Propostas e diferenças partidárias são tema de 2ª semana de sabatina

246
Publicidade





 

Durante média de três minutos, candidatos a deputado por Tatuí responderam duas perguntas que têm respostas publicadas nesta semana pelo jornal O Progresso. As questões apresentadas aos políticos que pleiteiam vagas na Alesp (Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo) e na Câmara Federal versaram sobre propostas de campanha e diferenças partidárias.

Cada candidato teve um minuto e meio para responder às perguntas. Elas integram série iniciada na semana passada e totalizam seis questões respondidas pelos políticos. Todos os concorrentes do município participaram.

Publicidade

Organizada pelo bissemanário, a sabatina contou com a presença dos candidatos a deputado estadual: Auro de Jesus Soares Coelho (PMDB), João de Oliveira Filho (PTB), José Marcio Franson (PT), Leandro de Camargo Barros (PSB), Luiz Gonzaga Vieira de Camargo (PSDB), e Márcio Medeiros (PHS).

Também compareceram à redação do bissemanário para a sabatina: Marcos Rogério de Campos Camargo (PRB) e Rogério de Jesus Paes (PTC). Os dois pleiteiam vaga a deputados federais. As entrevistas aconteceram entre os dias 3, 4 e 5 deste mês, com presença de assessores dos candidatos.

Como em 2012, a série de entrevistas será veiculada no jornal impresso e no canal do YouTube do bissemanário. O endereço para acesso é www.youtube.com/user/oprogressodetatui. Também em versão digital, a série pode ser acessada pelos leitores do periódico em “O Progresso Digital”.

A atualização do site, com a sabatina, será feita juntamente com as notícias veiculadas neste final de semana. As respostas serão divulgadas na tarde deste sábado, 13.

Já os vídeos com as entrevistas (da primeira e da segunda semana) devem estar disponíveis para acesso dos leitores a partir da segunda-feira, 15.

O jornal estabeleceu critérios de participação, sendo o principal deles que as entrevistas fossem presenciais e realizadas na redação do bissemanário.

As sabatinas aconteceram individualmente, em dias e horários estabelecidos em comum acordo entre as assessorias e a reportagem do periódico. No jornal, os candidatos responderam seis perguntas, que versaram sobre o papel dos parlamentares na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo – no caso de candidatos a estadual – e na Câmara dos Deputados – para federal.

As perguntas também abordaram planos de atuação dos candidatos, caso eleitos, com divulgação nesta edição. Eles tiveram, ainda, oportunidade de falar a respeito de suas biografias (de maneira resumida) e o direito de abordar temas em considerações finais.

As respostas serão veiculadas no jornal semanalmente. Neste ano, a série será editada em três edições. Em cada uma, são publicadas as respectivas respostas de cada candidato sobre os mesmos temas. A publicação das respostas é feita com base em ordem alfabética.

Na próxima semana, o bissemanário publicará a terceira e última sequência da série de entrevistas. Os políticos responderão sobre a concorrência nas eleições deste ano – que reúnem oito postulantes, sendo seis para a Assembleia Legislativa e dois para a Câmara dos Deputados – e questões específicas, para cada um dos participantes.

Também será realizada a divulgação das considerações finais apresentadas pelos concorrentes.


 

DEPUTADOS ESTADUAIS

O senhor pode destacar algum projeto em específico que irá procurar concretizar caso seja eleito?

Auro de Jesus Soares Coelho

O meu projeto maior visa no âmbito saúde, educação. Principalmente, com o desemprego, geração de emprego. Nós sabemos que, hoje, não só Tatuí como toda a região, há um grande índice de desemprego para jovens. Adolescentes estão desempregados e em busca de geração de emprego para jovens aprendizes. E outra preocupação que eu tenho é no âmbito, é a juventude na dependência química.

Como eu já disse anteriormente, Tatuí e região têm um grande índice de dependente químico. E, como candidato, se eleito, queria eu trazer para a região um hospital, uma clínica de referência, assistência aos jovens dependentes químicos.

Não só a esses jovens, como também aos seus familiares. Na ajuda psicológica, com terapias e um acompanhamento com médicos. E em busca desses jovens mais carentes. São famílias que não têm como recorrer a uma clínica especializada.

Como eu, desde a minha adolescência, trabalho nessa área, com esses jovens, e há uma grande dificuldade com as famílias desses jovens carentes. Eles não têm condições financeiras para estar levando o jovem a uma casa de recuperação, ou uma clínica de recuperação.

João de Oliveira Filho

Sim, o meu projeto específico, o meu sonho, é ter uma UTI (unidade de terapia intensiva) neonatal. E, há 26 anos aqui em Tatuí, quando cheguei, o hospital tinha um comportamento. Hoje, mudou muita coisa. Hoje, a população cresceu, as necessidades aumentaram. Hoje, os recursos precisam ser maiores para investir nessas crianças, e, cada vez mais, a gente tem essa dificuldade.

A gente tem uma média de 180 até 200 partos/mês na nossa Santa Casa, e eu não tenho todos os recursos que preciso no caso de uma criança grave. Tocamos casos de UTI dentro do nosso berçário sem ter toda a complexidade necessária.

Então, o meu sonho é exatamente isso: conseguir montar, conseguir fazer com que isso seja reconhecido em termos regional e ter todos os recursos para dar assistência.

Hoje, eu consigo fazer isso, mas eu preciso da UTI lá fora. E a hora que eu transporto um recém-nascido para outro local, esse transporte, às vezes, mata todo o tratamento que a gente fez aqui. Por isso que o meu sonho é ter, aqui. A gente já faz hoje muita coisa, mas eu preciso melhorar o que a gente está fazendo.

José Marcio Franson

Toda minha vida e toda minha luta é em função da proteção animal. A luta para proibir os rodeios, essa forma de tortura bárbara, vil, insana, em todo o Estado de São Paulo, será uma luta deste candidato a deputado estadual.

Gostaria também de que o projeto do qual sou autor e que está iniciando a implantação em Tatuí, o projeto Protetor Público de Animais, seja levado a todas as outras cidades.

Basicamente, a minha luta é por proteção animal, e, tangenciando com isso, estou disposto e aberto a todos os tatuianos para lutar pelo mais pobre, para lutar por aquele que está embaixo, para lutar por aquele que não teve oportunidade, não teve sorte na vida. Esses, eu estou disposto a ir junto e a lutar e a fazer projetos.

Não tenho projeto específico para cumprir. Acho que promessa é muito balela de político. Acho que promessas, antes da eleição, é só para tentar enganar você que é eleitor. O importante é mostrar a vida que nós temos e fazer valer durante sua trajetória que deva lutar, definitivamente, e com vontade para melhorar a vida dos mais pobres, dos mais humildes, dos drogados, daqueles que não tiveram sorte na vida. Isso, sim, eu prometo: lutar.


Leandro de Camargo Barros

Bom, essa pergunta é uma complementação da outra. Eu vejo e analiso assim: não adianta eu falar que eu vou trazer isso, brigar por isso, que isso não vai ser realizado, porque é como se fosse uma reunião de amigos. Eu tenho uma ideia, mas eu preciso da aprovação dos outros.

Então, é claro que a gente vai trabalhar. A nossa, a minha base de trabalho é Tatuí, a minha base é com o povo tatuiano. A minha base é trabalhar, fazer com que todos os projetos, todas as verbas que um deputado tem, que são para várias áreas, trazer para Tatuí. Essa é a principal meta.

Não adianta eu falar que eu vou construir, vou trazer uma verba para recapear a rua 11, uma suposição. Eu tenho verbas destinadas para recapear, o deputado, tem verbas para educação, verbas para saúde, verba para Infraestrutura, verba para o meio ambiente.

Então, são verbas, é como se fosse uma pizza dividida por várias fatias, com várias fatias. Então, nós vamos pegar a verba de todas essas fatias e direcionar para Tatuí. Diferentemente de outros candidatos que vão trabalhar em outras cidades, nós vamos trabalhar em Tatuí. A nossa bandeira é Tatuí. Então, todos os nossos recursos de Assembleia, de verbas, vai ser destinado para Tatuí.

Luiz Gonzaga Vieira de Camargo

Eu acho que, falando de Tatuí, nós temos que trabalhar junto ao governo do Estado para liberarmos, no mínimo, 2.000 novas residências na nossa cidade. O déficit habitacional de Tatuí ainda é significativo, muito embora, na minha gestão de prefeito, eu tenha executado, construído e entregue mais de 1.125 casas populares.

Acho que a habitação vai ser uma luta minha. Na área da Educação, também queremos trazer as creches-escola para o município, para que a gente possa erradicar de vez esse déficit nas vagas das creches no nosso município.

E também quero trabalhar para termos em Tatuí o tão sonhado centro de hemodiálise. Acho que, hoje, é uma necessidade, uma UTI (unidade de terapia intensiva) neonatal.

Temos que, também, trabalhar por ela. E – por que não? – trazermos um AME (ambulatório médico de especialidades) para Tatuí, escolhendo a especialidade para que possamos dar à nossa Saúde as condições que a nossa população necessita.

E também fazer uma abrangência dessa, expandir esse trabalho para todas as cidades da nossa região, que é uma região que, embora esteja em franco desenvolvimento, ela precisa de mais investimentos. E que o Estado olhe, principalmente, a questão da segurança pública, hoje, que é um problema aqui no nosso município.

Márcio Medeiros

Caso seja eleito, eu tenho ideias de diversos projetos. Principalmente, na área ambiental e na área de proteção animal. Então, e também como eu já fui secretário de agricultura e meio ambiente. No momento que eu fui secretário de agricultura e meio ambiente, fiz e elaborei diversas leis municipais em que muitos tatuianos tiveram oportunidade de se beneficiar por essas leis.

Com a lei da reciclagem, lei de resíduos sólidos na questão municipal. Então, são diversas leis que eu pretendo apresentar na área ambiental, na questão de saúde pública, e a questão de proteção aos animais.


DEPUTADOS FEDERAIS

O senhor pode destacar algum projeto em específico que irá procurar concretizar caso seja eleito?

Marcos Rogério de Campos Camargo

Quando fui secretário da Administração em Tatuí, eu implantei a internet gratuita em seis locais públicos da cidade. Com certeza, esse projeto eu vou levar para todo o Estado. Vai ser minha principal bandeira.

Rogério de Jesus Paes

Eu tenho um projeto que pretendo, assim que se for eleito, trazer para a nossa cidade. Que hoje eu vejo uma necessidade muito grande em Tatuí de uma neonatal (UTI).

As crianças quando nascem com um probleminha, ou a mãe, eles têm que ir para outra cidade, para ser atendidos. Enquanto que, hoje, Tatuí não tem isso.

Então, esse é o projeto. É uma coisa que eu vou trazer para Tatuí, entendeu? Que eu quero trazer para Tatuí. E um Hospital da criança, onde fazer um recurso, fazer um hospital só para criança ser atendida. Esses são os maiores projetos que a gente tem para a cidade, hoje.

Sei que não depende só de mim, mas tenho certeza de que, desde que eu tiver um projeto bom, vai ser aceito pelos outros companheiros da mesa, também.

Então, hoje, eu vejo necessidade dessa neonatal e ampliação da hemodiálise para Tatuí. São os dois, hoje, no momento, que eu tenho de ideia para trazer. São esses dois projetos.

Tenho certeza que são projetos que vão vingar muito bem na nossa cidade, aqui. Com isso, eu peço que, na hora de votar, pense bem. São projetos importantes para a nossa cidade, que é a neonatal e a ampliação da hemodiálise para a nossa cidade.


DEPUTADOS ESTADUAIS

Também caso eleito, como o senhor vai lidar com a questão da diferença partidária. Qual será sua relação com os prefeitos de legendas de oposição em Tatuí e nos demais municípios nos quais terá votos?

Auro de Jesus Soares Coelho

Eu creio que a indiferença entre partidos não ocasiona que não seja feito um diálogo, uma conversa. Eu creio que uma pessoa que está no poder, um político, se ele visa o bem comum da população, da comunidade, existe o diálogo, a conversa. Tudo é no diálogo, é numa reunião para que tudo fique explicitamente correto. Eu creio que a indiferença partidária está abaixo do bem comum da população e da comunidade.

João de Oliveira Filho

Eu tenho uma concepção de que eu tenho oposição até a eleição. O candidato X, o candidato Y, ele é meu opositor, ele é meu concorrente até o dia da eleição. Passada a eleição, a minha visão é unir forças pelo seu município, pela sua região.

Então, para mim, veja, não importa se o governo no nosso município é do mesmo partido que o meu ou não tenha nada a ver com o meu. Não é dessa forma que eu penso. É juntar forças, é criar recursos, é dar condições. Afinal de contas, hoje, ele está lá como governo; pode ser que amanhã eu esteja. E por que não um outro candidato também não me ajudar?

Não é porque um candidato de oposição faz uma proposta boa que eu vá (dizer): “Ah, não! É oposição e eu vou ser contra”. Não, a minha ideia não é essa. A minha ideia é juntar forças, crescer. Eu tenho que pensar no município, não em causa própria.

José Marcio Franson

Essa questão dos partidos ela pode existir antes da eleição. Passou a eleição, não existe mais partido. Existe o bem comum. Existe a vontade de fazer para a comunidade e a vontade efetiva de produzir algo diferente.

Então, enquanto deputado estadual, estarei aberto a todos os partidos e a todas as pessoas de bem. E penso mais ainda: que as pessoas de bem, a maioria delas, estão fora dos partidos. Os partidos atualmente precisam ser reformulados, reformatados. A maneira como está sendo conduzida a política é uma maneira que conduz à muita corrupção.

Quero chamar as pessoas de bem, a todos os tatuianos de bem, a formarmos um grupo novo na política da cidade. Portanto, fazer alguma coisa diferente, independente do partido, independente de ser “A” ou “B” partidário, mas pensando no povo.

Chamar as pessoas de bem da cidade, chamar as organizações sociais para pensarmos em termos para ter em Tatuí um desenvolvimento não apenas econômico, um desenvolvimento humano, um desenvolvimento que leva a não termos mais miséria na cidade.

Só ficarei contente quando não existir nenhum único miserável na cidade, que não existam animais abandonados e nem pessoas passando fome. É isso que eu chamo todos os tatuianos a estarem juntos. Não a seguir uma liderança, mas a fazermos juntos.

Leandro de Camargo Barros

Bom, isso é, essa pergunta é muito importante, porque nós temos, nós vemos uma polarização na política, hoje, entre PT e PSDB. O PSB, que é o partido o qual eu represento, é, nós temos uma autonomia para poder fazer as coisas. Nós temos uma autonomia.

Então, se nós, hoje, temos dentro da Prefeitura um governo do PMDB e PT, nós vamos trabalhar para a cidade, independente de quem esteja no poder. Se daqui dois anos muda-se o governo, entra outro partido, nós vamos trabalhar para a cidade.

Essa é a nossa meta. Nós vamos, nós temos dentro do partido essa autonomia para trabalhar bem com todos os poderes, independente de partido. Independente de partido, trabalhar pela população. É por isso que o PSB cresceu nesses últimos anos e continua crescendo, porque tem essa autonomia para poder trabalhar com todas as autoridades, com todos os partidos, de igual para igual, auxiliando a todos os partidos que estão no poder a melhorar a qualidade de vida dos seus munícipes.

E nós pensamos em grupo, nós pensamos em comunidade, nós pensamos em ajudar a situação que está no poder a melhorar a cidade. Se não for desse jeito, a gente vai só fazer oposição, e não é isso que é a diretriz do partido.

Luiz Gonzaga Vieira de Camargo

Olha, eu sempre fui um deputado que trabalhei de forma republicana. Eu acho que a disputa política tem que terminar depois das eleições.

Terminou as eleições, vamos dar as mãos, trabalhar para o desenvolvimento da região. Não adianta picuinha política. Eu acho que isso, inclusive, tem atrasado o desenvolvimento de Tatuí. Eu poderia ter dado uma contribuição muito maior depois de fora, depois de ter entregue o cargo de prefeito.

Eu poderia estar sendo um consultor, explicando as coisas, trabalhando por mais investimentos. Afinal de contas, eu conheço todos os caminhos. Modéstia à parte, eu conheço todos os atalhos, onde estão os investimentos, como conseguir melhorias para a nossa cidade.

Afinal de contas, são praticamente 16 anos de vida pública ininterrupta. Isto me dá a experiência necessária, o conhecimento necessário para saber como atrair investimentos e conquistas para a nossa região, para o sudoeste paulista, já que eu sou, com muito orgulho, um deputado distrital.

Não tenho nenhuma pretensão em ser um secretário. A minha pretensão é trabalhar pelo desenvolvimento da minha região.

Márcio Medeiros

A questão partidária passa a ser uma questão de interesse do cidadão, do cidadão de cada cidade da nossa região. Acho que é importante essa questão, de pensar em primeiro lugar no cidadão. A questão partidária, independente se o partido do prefeito “A” seja do meu partido ou não, nós vamos, sim, viabilizar recursos para essas cidades.

E nós, eu sou de um partido, o PHS, recém, que vai ter um candidato a governador. Nós vamos aí, ter, sim, esse compromisso com cada prefeito e vereador da nossa cidade e região.


DEPUTADOS FEDERAIS

Também caso eleito, como o senhor vai lidar com a questão da diferença partidária. Qual será sua relação com os prefeitos de legendas de oposição em Tatuí e nos demais municípios nos quais terá votos?

Marcos Rogério de Campos Camargo

A minha linha política, ela, eu faço uma linha que, como eu já falei, sem revanchismo, é sem perseguição. Eu vou ser um deputado da população, da cidade e da região. Quem quer que seja, seja o prefeito da cidade, eu estarei ajudando.

Rogério de Jesus Paes

Desde que a gente é eleito, a gente é eleito para representar o povo. Então, a gente não pode pensar em algo, em briga entre partidos. O que eu puder fazer para trazer para a nossa cidade, para a nossa região, eu estarei sempre de prontidão para atender os prefeitos, os vereadores, que, assim, me procurar.

Eu tenho certeza que, juntos, quem vai ganhar com isso é só a população. Então, na hora, se for eleito, pode procurar, pode vir atrás de mim para conversar. Ou eu mesmo vou procurar os prefeitos e ver, realmente, o que a cidade está precisando quando vir me procurar.

Que eu vou fazer algo muito bom para a cidade, porque, pensa bem, se eu for eleito pelo povo, eu tenho que ajudar quem? Quem me elegeu, entendeu?

Então, minha gente, pode ter certeza que, desde que me procure, eu vou trazer projetos muito bons para a cidade. E se acaso também não me procurar, eu vou fazer projetos e vou trazer muitos recursos para a nossa cidade.

E isso será muito bom, e a cidade vai crescer, vai ampliar esse horizonte que está faltando em Tatuí, porque isso, pode ter certeza, que coisas muito boas virão, mesmo. Está bom, gente?


Publicidade