‘2014 ainda será de acerto’, diz Manu

308
Publicidade





Cristiano Mota

Manu afirmou que Prefeitura tem de pagar, ainda, 50% restantes de ‘dívida herdada’ de gestão anterior

 

O segundo ano da administração do prefeito José Manoel Correa Coelho, Manu, deverá se equiparar ao primeiro no que se refere a investimentos realizados. Pelo menos é o que mencionou o gestor público em evento na segunda-feira, 11.

Em discurso de inauguração do “Ambulatório de Curativos”, na vila Esperança, Manu sustentou que o Executivo continuará a “passar por dificuldades” no ano que vem. Ele, ainda, afirmou que elas são decorrentes de “dívidas herdadas”.

Publicidade

Em entrevista, o prefeito voltou a declarar que “2014 ainda será um ano de acerto de contas”. De acordo com ele, a Prefeitura tem muitos débitos a acertar. “Atingimos 50% das dívidas que herdamos. Ainda falta mais 50%”, falou.

Manu afirmou que o Executivo deverá enfrentar um “ano de muita dificuldade”. “Apesar de termos menos dificuldades que nesse ano, ainda vamos ter uma grande parcela das dívidas (que foram parceladas) para pagar. Muitas delas, terão de ser quitadas até o final da nossa gestão”, comentou.

Segundo ele, a administração municipal terá “um pouco mais de tranquilidade” a partir de 2015 ou de 2016. “Sabemos que o grosso, realmente, foi nesse ano. No ano que vem, ainda teremos uma boa parcela a quitar”, alegou.

Apesar do panorama, o prefeito afirmou que o Orçamento do ano que vem, estimado em R$ 273 milhões, deve ser suficiente para a Prefeitura realizar os projetos que estava planejando. O projeto orçamentário do Executivo ainda não foi votado pela Câmara Municipal. Os vereadores têm até o mês que vem para aprová-lo.

Manu afirmou que a Prefeitura tem expectativa de “superávit”. “Creio que vamos conseguir, realmente, sanar os problemas das dívidas no ano que vem, dívidas que o município herdou da gestão anterior”, enfatizou o prefeito.

Neste ano, o administrador municipal trabalha com Orçamento de R$ 230 milhões. No ano que vem, contará com o valor do reajuste do IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano), que teve aprovação em sessões conturbadas na Casa de Leis. Apenas quatro dos 17 vereadores votaram contra.

O prefeito não considerou o aumento do IPTU como uma ajuda no aumento da arrecadação do Orçamento 2014. Disse apenas que ele representou um “ajuste”. “Tivemos de fazê-lo, justamente, para acertar a casa”, falou.

Manu também não falou em arrocho financeiro, mas disse que a Prefeitura poderá encontrar outras fontes de recursos para compensar os gastos com “dívidas herdadas”.

“Temos, ainda, portas que conseguimos abrir nesse ano, com os governos federal e estadual. Muitas das obras que vão acontecer, serão através de convênios e de emendas. Obras que, realmente, são de grande impacto”, disse o prefeito.

Mesmo com dificuldades, Manu salientou que a Prefeitura vai continuar realizando investimentos. Um deles, no valor aproximado de R$ 6 milhões, deve acontecer no ano que vem e atender a área da Educação. Trata-se da construção de uma Emef (Escola Municipal de Ensino Fundamental) no bairro Tanquinho.

“Será, com certeza, a melhor escola do município. Vamos fazer num padrão de qualidade que vai surpreender a todos. É um projeto já para o ano que vem e realizado com recursos próprios, da nossa Educação”, destacou.

Ainda sobre investimentos, o prefeito afirmou que “muitos serão realizados por meio de convênios”. Neste sentido, recursos que estariam previstos no Orçamento municipal para área da infraestrutura, por exemplo, poderão ser realocados para áreas consideradas “prioritárias”, como a Saúde e a Educação.

Melhorias também nessas áreas, nas quais o Executivo deverá ter ajuda do Estado, podem contribuir para que a Prefeitura faça novos investimentos. “A construção de um centro de fisioterapia e a reforma do nosso laboratório, por exemplo, já devem estar no nosso Orçamento. Evidentemente que esse recurso próprio vai para outra coisa se precisarmos”, disse.

Nesse caso, o prefeito afirmou que poderá investir na contratação de pessoal especializado, pagamento de funcionários ou na aquisição de novos equipamentos.

Por fim, disse que a previsão orçamentária para 2014 está a contento da administração. Manu afirmou que a Prefeitura está “ansiosa” e tem expectativa positiva.


Publicidade