Seleção juvenil de rúgbi convoca tatuiana

74
Jaqueline (centro) participa de treinos da equipe tatuiana no Complexo Esportivo “Magalhães Padilha” (Foto: Divulgação)
Da reportagem

Dezesseis anos de idade, estudante do segundo ano do ensino médio da Escola Estadual “Chico Pereira” e convocada para a seleção brasileira juvenil feminina de rúgbi. Jaqueline Carriel Miranda é atleta da equipe juvenil “Rugby Tatuí”.

A jovem começou a praticar a modalidade há cerca de dois anos, por iniciativa da professora de educação física da rede municipal de ensino Daiani Cristini Camargo Fonseca, pouco antes de a prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Educação, lançar a equipe juvenil da cidade.

A O Progresso, Jaqueline conta que sempre praticou esporte, principalmente os coletivos, permitindo que gostasse do rúgbi. Ela confessa que, no início, jogava como hobby, mas com o passar do tempo, passou a gostar e se destacar no esporte, não tendo parado desde então.

De acordo com Daiani, a jovem teve destacado o potencial físico em um intercâmbio feito pelo Rugby Tatuí, em São Paulo, onde ela conheceu o NAR (Núcleo de Alto Rendimento) – local em que os atletas da seleção brasileira adulta treinam e fazem testes físicos.

“A treinadora da seleção brasileira juvenil feminina visualizou o desempenho da Jaqueline”, conta a professora.

Ela, então, manteve o contato com a treinadora da seleção e, no final do ano passado, Jaqueline foi convocada para realizar treinamentos com o elenco que representa o país, na capital paulista. “Eu não esperava (a convocação), foi uma sensação de felicidade e nervosismo”, confessa a atleta.

Ela já participou de atividades na semana passada, porém, devido à pandemia, permanecerá treinando em Tatuí e sendo monitorada à distância. Segundo a jovem, no início do ano, os atletas realizam somente os treinos, mas ela espera poder participar de competições no segundo semestre.

Jaqueline afirma que já pensou em tornar-se atleta profissional de rúgbi, porém, em razão da idade, reconhece ainda ser muito cedo para definir uma escolha.

“Ainda não tenho certeza, mas espero futuramente tomar uma decisão. Tenho a expectativa de participar de vários campeonatos, para ter mais experiência”, sinaliza.

Além de Jaqueline, outros dois atletas do Rugby Tatuí participam, desde o ano passado, do Avar (Academia Virtual de Alto Rendimento). Emilym Barros da Costa, de 17 anos, e Guilherme Augusto Ribeiro de Albuquerque, de 18, são monitorados por uma equipe multidisciplinar da seleção brasileira.

“Eles realizam testes físicos, através de plataforma eletrônica, e são acompanhados por uma equipe formada por médico, fisioterapeuta, assistente social, nutricionista e preparador físico, além da treinadora, para um desenvolvimento significativo, conforme uma tabela com referencial em valores decorrentes da idade. Ainda é trabalhado o social e o intelectual”, ressalta Daiani.

Rugby Tatuí

Idealizadora do Rugby Tatuí, Daiani declara que a ideia de formar uma equipe juvenil no município surgiu após ela participar de um curso da modalidade, oferecido pela Secretaria Municipal de Educação aos profissionais de educação física, em 2017.

Na sequência, a professora se especializou no esporte e montou um projeto voltado aos adolescentes que estudavam do Nebam (Núcleo de Educação Básica Municipal) “Ayrton Senna da Silva”, na vila Primavera. “Posteriormente, o projeto foi crescendo bastante e ampliei para crianças, jovens e adultos”, aponta.

Conforme Daiani, inicialmente, a intenção do projeto era “agregar valores” aos jovens, como disciplina, respeito, integridade, paixão e solidariedade.

“Somos uma equipe de esporte educacional, na qual os valores agregados ao esporte são levados para a vida, através de desenvolvimento físico, formação educacional e transformação social”, reforça.

Atualmente, o Rugby Tatuí, que realiza os treinamentos no campo municipal do Complexo Esportivo “Major Sílvio de Magalhães Padilha”, é um clube reconhecido pela Federação Brasileira de Rugby.

A idealizadora do projeto destaca o apoio da prefeitura e a parceria de alguns comércios locais. “Gostaria de fazer um agradecimento especial aos professores Miguel Lopes Cardoso Júnior (atual vice-prefeito e secretário municipal da Educação) e Renan Cortez (atual vereador). Através do apoio deles, o rúgbi obteve desenvolvimento e está sendo difundido no cenário esportivo”, acentua.

Ainda segundo Daiani, a modalidade vem crescendo “bastante” no cenário brasileiro nos últimos anos, em escolinhas de esportes e projetos sociais, e ela ainda crê no crescimento do rúgbi no município. “Acredito que, futuramente, Tatuí será um celeiro de futuros atletas da modalidade”, ressalta Daiani.

“Espero que o Rugby Tatuí cresça cada vez mais e tenha atletas com a mesma oportunidade que estou tendo”, completa Jaqueline.

Atualmente, qualquer pessoa que tenha interesse pode treinar com o Rugby Tatuí. Basta preencher um cadastro inicial, através de um link disponibilizado pelo Departamento Municipal de Esporte (http://bit.ly/FichadeinscriçãoEsportes) e verificar a categoria em que se encaixa conforme a idade.