Novo prédio da prefeitura deve ser denominado ‘Maria José Gonzaga’

0
Publicidade
Da reportagem

O novo prédio da Prefeitura Municipal de Tatuí, que seria inaugurado em 11 de agosto, no aniversário de 195 anos da cidade, deve vir a se chamar Paço Municipal Prefeita “Maria José Gonzaga”.

Um projeto de lei com esse objetivo, de autoria de João Éder Alves Miguel (MDB) e assinado por outros oito vereadores e protocolado na Câmara na segunda-feira, 16, será votado nas próximas sessões. Nessa mesma data, os vereadores, por unanimidade, mantiveram o veto do prefeito Miguel Lopes Cardoso Júnior (MDB) ao projeto de denominação anterior.

Também de autoria de João Éder, a proposta apresentada antes buscava denominar o novo paço municipal de “Prefeito Paulo Ribeiro”, em homenagem ao poeta e seresteiro Paulinho Ribeiro, chefe do Executivo de Tatuí entre 1964 e 1967 e entre 1972 e 1976, além de vereador entre 1983 e 1988.

João Eder disse aos colegas que os pedidos de veto e homenagem à prefeita Maria José partiu do ex-vice-prefeito na gestão passada e atual secretário do Governo, Luiz Paulo Ribeiro da Silva, neto de Paulo Ribeiro.

“Paulinho Ribeiro é merecedor, porém, nada mais justo e mais correto que essa Casa atenda o pedido do Luiz Paulo e faça a homenagem a Maria José”, declarou João Eder.

Publicidade

“Assim, num gesto de reconhecimento pelos relevantes serviços prestados a nossa cidade pela nossa querida prefeita Maria José e, a partir da concordância dos familiares do então homenageado, vejo-me compelido a vetar na íntegra o referido projeto”, escreveu o prefeito Miguel na justificativa ao veto.

Ao discursarem o tema, os vereadores não pouparam elogios à administração de Maria José e acentuaram que a homenagem é justa, principalmente pelo fato de que ela “cuidou de cada detalhe do novo prédio”.

“Cada detalhe daquele paço foi feito com muito amor, com muito carinho, e indicado por ela”, comentou o parlamentar Márcio Antonio de Camargo (PSDB), ao pedir para assinar o novo projeto em homenagear à prefeita.

Outros projetos

Na sessão extraordinária de segunda-feira, os vereadores também votaram outros dois projetos de lei de autoria do Executivo, ainda assinados pela prefeita Maria José.

O projeto 20/2021 cria 20 vagas de agentes de controle de endemias e o 21/2021 eleva de 30% para 35% o percentual máximo para a contratação de operações de crédito com desconto automático em folha de pagamento.

Conforme a justificativa do Executivo, com a crise gerada pela Covid-19, muitos servidores se encontram obrigados a recorrer a empréstimos.

“Os efeitos da pandemia afetaram o planejamento financeiro familiar dos servidores públicos, transformando o crédito consignado, por vezes, na única fonte financeira capaz de custear as despesas e garantir a sobrevivência, haja vista que os reajustes e aumentos estão suspensos até 31 de dezembro de 2021”, aponta a proposta.

O Executivo ressalta, no entanto, que o empréstimo pode ser feito apenas com autorização expressa do servidor.

No caso do aumento de agentes de endemias, as novas contratações seriam de profissionais já aprovados em concurso público, “para atuarem nas ações de combate e controle de vetores, principalmente do Aedes aegypti”. O custo anual deve ser de R$ 880 mil.

Com pareceres das comissões técnicas favoráveis, os projetos foram aprovados de forma unânime e sem qualquer apontamento pelos vereadores.


Prefeito propõe relação amistosa com a Câmara

Em visita oficial à Câmara Municipal – a primeira depois da posse, em 9 de agosto, em decorrência do falecimento da prefeita Maria José –, na sessão desta segunda-feira, 16, o prefeito Miguel Lopes Cardoso Júnior (MDB) fez discurso elogioso aos vereadores, propôs uma relação “próxima, amistosa e respeitosa” com o Legislativo e anunciou que pretende manter uma reunião semanal com os parlamentares. Adotando tom agregador, disse que precisa do apoio da Câmara para o mandato.

 “Venho aqui comunicar a todos que nós teremos um dia de encontro com todos vocês. Talvez possamos discutir projetos ou talvez um encontro de bate-papo, de estar prestando contas do que estamos fazendo”, antecipou.

“Acho que vocês têm que ser os primeiros a saber tudo. Queremos ser o máximo transparentes possível, mostrando os números, mostrando as realizações, as nossas ideias, as nossas propostas”, declarou. “Digo que nós precisamos do apoio de todos vocês. E é dessa forma que queremos construir o nosso mandato”, completou.

Vereador de Tatuí entre 2017 e 2020, o professor Cardoso Júnior disse que entende a necessidade das cobranças ao Executivo, que fazem parte da própria atividade legislativa, mas espera que “isso seja feito com respeito”.

“A função do vereador é cobrar, sim, fiscalizar o Poder Executivo, e nós, do Executivo, temos que dar uma resposta com muito respeito. O respeito é a base de todas as relações. Tenho visto muito respeito nesta Casa.”

O prefeito acrescentou que pretende ter o diálogo como uma das prioridades na relação com o Legislativo. “A ferramenta do vereador é o requerimento, é a indicação, é a forma como temos hoje de documentar tudo isso, mas também, a partir de hoje, teremos que ter o diálogo. Nós precisamos estar conversando, é essa a nossa ideia”, acentuou

Cardoso Júnior finalizou o discurso reiterando a necessidade de conversar e resolver eventuais divergências de maneira respeitosa. “Vocês têm experiências suficientes para levantar suas bandeiras, mas, se nós conseguirmos manter o respeito, estamos dando uma resposta para a comunidade”, afirmou.

“As brigas não levam a lugar nenhum. A gente não sabe o dia de amanhã, mas sabemos que hoje somos os cabeças dessa cidade, e hoje cabe a nós fazermos o melhor”, completou.

Publicidade