Trabalho da Trupe Garagem & Cia. comove júri em mostra quadrense

1973
Trupe Garagem, que encena a peça 'O Pequenino Grão de Areia' (foto: divulgação)

O mais novo trabalho da Trupe Garagem & Cia., de Tatuí, emocionou jurados de evento realizado no município de Quadra. A peça “O Pequenino Grão de Areia” abriu as apresentações da categoria amadora da décima edição da Mostra de Teatro de Quadra. A encenação aconteceu no dia 31 de maio.

A participação também marcou a estreia do novo texto. O projeto da montagem começou no início do ano, tendo como foco a “parte musical”. Para o trabalho, o grupo realizou audição, na qual os inscritos passaram por uma bateria de testes. O objetivo era escolher novos membros e formar o elenco.

“Nós nos inscrevemos num processo apertado, tínhamos uma semana para o fim das inscrições, e apenas a parte musical estava pronta. Foi aí que a diretora Paula Fernanda apresentou a ideia de nos prepararmos em um mês”, disse Cesar Santos, produtor da Trupe.

O grupo concorreu em categoria inédita e incluída no evento por ocasião do aniversário de dez anos. “O processo foi árduo, e, em um mês, conseguimos recurso necessário para que tudo estivesse pronto até a estreia”, disse.

Para levantar os fundos suficientes para participação, o grupo realizou pedágio nos semáforos, vendeu pirulitos e buscou patrocínio junto a amigos e conhecidos.

Além do dinheiro, os integrantes precisaram trabalhar em ritmo frenético os demais aspectos do espetáculo, como figurino, maquiagem e elementos cênicos. Os ajustes foram finalizados por volta das 4h do dia da apresentação.

Para o produtor, os resultados compensaram. Na mostra, Santos informou que o “Garagem” recebeu elogios dos jurados Marcelo Gasparini e Dalila Ribeiro.

Ainda conforme ele, Dalila enalteceu o aproveitamento de luz e de cenário e comoveu a plateia ao elogiar o trabalho do ator Kaique Cabral, que interpretou o personagem principal.

O elenco conta, também, com Jhulia Costa, a primeira atriz fixa de outra cidade a atuar pela trupe. O grupo se juntou em 2005 e, até então, só tinha atores tatuianos.

De produção considerada singela, a montagem tem por cenário uma praia. Nela, vários grãos reúnem-se para contar suas histórias ao cair do sol. Porém, um deles apaixona-se por uma estrela e quer, a todo custo, encontrá-la. E, em meios a tantos acontecimentos controversos, o grão recebe a ajuda de um ser enviado pela natureza.

A peça é encenada pelos atores Kaique Cabral, Mat Kaytan, Augusto Oliveira, Marcelo Ferraz, Jhulia Costa, Jean Oliveira, Julia Ferraz, Emily Leone. Paula Fernanda dirige o espetáculo, que traz a mesma temática de “Quem Casa, Quer Casa”.

Segundo o produtor, o musical infantil apresenta uma lição: a de que as pessoas nunca devem desistir dos sonhos, embora eles pareçam distantes.

O grupo escolheu o texto por conta de uma efeméride: os dez anos da primeira montagem, trazendo as mesmas músicas e trabalhando com o lúdico, incluindo fantoches, até então, nunca aproveitados.

A ideia deu-se pela aceitação do público para com os mamulengos, usados na montagem de “Sacra Folia”, em 2016. Dessa forma, a Trupe resolveu investir em algo que prendesse a atenção da plateia.

“Esse espetáculo é uma releitura do que foi feito há dez anos. Da última, usamos fantoches também, para atrair a atenção das crianças. Assim, o espetáculo torna-se mágico e lúdico”, acrescentou a diretora Paula.

O espetáculo ainda agrega Iuri Proença, como diretor musical; Ana Laura Pires, no violão e solista; Jennifer Lisboa, na percussão; Cesar Santos, na iluminação e produção; e Rafael Franco e Josué Laranjeira, com figurino e visagismo. Os dois últimos atuaram com Marcos Antônio e Gustavo Valim na contrarregragem.

A Trupe segue com os outros trabalhos e pretende apresentar a nova montagem em Tatuí, no final deste mês. Há, ainda, projeções de encenações dos espetáculos “A Falecida” e “Magia de Deus – A Esperança”, a partir de agosto.