Zoonoses age contra caramujos africanos no bairro Congonhal

329
Caramujos africanos podem ser prejudiciais para a agricultura e provocar doenças graves (foto: AI Prefeitura)
Publicidade

O Centro de Controle de Zoonoses, da Secretaria Municipal de Saúde, nos dias 5 e 6, realizou ações de controle de caramujos africanos – Achatina fulica – no bairro Congonhal, após serem comunicados por profissionais da unidade básica de saúde (UBS) do bairro sobre um surto desse molusco no local.

De acordo com o visitador sanitário do Centro de Controle de Zoonoses, Samuel Gimenez, foi feita a dedetização na UBS e, também, passadas as devidas orientações aos moradores sobre como agir com os caramujos africanos.

“O ideal é coletá-los logo pela manhã ou em dias nublados e chuvosos, pois é quando eles saem de seus abrigos em maior número. A coleta deve sempre ser feita com luvas”, explicou.

“Depois, é preciso colocá-los em sacolas plásticas com cal dentro e quebrar suas conchas, para que a água da chuva não fique dentro delas. Então, deve-se enterrar a sacola em um buraco fundo na terra, ou, então, colocá-la junto com o lixo normal”, acrescenta Gimenez.

Ele ressalta que os caramujos aparecem por causa da umidade e, por serem animais assexuados, reproduzem-se rapidamente, sendo capazes de colocar cerca de 600 ovos por ano. Eles se alimentam de flores, folhas, frutas, hortaliças e até papelão, o que também facilita a proliferação.

Publicidade

Além de se alastrarem facilmente, os caramujos africanos podem ser prejudiciais para a agricultura e provocarem doenças graves nos seres humanos, por meio do muco contaminado com os vermes “Angiostrongylus costaricensis” e “Angiostrongylus cantonensis”.

O primeiro é responsável pela angiostrongilíase abdominal, que provoca fortes dores no abdômen, febre, perda do apetite, vômitos e outros sintomas, podendo até levar à morte.

O outro verme causa a meningite eosinofílica, que, quando instalada no sistema nervoso central, inflama as meninges – membrana que envolve o cérebro e a espinha –, também pode levar à morte.

Portanto, o visitador sanitário do Centro de Controle de Zoonoses orienta os moradores que acharem os caramujos nas residências para que – além de seguirem as orientações já apontadas – mantenham os quintais, jardins e terrenos os mais limpos possível, sem folhas caídas no chão, com a grama aparada e sem entulhos.

Publicidade