Número de crimes é o menor em 20 anos

110
PM realiza operação de fiscalização com foco nas motocicletas (foto: pmsp_foco)
Da reportagem

Tatuí terminou o ano de 2020 com redução em 15 tipos de ocorrências policiais, em comparação a 2019. Os dados são do mais recente levantamento da Secretaria de Segurança Pública do estado de São Paulo, divulgado nesta segunda-feira, 26.

De acordo com as estatísticas, as principais quedas ocorreram nos casos de furtos e roubos em geral e de veículos. O índice registrado nessas modalidades, no ano passado, foi o menor desde 2001 – início da série histórica da SSP.

Na comparação dos 12 meses de 2020 com o mesmo período de 2019, o indicador de furtos em geral baixou 31,05%, passando de 760 para 524 ocorrências. Em relação ao ano de 2003 (o pior da série), a redução é de 67,5% – na ocasião, houve 1.613 furtos.

Jáas ocorrências de roubos em geral tiveram queda de 42,45%, totalizando106 ocorrências nos 12 meses de 2019 e 61 no mesmo período de 2020. Em 2003, a cidade chegou a somar 373 casos – o que representa redução de 83,64%.

Já os casos de furtos e roubos envolvendo veículos passaram de 131, em 2019, para 98, nos 12 meses de 2020, com redução de 39,13%. Na comparação com o pior índice já registrado, também em 2003, com 331 casos, a queda representa 70,39%.

De acordo com o comandante da 2° Companhia da Polícia Militar de Tatuí, capitão Júlio César da Costa, a corporação tem buscado a redução dos índices com aumento no número de operações contra a criminalidade.

“Desde 2017, realizamos diversas operações. Uma delas, que foi importante na queda dos furtos e roubos, é a ‘Cavalo de Aço’, desenvolvida com foco na abordagem de motociclistas. A maioria dos casos de roubo ocorre com uso de motos, então, aumentando a fiscalização neste sentido, também reduzimos a prática do roubo”, observou o comandante.

Ele aponta ter realizado diversas operações “Saturação” e “Impacto” – algumas contando com apoio da Guarda Civil Municipal – em locais com maiores índices de ocorrências de tráfico de drogas, além de ações com canil e cavalaria da PM.

“Não temos como medir se houve aumento ou redução do tráfico na cidade, porém, apreendemos muita droga, evitando a distribuição, e sabemos que o combate às drogas ajuda na redução dos pequenos furtos”, argumentou o capitão.

Costa ainda destacou duas operações, realizadas em novembro e dezembro, que resultaram na prisão de dez pessoas – integrantes de duas quadrilhas especializadas em roubos de veículos, furtos qualificados e estelionatos.

Na primeira ação, ocorrida dia 13 de novembro, quatro pessoas foram presas, acusadas de estelionato, furto qualificado e associação criminosa. De acordo com a PM, na ocasião, eles afirmaram atuar na região, cometendo furtos e golpes há quase dois anos.

O segundo caso ocorreu no dia 21 de dezembro, com a prisão deu ma quadrilha acusada de roubo em três diferentes cidades. Cinco homens foram presos e um adolescente acabou apreendido, no canteiro central da avenida Vice-Prefeito Pompeo Reali, na vila São Cristóvão.

Costa ainda classificou a pandemia do novo coronavírus e as determinações de isolamento social como pontos responsáveis pela redução da criminalidade no município, devido ao fechamento do comércio e outras situações referentes à crise de saúde.

“A pandemia foi uma das responsáveis pela redução dos crimes, mas não foi só isso. As operações, com certeza, surtiram efeito neste quesito. Caso contrário, não veríamos cidades com índices altos, como ocorreu em alguns municípios”, ponderou o capitão.

Outros indicadores

Os números em relação ao trânsito também apresentaram melhora. Entre os registros de homicídio culposo por acidente, a nova tabela de ocorrências da SSP mostra redução de 53,33%, passando de 15 ocorrências em 2019 para sete em 2020.

No indicador de lesões corporais culposas por acidente de trânsito (quando não há intenção), a queda foi de 67,05% em relação a 2019. A quantidade de casos passou de 85 para 28 durante 2020.

Ainda com relação ao trânsito, os indicadores da SSP mostram que o homicídio doloso por acidente e de vítimas de homicídio doloso por acidente permaneceram zerados nos 12 meses de 2019 e2020.

Os crimes contra a vida apresentaram queda nos casos de homicídio culposo. Houve duas ocorrências em 2019 e nenhuma em 2020. Já as tentativas de homicídio passaram de 11 para sete (menos 36,36%), e os casos de latrocínio baixaram de um para zero, no mesmo período.

O município não contabilizou nenhuma ocorrência de lesão corporal seguida de morte e lesão corporal culposa nos 12 meses de 2019 e 2020. No mesmo período, também ocorreu queda nos registros de lesão corporal dolosa, de 382 para 277 (menos 27,86%).

O total de estupros baixou de 69 para 61 no mesmo período (menos 11,59%), envolvendo queda de 16 para dez em violência sexual contra adultos (menos 37,5%) e 53 para 51 contra pessoas consideradas vulneráveis (menos 3,77%).

Apenas os indicadores de homicídio doloso e vítimas desse tipo de crime subiram no período. As mortes com intenção passaram de quatro para oito, mesmo número de vítimas registrado nos 12 meses de 2020.

Ainda conforme a SSP, nos 12 meses de 2020, foram instaurados 1.170 inquéritos policiais, 8,30% a menos que em 2019, quando ocorreram 1.276 procedimentos. No mesmo período, o número de flagrantes caiu 12,82%, passando de 577 para 503.

Conforme o relatório de produtividade, 365 ocorrências de tráfico de drogas foram registradas em 2020, contra 378 no ano anterior. No caso dos registros por porte de drogas, o índice teve queda de 47 para 32 (menos 31,91%).

O registro geral de apreensões de drogas (quando são computadas somente as ocorrências em que houve apenas apreensão de entorpecentes, sem pessoas envolvidas) caiu de três para dois nos 12 meses (menos 33,33%).

Nas ocorrências de 2020, houve apreensão de 28 armas de fogo, sete a mais que no ano de 2019, quando foram 21. Já o número de ocorrências por porte ilegal de arma de fogo caiu de 19 para 14 (menos 26,31%).

O total de prisões efetuadas diminuiu de 836 para 668 (menos 20,09%). Em 2020, foram apreendidos 129 menores de idade em flagrante, contra 184 em 2019 (menos 29,89%). Em 2019, um menor foi apreendido por mandado e nenhum no ano passado.

Quanto ao número de pessoas presas em flagrante, a queda foi de 17,63%, com 598 prisões nos 12 meses de 2020, contra 726 em 2019. No mesmo período, 177 pessoas acabaram detidas por mandados de prisão, número 32,44% menor que em 2019, quando somaram 262.

Em contrapartida, as forças de segurança registraram aumento de 11,11% no índice de recuperação de veículos das vítimas de roubos e furtos, passando de 45 automóveis devolvidos, em 2019, para 50 recuperações, em 2020.

O estado de São Paulo também terminou o ano com índices positivos. Conforme a SSP, o número nos roubos seguidos de morte teve queda de 6,8%, se comparado janeiro a dezembro do ano passado com o mesmo período de 2019, passando de 192 para 179 casos – 13 a menos.

O número de vítimas desse crime recuou ainda mais, caindo 8% – passou de 199 para 183 (16 a menos). Em ambas as situações, as quantidades foram as menores da série histórica, iniciada em 2001.

A tendência de redução se estendeu para o indicador de estupros, que somou 11.023 boletins em 2020, ante 12.374 no ano anterior. A queda foi de 10,9%.

Os homicídios dolosos subiram no ano passado em comparação a 2019. O número de casos aumentou 4,1%, com 115 ocorrências a mais, e a quantidade de vítimas teve elevação de 4,5%, com um acréscimo de 132.

No ano de 2020, todas as modalidades de furtos caíram em relação ao ano anterior e tiveram as menores quantidades da série histórica.

Os furtos em geral recuaram 24,9%, passando de 522.167 para 392.311 – 129.856 ocorrências a menos. Os furtos de veículo reduziram 27,5%, com diferença de 24.928 boletins,diminuindo de 90.652 para 65.724.

Os roubos em geral também caíram no período. A quantidade passou de 255.397 para 218.839 (menos 14,3%). Algo semelhante aconteceu com os roubos de carga, cujo indicador diminuiu 19,2%, com diferença de 1.407 boletins, passando de 7.325 para 5.918.

Nos roubos de veículo, o recuo foi de 31,4%, de 46.517 para 31.89 – 14.626 registros a menos. A quantidade é a menor da série história.Em 2020,houve quatro ocorrências de extorsão mediante sequestro no território paulista, ante 11 registradas em 2019. Ou seja, sete casos a menos.

Ao contrário ocorreu com o indicador de roubo a banco. Neste caso, foram contabilizados oito boletins a mais no ano passado em comparação ao ano anterior (21 ante 29).

Dezembro

No saldo de dezembro em relação ao mesmo mês de 2019, o órgão estadual aponta queda em sete classificações de ocorrências policiais em Tatuí. No último mês do ano, os números de lesões corporais culposas por acidente de trânsito também foram menores.

Conforme a SSP, as ocorrências envolvendo veículos com feridos em acidentes e atropelamentos caíram de sete para quatro – o que representa redução de 42,85% em relação ao mesmo mês de 2019.

Nos casos de homicídio culposo por acidente de trânsito (quando não há intenção), a aferição indica dois casos em 2019 e um em 2020 (menos 50%). Entre os homicídios dolosos envolvendo pilotos de veículos e vítimas de homicídio doloso por acidente, não houve casos nos dois anos.

No mês, os casos de furtos de veículos caíram de 13 para nove (menos 30,76%). O indicador de furtos em geral mostra queda de 10%. Foram 50 casos em dezembro de 2019, contra 45 no mesmo período de 2020.

Ainda na comparação entre dezembro de 2019 e 2020, as ocorrências de roubos em geral (incluindo a banco e de carga) caíram de quatro para dois (50%). Os registros de roubos de veículos reduziram de quatro para três.

Em dezembro, não houve casos de homicídio culposo, nos dois anos. Já os casos de homicídio doloso e vítimas desse tipo de crime subiram de zero em 2019 para dois casos em 2020.

Já as tentativas de homicídio passaram de zero para uma, e não houve indicadores de latrocínio no mês. O município também não contabilizou nenhuma ocorrência de lesão corporal seguida de morte.

No mesmo mês, ocorreu aumento nos registros de lesão corporal dolosa, de 32 para 34,e queda nos casos de lesão corporal culposa, passando de um para nenhum caso de um ano para o outro. Já o total de estupros, no mês de dezembro, subiu de três para quatro.