O Progresso estreita parceria com Educação

351
Publicidade





AC Prefeitura

Da esquerda para a direita, Maria Lucia, Cristiano Mota, Ângela Sartori e Sônia Menezes alinham detalhes para participação mais efetiva

 

A Secretaria Municipal da Educação e o jornal O Progresso estreitaram parceria para a realização da 20ª edição do Concurso Artístico e Literário de Natal. Reunião realizada na tarde de quinta-feira, 11, selou uma nova dinâmica para a entrega de trabalhos de alunos do 1º ao 9º ano do ensino fundamental que integram a rede municipal.

O certame cultural é promovido com apoio do comércio e aberto a estudantes também da rede particular. Todas as entidades receberam convites de participação nesta semana. As escolas da rede municipal ganharam atenção especial, por conta de empenho da secretária Ângela Sartori.

Publicidade

Por solicitação da comissão organizadora, a titular da pasta participou de reunião com a assessora de planejamento pedagógico e administrativo da secretaria, Sônia Regina Menezes da Silva, e a supervisora de ensino, Maria Lúcia Antunes de Camargo. Elas receberam um “briefing” do concurso, com os principais pontos do regulamento, de modo a explicar o funcionamento do concurso, os prazos de recebimento dos trabalhos e a premiação.

O encontro aconteceu na sede da Secretaria Municipal da Educação, resultando em comprometimento maior da pasta para com o certame. Neste ano, a secretaria coordenará as orientações junto aos professores – para incentivo de participação dos estudantes –, e iniciará dinâmica diferenciada para entrega.

Além das orientações, a equipe de supervisão da secretaria fará o recolhimento dos trabalhos produzidos por alunos das unidades sobre sua responsabilidade. Na sequência, a supervisão repassará os desenhos e redações à comissão organizadora. Os trabalhos serão encaminhados para corpo de jurados em seguida, para escolha dos vencedores e, posteriormente, premiação.

Para Ângela, o estreitamento da parceria entre o jornal e a secretaria é fundamental. A secretária lembrou que a pasta municipal sempre colabora com o concurso do bissemanário, uma vez que ele incentiva o surgimento de talentos.

“Com essa parceria, vamos desenvolver ainda mais a criatividade dos alunos. Não só a escrita, como o desenho. É interessantíssimo, porque estamos, de uma forma ou de outra, investindo ainda mais em nossas crianças”, declarou.

A assessora de planejamento pedagógico e administrativo informou que o próximo passo da parceria será o direcionamento da participação dos professores. “Vamos fazer uma reunião em todas as escolas, com os coordenadores pedagógicos, para que eles possam se inteirar ainda mais com a iniciativa e que cada um deles possa orientar seus alunos”, comentou.

O concurso deverá ser tema de encontros com os educadores nas reuniões de HTPC (hora de trabalho coletivo). Semanalmente, os professores da rede municipal participam de encontro para debater temas ligados à pedagogia.

A ideia é incluir, nos encontros, as orientações sobre colaboração. “É fundamental que todos participem, porque isso incentiva o crescimento da criança, por conta da imaginação e abre para elas novos horizontes”, declarou Sônia.

No calendário

Em seus 20 anos ininterruptos, a edição do concurso cultural de Natal promovido pelo jornal já integra calendário da Educação do município. A afirmação é da secretária municipal da Educação, Ângela Sartori. Conforme ela, o certame não só pode como deve ser incentivado a ter continuidade.

“É uma parceria que estamos estreitando com o jornal que não é boa, é maravilhosa. Tudo que é bom, temos de dar continuidade e incentivar cada vez mais”, disse.

Além de prêmios em dinheiro, Sônia ressaltou que o concurso resgata “o verdadeiro sentido do Natal”. Daí o espaço que a secretaria está destinando para colaborar com a realização do concurso. “O Natal não é só uma festa, na qual se ganha presentes. Até porque muitas crianças não ganham. Então, acho que esse trabalho deve ser feito pelos professores para mostrar o outro lado”, falou.

Para Maria Lúcia, o concurso não deixa de ser “uma avaliação da clientela” (no caso, os alunos). A supervisora de ensino disse que a premiação dos alunos ou mesmo citação em menção honrosa já é uma mostra de que o trabalho dos professores está dando resultados e que, por isso, merece ser valorizado. “Aponta que os alunos estão progredindo, na escrita e na leitura”, disse.

Outra característica não menos importante do certame, conforme a titular da Educação, é a valorização dos alunos por meio do reconhecimento (a premiação). Ângela afirmou que há uma melhora no comportamento do alunado e na conscientização deles para com o trabalho dos professores e com as unidades nas quais estudam, a partir do momento que ocorre uma valorização.

Dentro desse panorama, esse tipo de iniciativa contribui para evitar que situações de depredação (como a registrada no dia 8 na creche da vila Esperança) ocorram. A unidade teve janelas e portas quebradas, materiais didáticos queimados e paredes pichadas por dois adolescentes, um de 13 e outro de 14 anos.

“O concurso trabalha com conceitos, bases, e isso gera formação. Então, não somente nele, mas nos trabalhos os quais a secretaria vem executando, nós incentivamos os conceitos que ficam um pouco esquecidos, as responsabilidades”, falou.

Ângela afirmou que, por meio de um conjunto de ações, a secretaria tenta evitar que situações “tristes” voltem a ocorrer na cidade. “Graças a Deus, raramente, acontece esse tipo de situação. Aconteceu, ninguém está livre, mas tentamos trabalhar outro lado para melhorar a perspectiva dos jovens”, emendou.

Na opinião da secretária, o incentivo à competitividade também é importante como incentivo à conscientização. Ângela relatou que a disputa saudável por meio do concurso faz o aluno ter noção de responsabilidade e de civilidade. “É um conjunto de ações e, todas elas, visam melhorias”, concluiu.


Publicidade