Notas policiais

  • Supostos empréstimos a filhos fazem novas vítimas em Tatuí

Em intervalo de três dias, a Delegacia Central registrou três casos semelhantes de estelionato, os quais provocaram prejuízo de quase R$ 9.500. Todas as ocorrências aconteceram via WhatsApp e os golpistas fingiram ser filhos das vítimas para pedir dinheiro.

Na tarde de terça-feira, 19, um homem de 59 anos informou à PC que, 11 dias antes, recebera mensagem de um número desconhecido. Porém, a pessoa apresentou-se como filho dele, alegando que havia trocado de celular. Coincidentemente, a vítima havia dado um aparelho novo ao filho, dois dias antes.

Segundo relatado, o suposto filho afirmou que precisava de R$ 1.290 para habilitar um aplicativo bancário. Contudo, a vítima disse que não possuía o valor solicitado, somente R$ 487. O golpista aceitou a quantia, pedindo para que o homem fizesse uma transferência, via Pix, à conta de “Maria Eduarda”, porém, sem sucesso.

Na sequência, conforme relatado, o estelionatário pediu para que o valor fosse enviado à conta de “Guilherme Mata Guimarães”, e a transferência foi efetuada.

O sujeito continuou pedindo dinheiro, porém, a vítima não possuía. Somente oito dias depois, a vítima conseguiu conversar com o filho e descobriu que caíra em golpe.

No dia seguinte, uma idosa de 65 anos disse à PC que, de forma semelhante, um desconhecido entrou em contato e ela acreditou que estaria conversando com uma filha dela. A vítima depositou R$ 850 e, posteriormente, soube que havia sido enganada.

Do mesmo jeito, na manhã de quinta-feira, 21, um homem de 58 anos informou à PC que, uma semana antes, acreditara que havia recebido uma mensagem de um filho, que teria trocado de número. Para ajudar a pagar algumas dívidas do suposto filho, a vítima transferiu R$ 8.150, via Pix, em benefício de “Raiane Stefani Santos da Costa”.


  • Jovem de 18 anos é preso com mais de cem porções de crack

Um jovem de 18 anos acabou detido, na noite de quarta-feira, 20, suspeito de tráfico de entorpecentes na vila São Cristóvão. Durante a ação, a Guarda Civil Municipal apreendeu mais de uma dezena de pedras de crack, além de porções de maconha e dinheiro.

Conforme a corporação, por volta das 20h10, uma guarnição fazia patrulhamento pelo bairro quando os guardas receberam denúncia informando que, em uma viela, na rua Professor Mario Baiardi, um sujeito estaria escondendo drogas em buracos de um muro.

Segundo a GCM, os agentes encontraram um rapaz com as mesmas características indicadas pelo denunciante, o qual estava retirando algo do buraco de um tijolo do muro. Ao perceber a presença da viatura, o sujeito tentou fugir, contudo, acabou capturado.

Em busca pessoal, de acordo com a GCM, os agentes localizaram dez pedras de crack, R$ 210 e um celular. Questionado sobre os entorpecentes, o acusado confessou a comercialização e indicou o local onde armazenava o restante deles.

Ainda segundo a corporação, os guardas foram até a construção abandonada, situada próxima ao local da abordagem, e encontraram, em uma fresta do telhado, mais 130 pedras de crack idênticas às encontradas com o jovem, além de seis porções de maconha.

O suspeito, de acordo com o boletim de ocorrência, identificado como Giovani Ceciliato de Souza Simão, recebeu voz de prisão em flagrante. Posteriormente, foi encaminhado ao Pronto-Socorro Municipal “Erasmo Peixoto” antes de ser apresentado ao plantão policial, onde ficou à disposição da Justiça.


  • Rapaz é enganado ao negociar dívida com falso representante

Um tatuiano de 30 anos, residente na região central, caiu em golpe no dia 13 deste mês, ao acreditar que estaria renegociando uma dívida com a Elektro.

Ele acertou a forma de quitação da dívida com o estelionatário e chegou a pagar o valor da entrada. A vítima informou o crime no plantão policial, somente neste final de semana.

Conforme o boletim de ocorrência, no início da tarde, por volta das 13h, uma pessoa, identificando-se como um agente da companhia de eletricidade, encontrou em contato com o homem via WhatsApp.

Em dado momento, segundo o boletim, o “agente” enviou o link de um site para que a vítima realizasse a simulação de parcelamento da dívida. A vítima acessou o site falso, acertou a forma de quitação e pagou a entrada, no valor de R$ 160, em uma conta em nome de “Ingrid Luzia Vilas Boas Ramos”.


  • Suspeita de tráfico realizava ‘delivery’ de entorpecentes

Uma mulher de 28 anos acabou presa, na noite de quarta-feira, 20, por volta das 21h30, acusada de tráfico de drogas no Loteamento Módena. Durante a ação, a Polícia Militar recolheu porções de cocaína e maconha, um caderno com anotações, celulares e mais de R$ 3.000.

Segundo a corporação, uma equipe da Força Tática fazia patrulhamento, pela rua Santa Cruz, quando os policiais avistaram uma motoneta, da marca Honda, modelo Biz, da qual possuíam denúncias de que seria utilizada por uma mulher para entregar entorpecentes, após negociá-los por telefone.

Os agentes, conforme a PM, realizaram a abordagem e encontraram uma bolsa pequena, contendo três porções de cocaína e uma de maconha, dois celulares e R$ 350.

Ela confirmou a venda das drogas, ainda segundo o boletim de ocorrência, e relatou que guardava mais entorpecentes na residência dela, no bairro Donato Flores.

Na casa, de acordo com a PM, os policiais encontraram mais quatro porções de cocaína e duas de maconha, além de uma caderneta com anotações e R$ 3.004. Pouco depois, a acusada informou que havia mais drogas em outro imóvel, no mesmo bairro. Lá, os agentes localizaram mais de cem porções de cocaína, uma grande porção de maconha, embalagens vazias e mais anotações.

Conforme o boletim de ocorrência, os policiais deram voz de prisão à suspeita, identificada como Camila Maria Leite Vieira. Na sequência, ela foi levada ao Pronto-Socorro Municipal “Erasmo Peixoto” e, depois, à Central de Flagrantes, onde permaneceu detida, à disposição da Justiça.

DEIXE UMA RESPOSTA

entre com sua mensagem
entre com seu nome