Tatuí é contemplada com Casa da Mulher

Programa contará com equipe multidisciplinar em suporte e apoio no atendimento

Equipamento social foca no atendimento a vítimas de violência
Da reportagem

Tatuí, uma das 50 cidades que assinaram convênio com o estado de São Paulo, foi contemplada pelo programa Casa da Mulher e será uma das 43 primeiras a receber a implantação da entidade.

O programa consiste em uma parceria de várias secretarias estaduais com a Companhia de Desenvolvimento Habitacional Urbano (CDHU). O local da Casa da Mulher será próximo à delegacia de polícia, ao lado da rua Roque Geovane Adão Bertin.

Desenvolvidos pela CDHU, o espaço contará com salão principal e palco destinado a conferências e cursos em geral, salas de atendimento, brinquedoteca, área de gastronomia, sanitários e depósito para manutenção e limpeza.

Entre os serviços previstos, estão: atendimento psicológico, social e jurídico, realizado por equipe multidisciplinar, além de ações de apoio ao empreendedorismo, trabalho e renda – tudo com uma equipe multidisciplinar. O investimento é de aproximadamente R$ 900 mil.

O convênio foi assinado no dia 5 de março, no Palácio dos Bandeirantes, em São Paulo, pelo prefeito Miguel Lopes Cardoso Júnior.

“Tatuí ganha um importante equipamento social para um programa de atendimento às mulheres vítimas de quaisquer violências. Tenho certeza de que o ganho social será imenso e os casos mais comuns terão um atendimento mais ágil e profissional”, declarou Cardoso Júnior.

Segundo a assessoria de comunicação do governo do estado, os prédios onde funcionarão a Casa da Mulher serão erguidos por meio de convênios a serem firmados entre o Desenvolvimento Regional e municípios.

Inicialmente, em 2021, o governo do estado anunciou, em parceria com os municípios, a instalação de 20 unidades. Na oportunidade, o investimento seria de R$ 14,5 milhões.

Porém, conforme a assessoria, “diante da boa aceitação por parte das prefeituras e do consequente aumento de demanda de pedidos de implementação por parte das cidades”, o programa foi ampliado e já atinge 50 unidades anunciadas pelo Executivo paulista. Com isso e as adequações sofridas pelo programa ao longo dos meses, os valores investidos chegam a R$ 42,5 milhões.

“Ampliamos a abrangência da Casa da Mulher e sabemos das necessidades e do papel fundamental que a mulher exerce na sociedade, e buscamos oferecer sempre o melhor a elas, por meio de iniciativas que as acolham e gerem novas oportunidades”, declarou o secretário de estado de Desenvolvimento Regional, Rubens Cury.

Algumas cidades já iniciaram a construção de suas unidades. É o caso de Pederneiras e Santa Fé do Sul. Os demais municípios estão em outros estágios burocráticos, como a execução de processos licitatórios e diligências técnicas, ou realizando outros trâmites administrativos.

O programa vai envolver um total de seis secretarias estaduais, visando oferecer um espaço adequado para o desenvolvimento de políticas públicas com enfoque regionalizado, que possa garantir acolhimento a mulheres vítimas de discriminação e violência, além de promover “encorajamento” e capacitação para geração de emprego e renda.

As ações serão desenvolvidas pela Secretaria de Desenvolvimento Regional, em parceria com as pastas da Justiça e Cidadania, Desenvolvimento Social, Desenvolvimento Econômico, Segurança Pública, Direitos da Pessoa com Deficiência e Saúde.

DEIXE UMA RESPOSTA

entre com sua mensagem
entre com seu nome