, com programação virtual e gratuita. Conforme a assessoria de comunicação da instituição, o evento faz parte da conclusão de “uma etapa densa de formação dos alunos e alunas de artes cênicas”.

A programação traz 25 apresentações em dois momentos distintos: na primeira semana de novembro e na primeira de dezembro, com transmissão ao vivo pelo canal do Conservatório de Tatuí no YouTube, pelo link: https://www.youtube.com/channel/UCrnwQEnQ-qeKt5E3BR36qmA.

A assessoria de comunicação informa que a ação tem como objetivo “tornar público os percursos de pesquisa e criação realizados por cada turma dos cursos de formação, livres e de aperfeiçoamento”.

“Vamos dar um panorama dos trabalhos artístico-pedagógicos que estamos realizando. Assim, o público poderá perceber o processo de transformação dos alunos e alunas e o desenvolvimento dos exercícios cênicos criados”, declara Antonio Salvador, gerente artístico e pedagógico de artes cênicas do Conservatório.

Segundo ele, o objetivo “não é mostrar um produto e, sim, experimentações artísticas e seus modos de construção”.

Entre a primeira semana de novembro e dezembro, também serão realizados, como parte da mostra, outros dois trabalhos com características “peculiares”.

O primeiro é “A Dona da Casa”, experimento cênico do último ano do curso de teatro adulto, que será apresentado durante sete dias – a cada dia com um formato diferente.

Em seguida, tem a produção da Cia. de Teatro do Conservatório de Tatuí, que desenvolve neste ano uma pesquisa específica sobre “a apreciação sensível do espectador”.

Sob a coordenação do professor Thiago Leite, a companhia tem mostrado as criações em processo desde junho, com o projeto “Ações Para Suspender o Tempo”, que envolve procedimentos de acessibilidade e mediação teatral.

A programação continua com o projeto “A Dona da Casa”, com a turma do terceiro ano do curso de teatro adulto, com reapresentações nos dias 10, 17, 22, 24, 29 de novembro e 3 de dezembro, sempre às 20h30, e classificação indicativa de 18 anos.

De acordo com a sinopse, “A Dona da Casa” é um trabalho que busca evidenciar as condições do fazer teatral em casa, online.

“Para além de pensarmos as cenas em quadros, buscamos investigar a construção de dramaturgias não lineares. Cada atriz e ator compôs seus textos (entendemos trama de imagens, palavras, sons e demais) partindo de um mesmo texto”.

“Como disparadores, tivemos mentiras, segredos, acontecimentos comuns e desejos. Quem é Domitila? O ato de falar sobre Domitila diz mais sobre ela, sobre quem diz ou quem assiste? A dinâmica das apresentações irá acontecer de modo experimental. Não há uma sequência lógica das cenas. A cada dia, um novo embaralhamento, novas possibilidades de relações, montagens e composições”, diz a sinopse.

Nos dias 27 e 28 de novembro, às 17h, estará disponível o projeto “Ações Para Suspender o Tempo – Experimento n° 5”, da Cia. de Teatro do Conservatório de Tatuí, com classificação livre.

“Somos capazes de suspender o tempo quando algo ou alguém nos chama a atenção? Qual a idade das coisas ao nosso redor? Para responder a essas questões, montamos uma espécie de quebra-cabeça, articulando memórias, cenas do cotidiano, modos de agir e de se relacionar com as coisas, as pessoas e, principalmente, o tempo”, informa a sinopse.

A criação faz uso de elementos de audiodescrição, “tornando-a acessível a espectadores com deficiência visual, ação que tem transformado profundamente a maneira de os artistas envolvidos conceberem a obra e experimentarem o mundo”, ressalta a instituição.

No dia 1º de dezembro, às 14h, tem “Porta Afora – Porta Adentro”, curso de cenografia, com classificação livre. Trata-se do compartilhamento de procedimentos e observações para preparação de espaços cênicos em espaços alternativos.

Também no dia 1º, às15h, estará disponível a aula aberta “O Ator Multimeios”, curso livre com Jonnatha Horta Fortes. A atividade tem classificação livre.

Segundo a instituição, a ação é uma mostra de experiências artísticas derivadas do curso. “Nele, conhecemos grupos e artistas que dialogam com a linguagem multimeios, debatemos sobre formas e conteúdos dessas encenações e realizamos exercícios de criação com enfoque na atuação cênica”, informa o Conservatório de Tatuí.

Também no dia 1º, às 16h, ocorre “E Se os Pés Fossem Poesia? Poesia P(és)!”, com a turma do primeiro ano do curso de teatro juvenil, com classificação livre.

“Trata-se do compartilhamento do percurso realizado pelos alunos do primeiro ano do curso de teatro juvenil, a partir da ressignificação de palavras, lugares e partes do corpo”, segundo a produção.

Na noite de 1º de dezembro, às 20h30, tem a ação “Quem Te Viu, Quem Te Lê!?”, com a turma do primeiro ano do curso de teatro adulto. A ação, com classificação de 16 anos, é um “compartilhamento da pesquisa sobre teatro jornal e suas possibilidades no formato online”.

No dia 2 de dezembro, às 14h, o grupo jovem de teatro apresenta o projeto “(Re) Significar”, com cenas desenvolvidas a partir do jogo de “ressignificação de palavras e criação de imagens”. A atividade tem classificação livre.

Também no dia 2, às 15h30, acontece o projeto “Elas”, com os alunos do segundo ano do curso de teatro juvenil. A ação tem classificação livre e mostra “mulheres incríveis e inovadoras que se destacaram na ciência, história, política, música e muitas áreas do conhecimento. Histórias de mulheres que hoje nos inspiram por suas conquistas, desafios e contribuições à arte e à vida”, conforme a sinopse do projeto.

Na noite do dia 2, às 20h30, alunos do segundo ano do curso de teatro adulto apresentam “Corpo ao Avesso: Ensaio Sobre a Ameixa”, com classificação de 12 anos.

No espetáculo, a história das mulheres de uma família é recuperada a partir de trocas de cartas entre duas irmãs. “A cada situação, um jogo metafórico entre passado e presente se instaura. Nele, as relações entre corpo-voz, espaço, palavra, som, luz e figurino são tomadas como fios dramatúrgicos”, conta a sinopse.

“O possível desenho de cena que emerge da tecitura desses fios nasce enquanto experimento relacional, enquanto consequência de uma prática investigativa acerca das interações entre a atriz/o ator e os elementos que constituem a cena. Como matéria-palavra dessa composição, recorre-se ao texto ‘A Idade da Ameixa’, de Aristides Vargas”, destaca.

No dia 3 de dezembro, às 15h30, a turma do terceiro ano do curso de teatro juvenil apresenta “Vozes em Construção”, com classificação livre.

“Enquanto o silêncio acobertar a indiferença, a sociedade continuará avançando em direção ao passado de barbárie. É tempo de escrever uma nova história e de mudar o final”, cita a sinopse do espetáculo.