Universalização de creche é meta para equipe da prefeita

3404
Gonzaga disse que proposta é desafio a ser cumprido até fim de mandato (foto: Cristiano Mota)
Publicidade

A universalização de vagas em creches é a nova meta da Secretaria Municipal de Educação, conforme os secretários municipais Marisa Aparecida Mendes Fiusa Kodaira (Educação) e Luiz Gonzaga Vieira de Camargo (Governo).

Os dois divulgaram o objetivo de atender todas as crianças no início do aprendizado, em evento de inauguração na tarde de sexta-feira, 16.

No Tanquinho, Gonzaga acentuou que a Prefeitura começara 2018 “com o pé direito”. Ele ressaltou que a Emei (Escola Municipal de Ensino Fundamental) “Valderes de Souza” é a segunda unidade entregue em menos de um mês. Em janeiro, o Executivo inaugurou a creche-escola do Congonhal.

“A prefeita (Maria José Vieira de Camargo) tem uma meta de, até o final da gestão dela, zerar o número de pedido de vagas de creche na nossa cidade”, revelou.

Para o secretário, a proposta representa um desafio ao Executivo. Gonzaga enfatizou que a administração terá de ampliar a estrutura de modo a universalizar o atendimento às crianças, como acontece com os alunos da pré-escola.

Publicidade

Em Tatuí, segundo o secretário, todos os estudantes de quatro e cinco anos estão em sala de aula. “Estamos trabalhando firme para que as de zero a três também tenham sua vaga garantida”, afirmou. A informação já havia sido antecipada por Marisa à reportagem de O Progresso, na inauguração do Congonhal.

A meta divulgada pelo secretário está dentro das “características de governo”. Gonzaga afirmou, em discurso, que a equipe implantara como regra geral que a administração não teceria críticas contra os adversários e antecessores.

“Estabelecemos esse entendimento. Entre nós, ninguém fala, ninguém critica. Não tem necessidade, porque a nossa resposta tem sido o trabalho”, complementou.

De acordo com o secretário, o Executivo tem conseguido cumprir com o acordo e ido além. Gonzaga destacou que a prefeita Maria José tem demonstrado “muita sabedoria em conduzir a cidade dentro de um ambiente de respeito”.

Gonzaga, contudo, reconheceu que a Emei precisara de atenção da administração. Segundo ele, a obra estava abandonada. “A empreiteira não tinha recebido nada de pagamento”, adicionou.

Por determinação de Maria José, o Executivo conseguiu retomar a construção. O secretário também mencionou que a inauguração representava o cumprimento de promessa de campanha eleitoral e um ganho para a população.

“A maior riqueza que uma cidade pode ter aos seus filhos é a educação. Nada supera a educação, porque, sem educação, nós não teremos progresso”, concluiu.

Com construção paralisada desde 2016, a Emei do Tanquinho é a segunda obra interrompida na administração anterior entregue pela atual prefeita. De acordo com a secretária da Educação, a Prefeitura já resolveu os impasses relacionados a outras três obras: uma quadra coberta no São Cristóvão e duas creches.

Marisa informou que o Executivo não precisara realizar alterações nos projetos das construções. A administração apenas buscou entendimentos com as empreiteiras responsáveis pelas obras. “O Departamento Jurídico resolveu todas as questões da melhor forma possível”, acentuou.

As conclusões das obras são esperadas ainda para o primeiro semestre deste ano.

Publicidade