Reciclador é suspeito de atear fogo em homem no SR

297
Da redação

Um reciclador de 52 anos foi detido, na tarde de terça-feira da semana passada, 30 de março, suspeito de tentativa de homicídio, no Jardim Santa Rita de Cássia. Ele é acusado de ter ateado fogo em um homem, desempregado, de 56 anos.

Conforme a Polícia Militar, por volta das 13h, agentes foram acionados, via Copom (Centro de Operações da Polícia Militar), para atender a ocorrência. A informação erra que um indivíduo teria colocado fogo em outro dentro de um imóvel, situado na rua Helena Oliveira Miranda.

Quando os policiais chegaram ao endereço informado, segundo a corporação, a vítima já estava sendo socorrida por uma equipe do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência). Eles puderam constatar que o homem estava com queimaduras pelo corpo e, aparentemente, que o estado dele seria grave.

De acordo com a PM, uma testemunha disse ter ajudado a vítima e informado que os dois sujeitos eram amigos. Contudo, o reciclador teria pedido para que o desempregado fosse embora da residência. A testemunha relatou ter presenciado somente a discussão entre os indivíduos.

Ainda segundo a PM, os agentes conversaram rapidamente com a vítima, a qual contou que o amigo teria jogado álcool no corpo dela e, em seguida, colocado fogo. Questionado, o reciclador ficou em silêncio e um policial notou que ele aparentava estar alcoolizado.

De acordo com o boletim de ocorrência, os policiais deram voz de prisão em flagrante ao reciclador, identificado como Juarez Leite. No imóvel, os agentes perceberam que as chamas também haviam atingido um sofá que estava no mesmo cômodo. Em função disso, a PM solicitou a realização de exame pericial.

Ainda na residência, segundo o boletim, a perícia localizou um simulacro de arma de fogo e uma faca, posteriormente, apresentados no plantão policial. Os peritos também recolheram um isqueiro, encontraram resquícios de cocaína e parte do líquido que teria sido jogado na vítima, retendo-os para análise.

Antes do término do registro do BO, um dos policiais esteve na UPA (unidade de pronto atendimento) e, conforme boletins médicos, teria sido informado de que a vítima havia sofrido queimaduras em 40% do corpo e que o estado de saúde era grave. O homem ficou internada na unidade de terapia intensiva.