‘Paulinhos Motos’ garante trabalho a pessoas em vulnerabilidade social

Vereador eleito com 1.006 votos assume cadeira no Legislativo pela 1a vez

41
Paulinho Motos, sétimo vereador mais votado no pleito de 2020 (Foto: Eduardo Domingues)
Publicidade
Da reportagem

O vereador eleito Paulo Sérgio de Almeida Martins, do PRTB (Partido Renovador Trabalhista Brasileiro), conhecido como “Paulinho Motos”, assumiu o primeiro mandato na Casa de Leis, em 1º de janeiro de 2021, como o sétimo mais votado ao Legislativo.

A O Progresso, Martins falou sobre o resultado das eleições 2020, ações de campanha, projetos para os próximos quatros anos, metas e a forma com que pretende atuar na Câmara Municipal.

Tatuiano, casado e pai de um filho, Martins nasceu no dia 7 de setembro de 1981. Bacharel em teologia e pastor auxiliar da Igreja Adoração e Avivamento, ele atua no comércio há mais de 20 anos, sendo os dez anos mais recentes como empresário.

O parlamentar ainda aponta ter atuação por mais de uma década em trabalhos sociais, com doações de cestas básicas e remédios, além de empréstimos de cadeiras de rodas e muletas. Segundo ele, entre as diversas ações, a mais efetivada tem sido para prevenção, orientação e internação voluntária de dependentes químicos.

O vereador conta fazer visitas em dez comunidades terapêuticas masculinas e uma feminina, em diversas cidades da região, para entregar doações feitas por empresários da igreja, além de “levar a Palavra a pessoas que dão testemunhos de vida após se libertarem de vícios com drogas e álcool”.

Publicidade

Martins adianta que fará indicação para a implantação de um Caps AD (Centro de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas) em Tatuí. Conforme ele, a cidade já possui Caps, mas necessita de uma unidade exclusiva para dependentes químicos.

“Tatuí possui um Caps que faz um lindo trabalho, mas não é exclusivo para essas pessoas. Faremos esse pedido para que seja implantado o mais rápido possível, pois já estamos atrasados neste ponto”, declarou.

Martins já havia concorrido ao cargo nas duas eleições anteriores. Em 2012, na primeira vez como candidato, somou 654 votos. Na eleição seguinte, em 2016, recebeu 812 votos. Já no ano passado, o candidato alcançou 1.006 votos, número que o elegeu como o sétimo mais votado.

O empresário acredita que o crescimento gradual dos votos entre as eleições ocorreu porque ele não deixou de promover trabalhos sociais.

“Fazemos o trabalho porque gostamos e não por causa da política. Entendo que a política irá servir para melhorar esse trabalho que já realizamos”, aponta. “Queremos usar a política como uma ferramenta para ajudar e salvar ainda mais vidas”, complementa.

De acordo com Martins, além de apoio de clientes da loja de proprietário dele, ainda recebe suporte de pastores de igrejas pequenas, “pois o público-alvo dos trabalhos sociais são pessoas que vivem em situação de vulnerabilidade social”.

“É para essas pessoas que queremos trabalhar. Há várias pessoas que já fazem um trabalho elitizado, e queremos focar nas pessoas de baixa renda, que enfrentam dificuldades”, reforça.

Para atender a esse público, o parlamentar garante “empenho redobrado” para trazer ao município o Programa Bom Prato, coordenado pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social, para restaurante com refeições a preços populares.

O vereador garante estar fazendo um estudo embasado com dados, em conjunto com a equipe dele, demonstrando que Tatuí possui demanda necessária para a implementação do programa social.

Ele aponta que o programa auxiliaria pessoas de baixa renda, moradores de municípios vizinhos que precisam vir a Tatuí para serviços no Poupatempo, além de milhares de estudantes do Conservatório Dramático e Musical “Dr. Carlos de Campos”, da Etec (Escola Técnica) “Sales Gomes” e da Fatec (Faculdade de Tecnologia) “Prof. Wilson Roberto Ribeiro de Camargo”.

“Os estudantes que nem sempre têm dinheiro para comer um lanche todos os dias”, observa. “Comer marmitas de R$ 15 todos os dias – R$ 330 em 22 dias úteis por mês –, para uma pessoa que ganha um salário-mínimo ou um pouco a mais, vai fazer falta”, ressalta o vereador.

Conforme Martins, a contrapartida da prefeitura é ceder um local para a instalação do programa. Ele acrescenta que, além de atender inúmeras pessoas, a iniciativa ainda irá gerar emprego e renda no município.

O parlamentar reconhece que o projeto é “polêmico”, no entanto, acentua que o Bom Prato não influenciará no comércio alimentício local, justamente por ser um programa voltado para pessoas de baixa renda.

“Alguns vereadores podem até falar que o projeto irá atrapalhar algum amigo dele, proprietário de restaurante. Mas, essas pessoas, normalmente, não frequentam os restaurantes, pois não têm dinheiro. É um projeto bastante polêmico, mas creio que irá dar certo”, declara.

Martins promete empenho e trabalho em conjunto com a prefeita Maria José Vieira de Camargo para a implantação do CIM (Centro de Integração à Mulher), um local para acolhimento de mulheres vítimas de abusos e violência, com apoio de psicólogos, psiquiatras, terapias e advogados.

De acordo com ele, o espaço dá suporte para as mulheres e filhos até que seja resolvida a questão de tirar o marido ou abusador da casa, de manter a distância e impedir que o indivíduo volte a praticar agressões. “Muitas mulheres não denunciam ou retiram a queixa, pois não têm para aonde ir”, argumenta.

“Normalmente, é feito o boletim de ocorrência e, às vezes, as partes são ouvidas e liberadas, enquanto o juiz ou a promotora vão ver o que será feito. Porém, nesse tempo, a mulher pode até morrer”, sustenta o vereador.

Martins, em parceria com o Confep (Conselho Federal Parlamentar), realizou a distribuição de cartilhas antidrogas para crianças e contra a pedofilia, aos pais, identificando possíveis sinais de abusos e como agir.

O parlamentar revelou estar em desenvolvimento uma nova cartilha informativa contra as drogas, para ser entregue em escolas e igrejas. “Será uma cartilha educativa para as crianças interagirem, com pinturas, caça-palavras, labirintos, conforme as histórias dos personagens”, antecipa.

A implementação de uma escola cívico-militar no município também é anseio dele. Segundo Martins, ao todo, oito vereadores já protocolaram uma indicação, solicitando que a prefeitura realize a implantação. “Não é a construção, é a implantação de um projeto-piloto em uma escola já existente”, frisa.

Conforme o vereador, o ensino continuaria normalmente, mas traria diversos ganhos aos estudantes, como “mais disciplina, ética, moral e respeito aos hinos nacional e municipal”. “São regras que vão além da educação, influenciando na formação dos cidadãos”, sustenta.

Em contato direto com motociclistas, Martins enxerga a necessidade de um projeto de desenvolvimento de uma pista ou adequação de um local para prática de “wheeling” (esporte com manobras em motos e bicicletas).

Para ele, o município possui demanda na modalidade. O parlamentar assegura que, com um local apropriado, seriam reduzidos os números de infrações de trânsito e acidentes.

Conforme Martins, os brasileiros estão entre os melhores praticantes da modalidade e Recife (PE) tornou-se uma referência internacional por possuir uma pista de wheeling.

“Nesse espaço, podem ocorrer treinamentos para apresentações ao público. Eu, como empresário, sempre tenho apoiado o esporte”, garante.

Além dessas pautas e de apoiar outras iniciativas no Legislativo, Martins destaca que cumprirá a principal função do vereador: a de fiscalizar o Poder Executivo. Ele assegura que terá um “mandato imparcial” e o “próprio posicionamento”.

“Tudo vai ser analisado, e vou votar da maneira que achar correta. Se for bom para a população tatuiana, votarei a favor; caso contrário, votarei contra”, finalizou.

Publicidade