Trabalho formal abre 108 vagas em maio

Quatro dos cinco setores analisados pelo Caged fecharam o 5º mês com saldo positivo

31
PAT recebe currículos e realiza entrevistas (foto: divulgação PAT)
Publicidade
Da reportagem

Pelo quinto mês consecutivo, as contratações no mercado de trabalho formal de Tatuí tiveram saldo positivo. Dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) mostram a geração de 108 novos postos em maio de 2021.

O órgão da Secretaria Especial de Previdência e Trabalho, do Ministério da Economia, divulgou o resultado referente a maio na tarde de quinta-feira, 1º. Os números do mês passado devem ser divulgados em 28 de julho.

Conforme o cadastro, o município contabilizou 763 admissões e 655 demissões no quinto mês do ano. O resultado é o melhor desde 2015, quando a cidade alcançou a geração de 145 vagas. Entre 2016 e 2020, o saldo do mês de maio foi negativo.

Nos 31 dias, quatro dos cinco setores analisados criaram vagas formais. Segundo o levantamento, a estatística de maio é liderada pelo comércio, com a abertura de 53 novos postos de trabalho. O saldo é resultado de 255 funcionários contratados para 202 demitidos.

O setor comercial é o terceiro maior empregador do município, com o estoque de 7.557 funcionários formalizados (27,64% do total). O Caged aponta ter 27.337 trabalhadores no mercado formal, com carteira assinada.

Publicidade

Entre os subsetores do comércio, o melhor resultado é o do setor varejista, responsável pela abertura de 70 novas vagas. O resultado é advindo de 210 contratações para 140 demissões durante o quinto mês.

O comércio por atacado (exceto recuperação de veículos automotores e motocicletas) aparece com saldo negativo no período, com a perda de 11 vagas – resultado de 27 contratações para 38 demissões.

Em seguida, vem o setor de recuperação de veículos automotores e motocicletas, com saldo negativo, apresentando perda de seis postos de trabalho formal – resultado de 18 admissões para 24 desligamentos.

O segundo melhor resultado do mês de maio é o do setor de serviços, com saldo de 38 novos postos, advindos de 268 admissões para 230 demissões. A atividade é a maior empregadora da cidade e concentrou 34% do estoque de empregos de maio, com 9.292 trabalhadores formalizados.

Na análise entre os subsetores, o relatório mostra três tipos de serviços com saldo positivo. O melhor resultado é o do setor de transporte, armazenagem e correio, com a abertura de 26 vagas, advindas de 83 contratações e 57 desligamentos.

Em seguida, aparecem os serviços de alojamento e alimentação, com mais 22 postos (65 admissões para 43 demissões); e serviços de informação, comunicação e atividades financeiras (imobiliárias e administrativas), com a abertura de duas vagas (74 para 72).

Outros dois subsetores encerraram maio no vermelho: sendo seis vagas fechadas nos serviços de administração pública, defesa, seguridade social, educação, saúde humana e serviços sociais (38 contratações para 44 demissões); e menos seis em outros tipos de serviços (sete para 13).

A terceira maior contratadora no quinto mês deste ano foi a indústria, com a abertura de 15 novos postos. O saldo é resultado de 195 funcionários contratados para 180 desligados.

O setor industrial é o segundo maior empregador do município, com o estoque de 8.199 funcionários formalizados (30% do total).

O saldo da atividade econômica foi alavancado pela indústria de água, esgoto, atividades de gestão de resíduos e descontaminação, responsável por oito contratações e nenhum desligamento, resultando em oito novas vagas.

Também com saldo positivo aparece a indústria de eletricidade e gás, com uma nova vaga gerada no mês, com uma contratação para nenhum desligamento. Já a indústria de extrativas perdeu três vagas, com três admissões e seis demissões.

O quarto setor com saldo positivo na geração de vagas no mercado de trabalho formal em maio é a agropecuária. O grupo, que abrange agricultura, pecuária, produção florestal, pesca e aquicultura, gerou sete novas vagas, com 11 admissões para quatro desligamentos.

A atividade econômica é a quarta maior contratadora do município, e, segundo o cadastro, concentrou 5,37% do estoque de empregos contabilizado até o quinto mês do ano, com 1.468 funcionários.

Completa a lista das atividades analisadas o setor da construção civil – único a fechar o mês de maio no vermelho. A atividade econômica fechou cinco vagas – resultado de 34 contratações e 39 desligamentos.

O setor concentra 3% da mão de obra contratada no município, com 821 trabalhadores formalizados nas áreas de obras de infraestrutura, construção de edifícios e serviços especializados para a construção.

Na análise do saldo dos subsetores, o melhor resultado é do setor de serviços especializados da construção civil, responsável pela geração de cinco novos postos, com 11 contratações e quatro desligamentos.

Contudo, o resultado do subsetor não ajudou a atividade econômica a fechar o mês com saldo positivo, isso porque a construção de edifícios fechou duas vagas (15 para 17) e o setor de obras de infraestrutura fechou oito postos de trabalho, com cinco trabalhadores contratados para 13 demissões.

Acumulado

As contratações ocorridas no mês de maio contribuíram para manter saldo positivo na soma dos cinco primeiros meses do ano. Entre janeiro e maio, Tatuí gerou 602 novas vagas de emprego – advindas de 4.326 contratações para 3.724 demissões.

Na soma dos cinco meses de 2021, os cinco setores analisados pelo Caged geraram novos postos de empregos formais. A estatística é liderada pela indústria, com saldo de 308 novas vagas (1.343 admissões e 1.035 desligamentos no período).

O segundo setor com maior saldo na geração de vagas de emprego dos cinco meses é o comércio. A atividade econômica abriu 131 novos postos, advindos de 1.409 contratações para 1.278 desligamentos.

Em terceiro lugar, vem o setor de serviços, com saldo positivo de 80 novos postos de trabalho nos cinco meses. O resultado vem de 1.305 admissões para 1.225 demissões.

Em seguida, está a construção civil. O setor começou o ano com saldo negativo, perdendo uma vaga no mercado formal. Mas, no mês de fevereiro, alcançou 20 novas vagas; em março, outras 24; e em abril, mais 11, resultando em saldo positivo de 59 postos nos cinco meses.

Por último na lista dos setores que mais empregaram, aparece a atividade agropecuária, com a geração de 24 novas vagas nos primeiros cinco meses do ano, advindas de 54 admissões e 30 desligamentos no período.

De acordo com o diretor do trabalho e desenvolvimento econômico, Gustavo Grando, mais uma vez a maior parte das contratações ocorreu por meio do PAT (Posto de Atendimento ao Trabalhador). Segundo ele, a indústria é o setor que mais utiliza os serviços do órgão municipal.

Ele acentua que o resultado positivo nos cinco meses já era esperado pelo departamento. Ainda acrescenta que o Posto de Atendimento ao Trabalhador continua com vagas em aberto e recebe currículos diariamente para encaminhá-los aos contratantes, além de ceder espaço às empresas para o processo de seleção dos candidatos.

Saldo nacional

O saldo de Tatuí segue tendência nacional. Conforme o balanço do órgão do Ministério da Economia, o Brasil fechou os primeiros cinco meses de 2021 com saldo positivo de 1.233.372 empregos formais.

O saldo nacional é resultado de 7.971.258 admissões e 6.737.886 desligamentos. Com isso, o estoque de empregos formais no país chegou a 40.596.340 vínculos, o que representa variação de 3,13% em relação ao estoque contabilizado até abril.

Os números mostram que, na totalização dos cinco meses, todos os grupamentos de atividades econômicas apresentaram saldo positivo no país, com destaque para o setor de serviços, com a geração de 509.101 novos postos formais.

Somente em maio – resultado mais recente divulgado pelo órgão -, o país gerou 280.666 novos postos, fechando o quinto mês com saldo positivo, advindo de 1.548.715 contrações e 1.268.049 desligamentos.

Publicidade