Quatro são detidos suspeitos de praticar crime ambiental

518





Guarda Civil Municipal

Dejetos que estavam sendo despejados em terreno próximo seriam provenientes de lagoa de tratamento

 

Na manhã de terça-feira, 19, a Guarda Civil Municipal deteve quatro pessoas acusadas de praticar crime ambiental. Os suspeitos teriam apresentado-se como responsáveis por um frigorífico localizado no Jardim Santa Rita de Cássia.

As detenções ocorreram por volta das 10h, após uma guarnição ter sido solicitada para averiguar denúncia de crime ambiental. Segundo a corporação municipal, o Setor de Fiscalização da Prefeitura havia recebido informações de que dejetos estariam sendo descartados irregularmente numa área do frigorífico.

Ao chegarem ao local, os guardas encontraram três caminhões carregados com “resíduos sólidos”. De acordo com a GCM, o material seria proveniente de uma lagoa de tratamento do frigorífico. Os motoristas dos veículos estariam despejando o lodo numa área verde perto do abatedouro do frigorífico.

Durante a fiscalização, os guardas identificaram os motoristas como sendo Adriano Aparecido Cleto, 25, Luiz Carlos de Almeida, 36, e Marcos Pereira Dias, 36. A GCM também deteve o empresário Edmur Pedroso da Silva, 48.

Os quatro foram levados ao plantão policial, onde tiveram voz de prisão ratificada. Eles responderão por crime ambiental com base na lei 9.065, de 1998.

Conforme a GCM, o frigorífico também sofreu autuação por contaminação de solo. O motivo é que o descarte teria de ser autorizado pela Cetesb (Companhia de Tecnologia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo).

O comandante da corporação, tenente José Carlos Ferraz Fiuza, informou que o local havia sido descoberto após denúncia de moradores. Incomodados com o mau cheiro da região e com a proliferação de moscas e ratos, eles haviam apresentado queixas junto ao Setor de Fiscalização do Executivo.

Além da GCM e de fiscais, representantes da Secretaria Municipal da Infraestrutura, Agricultura e Meio Ambiente acompanharam a vistoria no frigorífico.

Durante a operação conjunta, as equipes verificaram que o material despejado pelos caminhões incluía restos de animais.

Ainda segundo a corporação, esta não foi a primeira vez que o frigorífico recebeu multa pelo mesmo crime. Os detidos permaneceram à disposição da Justiça.