Projeto sobre a dengue premia estudantes

Alunos da escola “Deócles Viera de Camargo” apresentam trabalhos de conscientização

288
Premiação dos alunos vencedores do projeto “Cancelando a Dengue” (foto: AI Prefeitura)
Publicidade
Da reportagem

A prefeitura de Tatuí, por meio da Secretaria de Saúde, em parceria com a Escola Estadual “Professor Deócles Vieira de Camargo”, promoveu na sexta-feira, 21, a premiação do projeto “Cancelando a Dengue”.

De acordo com a escola, a ação foi realizada durante o primeiro trimestre letivo com o intuito de conscientizar a população sobre a importância do combate à dengue, por meio de trabalhos realizados por crianças e adolescentes.

“No projeto, os alunos desenvolveram ações de conscientização que pudessem contribuir para a diminuição dos casos de dengue no município (que na época do lançamento estavam elevados), como a elaboração de cartazes informativos e alertas, sempre seguindo as normas sanitárias vigentes de combate à Covid-19”, descreve o projeto.

O evento de premiação aconteceu no auditório do Nebam (Núcleo de Educação Básica Municipal) “Ayrton Senna da Silva”, reunindo cem alunos e familiares dos nove estudantes premiados.

Também estiveram presentes a coordenadora do Setor de Combate à Dengue, Juliana Camargo da Costa, e a professora responsável pela ação, Carla Fernanda Barros.

Publicidade

O projeto foi dividido em duas categorias: a “destaque” e a “classificação geral”, premiando três e seis alunos, respectivamente. Na categoria “destaque”, dos três premiados, um é autista grau severo e outro tem dislexia e déficit de atenção.

“Eles fazem acompanhamento com professores auxiliares, sendo que cada um deles tem o seu profissional na sala de aula. Vale destacar que eles têm se desenvolvido muito durante este período de pandemia, apesar das aulas remotas, realizadas em casa”, explica a professora.

A aluna Marianne Raupp, de 10 anos, que frequenta o sexto ano do ensino fundamental, disse ter ficado muito feliz em participar do projeto e ajudar na conscientização da população sobre o combate à dengue.

“Achei o projeto muito criativo e importante. Ele passou uma mensagem de cuidado e atenção para as pessoas. Aprendi que sempre temos que estar atentos aos pequenos detalhes, porque o ‘mosquitinho’ faz um estrago com muitas consequências”, comentou a participante, terceiro lugar na competição.

Na classificação geral dos trabalhos, destacam-se os três primeiros colocados, premiados com um relógio “smartwatch”, um iDots (fone de ouvido sem fio) e um fone de ouvido JBL.

O terceiro e o segundo colocados apresentaram, respectivamente, uma armadilha para capturar o mosquito Aedes aegypti e um vídeo com falas de uma pessoa que teria falecido em virtude da doença.

O primeiro colocado, Daniel Mazzi da Silva, de 13 anos, que cursa o oitavo ano do ensino fundamental, apresentou, em slides, um levantamento epidemiológico dos casos de dengue em diversos bairros, nas quatro últimas semanas; além de ter distribuído cartazes informativos sobre o combate à dengue, nos bairros com maior incidência de casos.

“As pessoas têm que pensar que a dengue não é brincadeira, não é só um ‘mosquitinho’, que causa uma ‘gripezinha’. Igual à Covid-19, as pessoas subestimam demais a doença, sendo necessário aprender o que elas causam e como se prevenir”, destaca o vencedor.

A coordenadora do Setor de Combate à Dengue, Juliana Camargo da Costa, anunciou que, “graças ao saldo positivo alcançado pela ação”, no segundo semestre deste ano, um novo projeto será realizado, englobando mais escolas, abordando o meio ambiente.

Na categoria “destaque”, a vencedora foi Laleska Vitória Nóbrega de Campos, enquanto Luca Samuel do Rosário Zacarias ficou com a segunda posição e Luiz Henrique Baldassim, com a terceira.

Já na classificação geral, Daniel Mazzi foi o vencedor, Julia Maciel, a segunda colocada e Marianne Raupp ocupou a terceira posição. Luiza Chaves, Vinícius Nóbrega e Pedro Maciel também foram premiados, até a sexta colocação, respectivamente.

Publicidade