Santa Casa convida população para 1ª festa de arrecadação de recursos

240
Publicidade





David Bonis

Nanete Walti de Lima pede à comunidade para comparecer ao evento

 

Acontece neste fim de semana a primeira “Festa Beneficente em Prol da Santa Casa”, organizada pela própria entidade, com o objetivo de arrecadar dinheiro para comprar utensílios e promover reformas na unidade.

O evento é o primeiro de grande porte organizado pela entidade, que contou com auxílio de empresas, associações locais e da Prefeitura. A festa acontece no bairro dos Fragas, no local onde fica a comunidade Nossa Senhora Aparecida.

Publicidade

A ideia de promover uma grande festa de arrecadação de recursos nasceu no mês de julho. Na época, a administração da Santa Casa começou a se reunir com profissionais da unidade para levantar propostas. A princípio, a ideia era fazer apenas uma festa dançante, na qual seriam vendidas pizzas.

Mas, com o passar do tempo, entidades locais passaram a se interessar pela ideia, que ganhou “corpo”. Ao todo, a festa conta com 44 patrocinadores, que ajudarão a arcar com as despesas provenientes do evento. Há, também, alguns colaboradores, como o Rotary, o Lions Club, a Prefeitura e o Grupo de Trabalho Humanizado da Santa Casa.

Devido à amplitude que a festividade tomou, o evento foi dividido em dois dias. No primeiro, neste sábado, 18, a atração principal deve ser o show da dupla Ivan e Anderson, previamente marcado para às 18h, de acordo com o calendário da festa. Até o fechamento desta edição (sexta, 17h) não houve confirmação se a atração aconteceria.

No segundo dia, hoje, domingo, 19, a música ficará por conta do cantor Claudio Gaúcho, a partir das 10h.

A contratação dos shows, mais a bebida que será vendida nos dois dias e a segurança do local, serão os únicos custos que a festa vai gerar para a Santa Casa, de acordo com a provedora da unidade, Nanete Walti de Lima, à frente na organização das atividades.

As atrações musicais foram pagas por meio da arrecadação feita junto aos patrocinadores, que são estabelecimentos comerciais. Em troca, esses patrocinadores estão expondo suas marcas no banner oficial do evento.

Já a compra das bebidas foi feita por consignação: tudo o que não for consumido volta à empresa contratada, sem custos à Santa Casa.

“Mas, todos esses gastos que teremos foram baixos porque as duplas cobraram valores reduzidos pelos shows, e no caso da bebida foi cobrado de nós valor de custo e não de mercado”, pondera Nanete.

Nos dois dias de evento, haverá barracas de doces, salgados e bebidas. Todas as comidas foram doadas pelos colaboradores, lojas, empresas e até por fornecedores de materiais da Santa Casa.

A administração das barracas ficará por conta de voluntários. O Rotary e o Lions Club, por exemplo, assumirão – cada entidade – a responsabilidade pela venda de comida em uma barraca.

Segundo Nanete, aproximadamente cem pessoas estarão trabalhando nos dias do evento, entre funcionários da Santa Casa e voluntários.

Outra iniciativa que a festa promoverá serão os leilões de brinquedos e utensílios domésticos, como um televisor, uma bicicleta e um micro-ondas. Também vai haver leilões de bezerros e assados. Às crianças, haverá uma piscina de bolinhas e pesca de brinquedos.

Todas essas atrações ocorrerão nos dois dias do evento. Mas, neste domingo, haverá uma novidade: cavalgada, às 10h, saindo da avenida Cônego João Clímaco de Camargo até o local dos shows, no bairro dos fragas.

Nanete admite que, sem ajuda, seria “muito difícil” organizar um evento desse porte. Para se ter ideia, os panfletos de divulgação da festa foram pagos pelo Executivo local. O Departamento de Comunicação da Prefeitura também ajuda no processo de divulgação da festa.

“Nós tivemos muita ajuda para fazer essa festa. Mas, ainda assim, precisamos muito que as pessoas compareçam e se divirtam. Por isso, quero convidar a todos os moradores de Tatuí e da região para nos prestigiarem”, convida Nanete.

Dentro da própria Santa Casa foram colocados convides anexados aos holerites dos 400 funcionários da unidade. A Prefeitura fez o mesmo com os servidores públicos.

Segundo Nanete, o Executivo mandou anexar convites para a festa da Santa Casa nos comprovantes de pagamentos de 3.000 funcionários.

O comparecimento da comunidade local ao evento é tratado como “essencial” pela organização da Festa Beneficente em Prol da Santa Casa. Isso porque apenas dessa forma a entidade conseguirá atingir a projeção de ganhos que os organizadores planejam.

“Sonhamos com uma arrecadação que beire os R$ 120 mil. É proibido sonhar?”, questiona a provedora. Todo dinheiro arrecadado será revertido à unidade.

O objetivo é usar a verba para reformar a cozinha do prédio, comprar uma geladeira industrial e fazer o lactáreo – local onde são feitas as mamadeiras das crianças -, próximo à maternidade.

“Precisamos de uma geladeira industrial porque temos muitas coisas para guardar e a nossa é muito antiga. Dá muita mão de obra e puxa muita energia elétrica. E estamos empenhados em diminuir nossas contas”, explica Nanete.

O dinheiro também vai ser usado para trocar torneiras do prédio, tanquinhos, pias e, até, as panelas velhas.

Atualmente, 80% dos recursos da Santa Casa são provenientes do SUS (Sistema Único de Saúde). No entanto, a tabela de repasse de verbas para essas entidades não sofre reajuste há dez anos. Tanto que há um movimento nacional, intitulado “Tabela do SUS, Reajuste Já”, que pede revisão dos valores repassados às entidades filantrópicas.

No dia 25 de setembro, cerca de 800 entidades participaram do “Dia Nacional de Luto pela Crise das Santas Casas e Hospitais Filantrópicos”, que ocorreu em todo o país.

Na ocasião, grupos, como a CMB (Confederação das Santas Casas e Hospitais Filantrópicos) e a Fehosp (Federação das Santas Casas e Hospitais Beneficentes do Estado de São Paulo), fizeram apelo em Brasília, junto ao Ministério da Saúde, pelo aumento de repasses federais às Santas Casas de todo o Brasil.


Publicidade