Retorno

269
Raymundo Farias de Oliveira

No profundo silêncio

da tarde vazia

o vento cochichava com as folhas

no vasto arvoredo da praça.

Passarinhos festeiros

gargalhavam sem parar…

Não sei o que o vento lhes confidenciava

naquele momento

mas desconfio que riam de mim

Riam dos meus sonhos

Riam de minha nostalgia

Riam de meus versos livres

Então vi minha rua antiga

vestida de belo calçamento.

Mas não se ouvia mais

o longo apito do trem alegre.

Tudo tão diferente…

E a menina do meu tempo

tinha ido embora!