Câmara Municipal pede aplicação da vacina Janssen em moradores de rua

Parlamentares creem que público deve receber imunizante de dose única

10
Parlamentares aprovaram 2 indicações, 87 requerimentos e 16 moções (foto: Eduardo Domingues)
Publicidade
Da reportagem

Os vereadores aprovaram, em sessão ordinária na noite de segunda-feira, 12, um requerimento com pedido voltado à vacinação de moradores em situação de rua.

O documento 2.103/21, apresentado por Maurício Couto (PSDB) e assinado por outros parlamentares, pede que a prefeitura informe sobre a possibilidade de priorizar a vacinação desse público com a vacina Janssen.

De acordo com a justificativa, o vereador foi procurado por um munícipe que realiza trabalhos com pessoas em situação de rua e que, “ambos preocupados com este público”, ele decidiu solicitar a aplicação da Janssen, que é de dose única.

Cidades do interior do estado, como Americana, Campinas, Laranjal Paulista e Limeira, além de capitais, como São Paulo e Salvador (BA), são algumas das localidades que adotaram a mesma medida para garantir a imunização em dose única, segundo Couto, tendo em vista que esse público poderia não voltar para receber a segunda dose.

Até às 9h desta terça-feira, 13, a Vigilância Epidemiológica, órgão da Secretaria Municipal de Saúde, informou ter aplicado 78.199 doses da vacina contra a doença no município, entre as quais 3.082 são de dose única.

Publicidade

Além da Janssen, o órgão municipal tem realizado a imunização com as vacinas Butantan/Coronavac, Fiocruz/AstraZeneca e Biontech/Pfizer, sendo que, do número total, 59.284 são referentes à primeira dose e 15.833, à segunda.

Correios

Através de dois requerimentos semelhantes, somando dez assinaturas, os parlamentares solicitam que a prefeitura realize ação em conjunto com a Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos para que os serviços de distribuição postal passem a ser realizados no Residencial Vida Nova 1 e 2.

Conforme a justificativa de uma das matérias, desde 2019, os moradores dos bairros reivindicam a regularização do serviço para não precisarem receber as correspondências na residência de outras pessoas ou ter de buscá-las na agência central do Correios.

“Isso causa um grande desconforto e perda de tempo, pois, muitas vezes, ocorrem extravios de correspondências ou chegam atrasadas. Por consequência, os moradores acabam pagando multas em contas, como carnês de carro, faturas de cartões de crédito e de telefone”, acrescenta a justificativa.

Na tribuna, o vereador Fábio Antônio Villa Nova (PP) disse ter encontrado, em pesquisa no sistema da Câmara Municipal, requerimentos semelhantes, um deles apresentado em dezembro de 2019 e respondido pelos Correios em 31 de janeiro do ano passado.

Na resposta, Pedro Orestes Toledo, superintendente estadual de operações de São Paulo interior dos Correios, apresentou alguns critérios para que algum bairro ou distrito tenha o serviço de entrega postal.

Segundo ele, é necessário: possuir indicação correta do endereço de entrega; CEP (Código de Endereçamento Postal); ter 500 ou mais habitantes; oferecer condições de acesso e segurança aos funcionários dos Correios; placas indicativas das ruas instaladas pelo órgão municipal; e iluminação de forma ordenada, individualizada e única.

“O bairro já contempla todos esses itens. Já está mais do que na hora de o bairro Pacaembu ter esse serviço dos Correios”, declarou Villa Nova.

Em conjunto, 13 dos 17 vereadores protocolaram o requerimento 2.136/21, perguntando à prefeitura como estão as tratativas para que Tatuí seja contemplada com uma “Casa da Juventude”.

Pela justificativa, os autores indicam que a entidade tem como premissa ajudar jovens na busca por oportunidades de emprego e renda com ações voltadas à qualificação profissional, economia criativa, empreendedorismo e convivência.

“Além de cursos, a Casa da Juventude incentivará o ‘coworking’, com área projetada especificamente para o trabalho colaborativo, garantindo que os jovens possam desenvolver projetos empresariais em diversos setores”, indica a justificativa. “É uma oportunidade de desenvolvimento social, profissional e econômico para o público jovem”, completa a matéria.

Juntamente com os edis Cláudio dos Santos (PSL), Villa Nova e Renan Cortez (MDB), Paulo Sérgio de Almeida Martins (PRTB) solicita à prefeitura, pelo requerimento 2.133/21, a implantação de um programa de incentivo ao esporte para crianças e adolescentes no Jardim Rosa Garcia 2.

Segundo Martins, a intenção do programa é retirar os garotos da ociosidade, do convívio com criminalidade e do acesso às drogas. “É triste de ver crianças no meio daquele lugar, onde as pessoas usam e vendem drogas. Não é uma ou duas, são 15, 20 crianças, pois moram ali”, relatou o parlamentar.

Moradias populares

Débora Cristina Machado de Camargo (PSDB) apresentou o requerimento 2.098/21, endereçado ao governador João Doria, perguntando sobre a atual situação do empreendimento “Tatuí H”, da Secretaria de Estado da Habitação, pela CDHU (Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano).

No dia 29 de janeiro de 2020, em evento na Concha Acústica Municipal “Maestro Spártacco Rossi”, a secretaria estadual sorteou 158 moradias do programa Nossa Casa para a população de baixa renda.

A companhia previa a construção de um conjunto habitacional com dez torres de 16 apartamentos em cada uma delas (quatro unidades por andar). O novo empreendimento estava sendo construído em área da prefeitura de 17,4 mil metros quadrados, no bairro Inocoop.

O projeto previa, ainda, a construção de duas quadras poliesportivas, salão de festas, área de lazer, toda a infraestrutura de água, energia e gás, além de acessibilidade aos portadores de deficiência física, acumulando investimento da CDHU no valor de R$ 15,7 milhões.

“Muitas pessoas têm me procurado, dizendo que sonharam com a casa e em receber as chaves”, contou. “Estou fazendo esse requerimento para sabermos se há alguma previsão para informarmos as pessoas que foram sorteadas e aguardam que os sonhos sejam realizados”, declarou a vereadora.

Durante a sessão ordinária, os parlamentares aprovaram todas as 2 indicações, 87 requerimentos e 16 moções. Entre eles, João Éder Alves Miguel (MDB) requer que a prefeitura informe se existe a intenção de promover cursos de aperfeiçoamento de empreendedorismo a microempresários tatuianos.

De acordo com a justificativa, “os microempresários têm movimentado a economia local, gerando diversos postos de emprego, e merecem apoio do poder público municipal para fomentar o desenvolvimento dos negócios”.

“Tatuí tem vocação empreendedora e não é de hoje, visto a Fábrica São Martinho, no final do século 19. Precisamos criar instrumentos para estimular os empreendedores e gerar empregos na cidade”, finalizou Alves Miguel.

Publicidade