PM Ambiental prende homem com armas e carnes de caça em Tatuí

Agentes apreendem mais de 16 quilos de carnes de animais silvestres

9
Carnes a armas apreendidas em ação da Polícia Militar Ambiental (foto: Divulgação Polícia Ambiental)
Da redação

Um ajudante de pedreiro de 53 anos foi preso na manhã de sábado, 18, acusado de posse ilegal de arma e degradação da fauna por matar animais silvestres, em um sítio na estrada do Barreirinho.

De acordo com boletim de ocorrência registrado pela Polícia Ambiental, uma equipe esteve no imóvel após receber denúncias anônimas de caça de animais silvestres.

No local, os agentes abordaram o suspeito e, durante a busca, encontraram aves silvestres em cativeiro, partes de animais (inclusive o rabo de uma onça parda), três espingardas, munições e gaiolas.

(foto: Divulgação Polícia Ambiental)

Ainda segundo a Polícia Ambiental, os policiais encontraram um freezer com mais de 16 quilos de carnes de caça congeladas, sendo 8,3 quilos de carne de tatu e 7,7 quilos de carne de cateto, as quais seriam vendidas.

Diante da situação, todo o material apreendido e o homem foram levados à Delegacia Central de Tatuí, onde foi registrado boletim de ocorrência de posse ilegal de arma de fogo e degradação da fauna.

Segundo o boletim de ocorrência, o acusado, identificado como Jacinto de Fátima Pires, 53, alegou que as armas eram para defesa pessoal, por ser morador da zona rural, e, sobre as carnes, afirmou que alguns amigos as teriam levado até a residência dele para um churrasco.

O homem ainda teria alegado que o rabo da onça fora entregue a ele por um amigo, que a encontrara atropelada, e, sobre os pássaros, disse que eram para uso doméstico. Ele recebeu voz de prisão e permaneceu à disposição da Justiça.